Seguidores

domingo, 30 de dezembro de 2012

FELIZ ANO NOVO!


Poesia de Ano Novo!

Que alegria
Meus amigos
Precisam de homenagem.
Numa grande poesia
Vemos Varenka .
Uma luz irradia,
Carlos Souza
Na luta pela poesia
Roberto Lealdade
Em demasia!
Nosso eterno vereador!
Valdeck Calmo
É um grande escritor!

O Raio de sol  MOA aponta
Todo dia uma satisfação
Com Leide do meu coração.

Ela veio que nem uma oração
Segurou minha mão,
Do outro lado
Da infância falo emocionado
Adalberto, meu pai meu
Seguro de vida,
Viva para sempre!...
...Junto com Dolores
Amor livre de dores
Na proteção do anjo Gabriel.

Na hora da sogra todos
Esquecem...
A minha não!
Nina que amo de montão
Ano após ano,
A mãe da Flor do Sertão!
Parceira de Renatão.

As cunhadas lindas e agitadas
Clei sempre será a pequena
Com cuidados de menina,
Desabrochando uma grande mulher.

Nei, a estrela do sertão
Todos e todas transformam
-se em constelação!
Um ano, muitos amigos,
O meu preferido
Virou compadre e comadre
Rosana longe
Pelo salitre do mar
Fábio mais que longe,
Mas ambos perto
Do meu coração.

Amiga de verdade Mauracir
E Jandiara, dois lados da moeda
Jóias raras que o mundo precisa.


Um ano cheio de tribulações
De amigos e questões,
Não podemos esquecer
de nenhum...
Francisca Lá em feira
Mulher especial como poucas,
Mais que demais,
Essa galera do bem,
Nem todos têm,
Somos felizardos...
Amiga como Auxiliadora
Duvido!
Nem todos têm!


Uma família, muitos amigos
Sertão e cidade se fundem
Naquela contagem regressiva
Nessa poesia que mais parece
Uma missiva,
Nem todo mundo se conhece!
Na teia da bondade
Ganhei mais uma família
Clenida e Cia
Foi  Natal com a Alegria
De Selminha...
Nesse encanto
Eu canto de voz embargada
Com letra digitalizada!


FELIZ ANO NOVO!
2013


Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

sábado, 29 de dezembro de 2012

Festa do Caos


A Festa do Caos



O Verão já chegou, o calor domina a nossa região nordeste, Salvador festeja o grande número de turistas que visita a nossa cidade.
Os turistas aparecem de todos os cantos, hoje uma grande porta para a nossa cidade soteropolitana é a visita de grandes navios transatlânticos, embarcações super modernas que atracam em nosso porto.
Em um triste contraponto, logo ali de junto, vemos as filas enormes de carros que percorrem praticamente toda a região, são pessoas que tentam sair da cidade via "ferry-boat", são poucas embarcações, as que ainda resistem estão sucateadas, o povo ainda festeja na fila, numa paciência sepulcral, outros até festejam com muita cerveja a fila interminável, inigualável; abrem os seus carros com sons que tomam o porta-malas, abrem também o isopor de cerveja e comemora a fila que não termina, não querem saber a horas que irão sair daquela triste situação, "adernam" o seu veículo e deixam ao sabor do tempo.
O povo é muito acomodado, ao invés de lutar, exigir um transporte digno, se manifestando, aceita complacentemente, o brasileiro é acomodado, só sai do seu comodismo quando quer levar alguma  vantagem, não pensam no coletivo, é por isso que vivemos em um pais cheio de desigualdades e corruptos, porque se houver uma cerveja na mão e um sonzinho no porta-malas, a festa está garantida, não importa onde estiverem.



Marcelo de Oliveira Souza

Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Partilha de Natal


Partilha de Natal

 

 

No canto escuro

Todos observam a cantoria

As crianças na maior alegria

É festa de Natal!

 

Lembrando o nascimento

Do menino humilde,

Que se transformou em rei.

 

A partilha era a sua maior lição

Ninguém ficava no canto triste.

Hoje o Natal do pobre é tristeza

Do rico, ostentação.

 

Aquela lição

Não aprenderam,

A solidão reina para os tristes

A comunhão virou um grande NÃO!

 

 

A partilha inexiste

Está tudo apartado,

Os pobres apertados

E o lindo Natal

Vira paisagem de cartão postal.

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

Feliz Natal e um próspero Ano Novo!


Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Missão de Natal


Missão de Natal

 

 

Esse Natal terá uma nuance muito especial, pois o ano que estará terminando nos proporcionou diversas facetas.

Muitos falaram até que o mundo iria terminar, mas estamos aqui comemorando mais uma festa natalina, contudo temos que perceber que quanto mais o tempo passa a união da família fica mais difícil, o mundo digital tomou os lares para alegria e tristeza de todos nós, temos que saber ponderar e saber orientar os nossos queridos, para o poder da informação digital.

O romantismo do cartão de Natal está se diluindo, agora tudo é virtual, mas o amar nunca pode ser virtual, é o sentimento mais sólido do mundo, inclusive dessa época em que muitas famílias estão reunidas, lembremos sempre que a nossa reunião não existiria sem o nascimento de Jesus Cristo, muito menos sem a união da família, onde mesmo na dificuldade seguiram em frente.

Vamos seguir em frente no amor, na paz e na solidariedade, não pensemos ser o centro do mundo, pois o mundo gira, precisamos apenas que ele gire em paz dando paz e recebendo mais paz ainda para que com saúde possamos cumprir a nossa linda missão na Terra.

Feliz Natal e um Ano Novo Cheio de PAZ

 

Marcelo de Oliveira Souza


Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Cinco anos


Cinco anos de vida
Cinco anos minha querida!
Mas quem ganha o presente somos nós
Pela sua presença e alegria ...


Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Homenagem aos Cem Anos do Rei do Baião

O Rei do Baião

 

 

Ai que saudade

Do rei do baião

O homem da sanfona

Que começou no sertão,

Mostrando com alegria

O que o nordeste tem,

Ostentava a sua vestimenta

De capitão!

 

O grande Gonzagão

Filho de Januário,

Cantou tudo com galardão,

Sua vida era o acordeão.

Criou o xote e o xaxado,

Exaltou o nordeste,

Com olhar de apaixonado,

Lá onde a secura domina.

 

Com sua música

A agonia virou alegria

De quem conseguiu

Transformar o enxabido

E sofrido nordestino

Num herói destemido,

E com seu dever cumprido

Foi iluminar o céu

Do nosso mundo

E nunca mais

Será esquecido!

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

 

 

POESIAS SEM FRONTEIRAS




Olá!


Sete dias para terminar o concurso de poesias!

informações:

www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

 


Marcelo de Oliveira Souza  site: http://marceloescritor2.blogspot.com 

Filiado à UBE – ACLAC – CAPPAZ – Poetas del Mundo

 

sábado, 8 de dezembro de 2012

Amor por Relógios


 "Amor" por  Relógios

 

 

Aqui na cidade de Salvador era um caso sério, tinha muitos amantes de relógios, essa peça preciosa deixou de ser uma ferramenta para o cotidiano para ser parte do vestuário.

Só que esse amor podia ser muito perigoso, pois os que "amam" demais os relógios alheios não se controlavam, passando a fazer diversas falsetas em prol do "amor" pelo alheio.

O dia que eu percebi o amor incontido por esse contador de horas, foi quando era adolescente, fui pegar uma paquera na escola e nos conduzimos ao coletivo, como naquela época a gente entrava pela frente e saía por trás, era uma beleza para esses apaixonados pelo "bobo", a gente estava logo no banco que ficava na frente da porta de saída, a "traseira" como dizem aqui,  foi quando uma mão escura passou como furacão, puxando o relógio de Adriele, ela se assustou e eu mais rápido ainda peguei o dito cujo pelo pulso, ele logo soltou a peça e saiu pulando igual a canguru, saltando do carro, foi um susto só, melhor para mim que ainda saí de herói e depois fica a cargo da sua imaginação a premiação.

Aqui no dia dois de julho é muito especial, o festejo é maior que Sete de Setembro, pois as pessoas comemoram a Independência da Bahia, que sacramentou a Independência do Brasil, é muita gente na rua, muita comemoração, mas os perseguidores de relógios ficavam mais espertos, até agressivos, Wilton meu amigo que o diga, saiu com o seu relógio que só faltava falar e gritar por socorro, quando um cara de quase dois metros deu um soco em seu rosto que só faltou jogá-lo ao chão, eu me preparei para a briga, mas o cara se mandou e meu amigo ficou com o rosto inchado igual a um limão, coitado, ele passou dias se lamentando e sonhando com uma carreta passando encima do bandido.

Como quem tem, tem medo, eu tomava bastante cuidado ao sair com meu Cássio com secretária eletrônica, pois quando ia para a guerra era um Deus nos acuda!

Tentaram várias vezes me roubar, era gente passando correndo e tentando puxá-lo do meu pulso, gente fingindo estar aramado para roubar o favorito, saía até na mão, mas não abria mão do precioso.

Até que um dia caí na maior armadilha, do namorado deslumbrado, aquele que presta atenção no amor e esquece-se do resto; ao sair do cinema um incauto segurou no meu ombro e me cumprimentou, ao olhar para trás ele puxou o relógio e saiu correndo, eu desci atrás dele correndo pela Carlos Gomes, e depois entrei numa ladeira, mas como o lugar era escorregadio e eu estava de sapato, escorreguei e vi o meu "garoto" ir embora...

Fiquei muito chateado e passei um tempo para esquecer, até comprar outro igualzinho, mas os "amantes" cresceram na sua sanha e a perseguição começou, até que novamente cair na estória do namorado apaixonado, eu já sabia disso, sofri na pele, mas não imaginava a ginástica que aquele cara ia fazer para roubar o meu  "novinho", ele entrou no ônibus, passou por baixo da catraca, - nessa época, já entrávamos por trás –viu o meu relógio, saiu do mesmo veículo, entrou de novo no carro, aproximou-se da catraca onde eu estava após o cobrador, "bafou" o meu novinho e desceu por trás, eu fiquei sem ação, sendo assaltado dentro do ônibus, naquela época era um absurdo, ninguém roubava dentro de coletivo, era o lugar mais seguro do mundo, não era como hoje, que tem um ladrão em cada esquina e em cada ponto.

Sei que depois dessa procurei rapidinho o meu sossego, comprando um relógio de um real, saindo na maior tranquilidade.

Essa tranqüilidade perdurou, porque ninguém queria  relógio, a moda agora é celular, uma nova história de amor.

 

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

 

 

 


Marcelo de Oliveira Souza  site: http://marceloescritor2.blogspot.com 

Filiado à UBE – ACLAC – CAPPAZ – Poetas del Mundo

 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Faroeste Urbano

(Foto de Um ponto do Ponto de ônibus do Conjunto Edgar Santos, Eng Velho de Brotas, Salvador, Bahia.)

Faroeste Urbano

 

 

Para quem deseja entrar em Brotas, através da esburacada Avenida Ogunjá pensa logo em entrar pela Rua Professor Aloísio de Carvalho Filho, a famosa Rua do CREA.

Apesar de ser uma importante via de acesso, para o Engenho Velho de Brotas, os prepostos da prefeitura não olham para a perigosa situação que acontece naquele nicho.

Além dos buracos de sempre, essa movimentada rua tem seus passeios ocupados por diversos carros de oficinas de beira de rua, os mecânicos chegam até a colocar cones no local, para que os motoristas não atropelem que está ali agachado consertando o veículo.

Os dois lados são ocupados, a população local tem que andar na rua, aumentando o risco de acidentes, a Transalvador já foi avisada diversas vezes, contudo esse inapto órgão diz que não pode fazer nada senão multar, contudo o caso continua grave e os carros continuam ali.

Os motoristas insistem em colocar seus veículos em qualquer lugar, a região é tomada, pelo desrespeito ao bem público, o falecido Parque Solar Boa Vista também  virou estacionamento de carros e caçambas, não esqueceram nem de "tomar" o ponto de ônibus do Conjunto Edgar Santos, que agora também virou estacionamento.

Aqui nessa célula da cidade é apenas uma amostra de como a cidade toda  está entregue às baratas, todos fazem o que querem, passando por cima de todas as leis, nesse faroeste  urbano.

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

 

 

 






terça-feira, 20 de novembro de 2012

Alunos x Professsores




Alunos X Professores

A relação entre alunos e professores vem se deteriorando cada vez mais, cujos noticiários apontam para a falta de preparo dos profissionais de educação como sendo  a causa desse grande problema.
A nossa sociedade vem se modificando, com todo esse fascínio pelo capitalismo e tecnologia, agregada à falta de orientação de muitos pais e dissolução da família e religião, tendo como resultado toda essa celeuma.
Muitas crianças estão criando autonomia, como muitos já afirmam, usam celulares, internet e tudo que possa ostentar a maravilhas do mundo moderno, de forma desregrada, crescem e não tem orientação nenhuma sobre respeito, amor ao próximo e tampouco como se comportar na sala de aula.
Muitos acham que os professores por estarem dividindo o espaço, são meros coleguinhas, e o pior que são tratados como o “coleguinha” que veio reprová-los.
Diante dessa rusga, aparece a falta de controle de muitos pais, mentalidade essa que se estende para dentro dos muros escolares.
Os profissionais da educação muitas vezes não têm apoio de uma  direção competente, trabalhando em um ambiente desfavorável, tudo isso acarreta dificuldades no trabalho; muitos adolescentes pensam que escola é lugar de namorar, levar aparelhos de som e todo comportamento que não condiz com o aprendizado, passando a usar esses objetos até durante a aula e não aceitam que ninguém interfira nessa conduta.
Como os interesses são conflitantes, surgem problemas de agressão a professores, a maioria verbal, contudo ocorrem muitos casos que professores se omitem, mas também são agredidos fisicamente, principalmente quando o caso é com professoras, mais fracas, são mais expostas, mesmo diante disso, alguns adolescentes não consideram e realmente tratam-na de formas inadequadas, apelidando, hostilizando passando onde desejar.
Os valorosos  profissionais da área quando não dão sorte de encontrar um colégio onde a direção é atuante, ficam relegados ao descrédito, sendo taxados como professores que levam problemas; assim, esses profissionais muitas vezes sofrem calados todo esse assédio, quando estouram, ficam doentes fisicamente, mentalmente ou até podem passar de vítimas a agressores.
Nessa relação difícil, o professor tem a obrigação de ter um controle emocional, mas a linha entre a sanidade e a loucura é tênue, na hora que um adolescente é agredido todos apresentam-se  para taxar, impingir, apontar...
Os teóricos em educação são os primeiros a levantar a bandeira pedagógica contra a violência na escola, mesmo que nem frequentem o ambiente escolar e se for para jogar mais uma “pedrinha” no professor, melhor, pois vende mais livros.
Assim é o cotidiano do professor, muita luta e pouco reconhecimento de todos, mas tudo isso não será uma bela orquestra feita para que os pobres continuem pobres, os ricos sempre ricos e os políticos sempre políticos?


Marcelo de Oliveira Souza






sexta-feira, 16 de novembro de 2012

VIII Concurso LIterário POESIAS SEM FRONTEIRAS



VIII CONCURSO LITERÁRIO POESIAS SEM FRONTEIRAS        
           (inscrições de 10 de agosto até 20 de dezembro de 2012)


Apoio: Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências ;  União Brasileira dos Escritores/BA;

Com o objetivo de estimular poetas de todo o Brasil e de outros países, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 8ª edição.
Os interessados devem enviar uma única poesia, tema LIVRE (digitada ou datilografada) inédita sob pseudônimo, em duas vias, dentro de um envelope maior. No envelope menor, deverá constar a ficha de inscrição que  será criada pelo autor, com  o nome, endereço completo, idade, profissão, escolaridade, título da poesia, pseudônimo, telefone, e-mail (se tiver), comprovante de depósito de R$ 9,00, em nome de Marcelo de Oliveira Souza, conta poupança BRADESCO : No 5920 digito 0 Agência 3679 digito 0. Não se esquecer de dizer como tomou conhecimento do concurso e se já participou de outras versões.
Obs:  Não aceitaremos poesias por e-mail ; menores de idade podem participar desde que seja com a autorização dos pais ; Inscrições de países de outra língua também serão aceitas desde que estejam na língua oficial do concurso – Língua Portuguesa; Quanto aos trabalhos enviados, no final do concurso, serão incinerados;  Caso não haja autor menor e/ou estrangeiro a premiação se extinguirá; O autor poderá participar com mais de um trabalho, para isso terá que efetuar nova inscrição e pseudônimos diferentes;
O Livro Confissões Poéticas é do autor MARCELO DE OLIVEIRA SOUZA, organizador do concurso; O Livro Varal Antológico II é  um projeto organizado por Jacqueline Aisenman.; Os Livros "30 Anos de Poesia" e "Memórias do Inferno Brasileiro" são do autor Valdeck Almeida de Jesus .

Formas de pagamento:
• Em espécie junto à ficha de inscrição (envelope menor)
• Depósito Bancário ou transferência de conta
• Fora do país:  Cinco  dólares / euros  ou em moeda vigente de cada pais no valor correspondente.

RESULTADO: Dia 10 de janeiro de 2013
No site oficial do concurso; nos blogs marceloescritor;  por e-mail, para quem enviar o endereço eletrônico e por carta para quem não tiver e-mail.
1°lugar: Troféu + certificado  + Livro Confissões Poéticas   + Livro Varal Antológico II
2° lugar: Troféu + certificado + Livro Varal Antológico II + Pen Drive 4GB
3° lugar: Certificado   + Livro  "Memórias do Inferno Brasileiro"
4° Lugar:  Certificado + Livro "30 Anos de Poesia"
5° Lugar:  Certificado + Livro "30 Anos de Poesia"
Menções Honrosas: Uma  para o autor Nacional Juvenil, menores de idade; outra para
 o  autor Internacional;  cuja premiações  serão:   Nacional Juvenil: certificado + Livro Varal Antológico II + MP3 + Camisa Tamanho M do site “Galinha Pulando” ; Internacional:  certificado  + Livro Confissões Poéticas + Livro “Memórias do Inferno Brasileiro”

Todos os vencedores do concurso terão seu trabalho publicado no site www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net
Contatos: marceloosouzasom@hotmail.com e celular 71-81553677     
Enviar carta registrada para:   
VIII Concurso literário: Poesias sem Fronteiras
A/c escritor Marcelo de Oliveira Souza Conjunto Edgar Santos Bloco 14/204
Engenho Velho de Brotas  Salvador  Bahia   BRASIL CEP 40240-550

Flores Urbanas



Flores Urbanas


Numa terra ocupada
O ser humano é o maior culpado
A flor não respira...
Ela piora com a poluição,
Folhas sujas de fumaça
Uma cinza que sufoca.
As flores urbanas sofrem.
As pessoas sofrem...
A natureza reluta...
O povo luta.
Mais prédios aparecem,
No amanhecer ninguém conhece.
Ninguém merece...
A floresta empedrou
A pedra dominou,
As flores raras se escondem
As flores de plástico aparecem
E no mundo artificial
A ruína é total
Pobre desse animal
Num desenvolvimento total
Vai sucumbindo, definhando
Até voltar para a natureza.



Marcelo de Oliveira Souza


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O dia da Consciência Humana

O Dia da Consciência Humana 



O dia 20 de novembro passou a ser chamado o dia nacional da consciência negra. Em homenagem ao grande herói Zumbi dos Palmares, um escravo fugitivo que conseguiu lutar contra o martírio da escravidão do homem pelo homem. 
Muitas pessoas esquecem de lembrar que esse importante dia poderia muito bem ser lembrado como o dia da consciência humana, porque a distinção de raças ainda vai ser evidenciada, não podemos esquecer que somos humanos e por isso temos a obrigação de fomentar a união e não separação, mágoas e protestos onde o tempo passa, as pessoas se desenvolvem contudo a exploração do homem pelo homem continua de diversas maneiras, o ataque à natureza continua, aos pobres e desvalidos também, independente de raça. 
Seria muito mais interessante que as pessoas se unissem e protestassem sim, mas contra a violência, a falta de oportunidades e principalmente contra os ataques contra a natureza, pois todos nós independentemente de raça, estamos no mesmo "barco" afundando e com o dia da Consciência Humana, seria um dia em que todos se uniriam em prol da salvação de todos os valores que a humanidade está deixando para trás com o "desenvolvimento". 





Marcelo de Oliveira Souza
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net
http://marceloescritor2.blogspot.com

domingo, 4 de novembro de 2012

Lançamento do Livro Confissões Poéticas

Foi muito bom contar com a presença de vocês no lançamento do meu livro!

Quem não adquiriu ainda pode fazê-lo da seguinte forma:

Lançamento do Livro  de Poesias Confissões Poéticas

 


Valor do Livro: Vinte Reais!

Pedidos pelo Brasil: 25,00 com carta registrada

Fora do País: Equivalente a 30,00 com carta registrada



Marcelo de Oliveira Souza
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net
http://marceloescritor2.blogspot.com

sábado, 3 de novembro de 2012

É amanhã!

Lançamento do Livro de Poesias Confissões Poéticas
Já imaginou um livro de poesias de temática universal, que aborde temas sobre espiritismo, morte, religiosidade, 11 de setembro nos EUA, educação, Cora Coralina, meio ambiente, grandes navegações, amor e outros tantos temas?
Essas Confissões Poéticas tem tudo isso, adquira o seu, no lançamento do livro lá no Campo Grande!
Dia:04/11/2012
Valor do Livro: Vinte Reais!
Aceitamos pedidos de todo Brasil: 25,00 reais
E do exterior: o Equivalente a 30,00 Reais

Aguardo vocês!

Marcelo de Oliveira Souza
 

Visite meu blog  www.marceloescritor.blig.ig.com.br

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Homenagem ao dia de Finados

Cova Rasa 


Cova rasa 
Deixa a gente arrasado, 
A profunda desesperado... 
O caminho da vida, 
Do destino, da viagem. 

Uma pessoa querida 
Que fugiu do mundo selvagem 
A rosa na cova rasa 
A flor na cova profunda. 

A beleza que abunda 
Nesse ambiente, 
Enfeita o morto 
Da cova profunda. 

A tristeza de uma cova rasa 
Sem choro, nem desespero dos amados... 
O contrário de uma cova profunda 
Onde todos se reúnem desesperados 
Para enterrar o defunto com dia marcado. 

As covas diferentes 
Num grau de profundidade 
De importância, uma maldade... 
Mas no final todos se encontram 
No mesmo solo, na mesma jornada 
Para virar uma cova rasa ou profunda 
Adubando a rosa imaculada. 


Marcelo de Oliveira Souza 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Confissões Poéticas

Lançamento do Livro de Poesias Confissões Poéticas

Depois do Livro A SALA DE AULA e do livro Conto & Reconto confira abaixo o novo sucesso:

Já imaginou um livro de poesias de temática universal, que aborde temas sobre espiritismo, morte, religiosidade, 11 de setembro nos EUA, educação, Cora Coralina, meio ambiente, grandes navegações, amor e outros tantos temas?
Essas Confissões Poéticas têm tudo isso, adquira o seu, no lançamento do livro lá no Campo Grande!
Dia:04/11/2012 - 9 horas da manhã!
Valor do Livro: Vinte Reais!

Mais informações: 71-81553677

Marcelo de Oliveira Souza


Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

domingo, 28 de outubro de 2012

Pé de Pranta Jamais


Pé de Pranta Jamais

 

Engana com comida

Que o povo traz

O povão se engana

O instruído grita

Ensina o certo.

 

Com o Vale Miséria

Troca o certo pelo errado

Pela malfadada Esmola

O povão se esfola.

 

Tido como amigo  do trabalhador

Com seu nome de enganação,

Usa o Chicote da dominação

Dos fantasmas assados

Dos fantasmas do passado...

 

E nessa desilusão da traição

Gritamos contra a abominação

Quer justiça

Ou "Pé de Pranta" meu irmão?

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

http://marceloescritor2.blogspot.com

Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Flores Urbanas


Flores Urbanas

 

 

Numa terra ocupada

O ser humano é o maior culpado

A flor não respira...

Ela piora com a poluição,

Folhas sujas de fumaça

Uma cinza que sufoca.

As flores urbanas sofrem.

As pessoas sofrem...

A natureza reluta...

O povo luta.

Mais prédios aparecem,

No amanhecer ninguém conhece.

Ninguém merece...

A floresta empedrou

A pedra dominou,

As flores raras se escondem

As flores de plástico aparecem

E no mundo artificial

A ruína é total

Pobre desse animal

Num desenvolvimento total

Vai sucumbindo, definhando

Até voltar para a natureza.

 

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

 Do site:

http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

domingo, 21 de outubro de 2012

Trânsito Mortal

Trânsito Mortal

 

 

A cidade de Salvador, nos tempos de hoje está sendo campeã em todas as formas de violência e  de desgoverno.

Como se não bastassem os assaltos; saidinhas e entradinhas bancárias; agressões às mulheres; uma  outra forma de violência que está crescendo muito é a violência no trânsito.

Muitos carros em ruas apertadas, avenidas sem planejamento e quando nada muito desrespeito ao próximo, o motorista soteropolitano é rival um do outro.

Coisas inacreditáveis existem, motoqueiros, motoristas de ônibus e taxeiros são verdadeiros inimigos, mas também não podemos esquecer o restante da massa que usa o volante como arma.

A direção defensiva inexiste, o que vigora nesse trânsito do cão é o contrário, se o condutor sinaliza para um lado, o outro vem de trás desesperado apitando, empurrando o outro para o lado; se um motorista encosta no outro, o risco é de morte; essa semana um motoqueiro derrubou um retrovisor de um carro, o louco dono do veículo avariado saiu em sua perseguição e só sossegou quando deflagrou vários tiros, gerando mais um assassinato fútil no trânsito de Salvador; outro motorista que desviou-se de um dos inúmeros buracos que infestam a cidade, sem querer fechou o carro ao lado, ele ergueu o polegar, se desculpando e tomou um tiro na mão.

Na mesma semana um motorista jogou um ônibus de cima do viaduto, queria se matar e matar todos os seus passageiros.

Já houve inúmeros casos de violência desse tipo, motoristas despreparados, malucos ou estressados; as leis no trânsito não vigoram; a Transalvador, órgão que fiscaliza o caos, não funciona, o que funciona na cidade do caos é o salve-se quem puder, porque aqui na cidade ninguém tem direitos, a gente vive sitiado em meio ao desespero de viver numa cidade sem comando.

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

 

 



Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

sábado, 20 de outubro de 2012

OI virou AI! e Claro ficou Escuro!



OI virou AI! E o Claro ficou ESCURO!


Hoje em dia é uma verdadeira maratona, a gente conseguir um pouco de atenção das telefônicas, parece até que estamos precisando, implorando favor.
Depois da ascensão das máquinas de atendimento, onde elas falam, sorriem, orientam, até interagem com os sofredores, clientes desavisados, a coisa piorou.
Após  a Telemar se extinguir, o nosso telefone foi jogado para os ombros da OI, que domina o mercado, mas atendimento que é bom, só com a máquina.
Assim viramos vítimas do mau atendimento, cansados de sofrer por não ter atenção de nenhum humano, resolvemos acatar uma propaganda que veio do nosso canal fechado, telefone de um real e ligação para todo  o pais em todos os fixos e celulares “escuros”.
Assim caímos em mais um armadilha, pois decidimos comprar o aparelho imitando celular, mas não disseram que a gente tinha que ficar carregando, porque o que carrega é somente com o  pedestal, como eu pensava que somente santo que tinha pedestal, não caí do pedestal, mas caí feio do cavalo.
Ao receber o produto vi a bronca e quando consegui milagrosamente falar com um ser humano ela disse que eu tinha que aguardar regulamentar a linha, depois de alguns dias ao regulamentar o aparelho liguei novamente e fui encaminhado para outro número, esse número não tinha ser humano e as  infinitas escolhas numéricas terminava em “obrigado pela ligação”.
Mas como todo escritor é criativo, descobri um chat no site do “Escuro”, que depois de inúmeras tentativas, apareceu um ser humano que disse não poder fazer nada quanto a isso, se arrependeu,  “dançou”!  E o tempo de avaliação do produto?
Agora a gente vai procurar chorar no PROCON ou passar a vida carregando aparelhos e descarregando a nossa paciência.




Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

domingo, 14 de outubro de 2012

Dia dos Professores

Dia dos Professores

 

Sempre comentamos  com as pessoas que o professor de hoje é um  verdadeiro super-herói, tentamos  passar adiante  o que  os profissionais da educação fazem em prol da sociedade, a sua importância no nosso meio.

Em tempos de violência, as pessoas esquecem que    a grande base da pirâmide social é a família e igreja, depois dela a escola desponta como alicerce, onde a criança passa a maior parte do seu tempo.

Essa  instituição pública é o desembocadouro de todo tipo de pessoas, índoles, religião e tudo que possa miscigenar, cabendo ao professor conciliar  todos os problemas que certamente surgirão.

A sociedade está cada vez mais violenta, a falta de respeito e amor ao próximo virou uma constante, muitos  sociólogos estudam essa problemática, porém a resposta para essa situação está estampada em nossa frente: Educação.

Em tempos de governantes estrelados, percebemos que a violência aumentou, a droga se disseminou, a educação se dilui, a falta de oportunidades segue atrás.

As promessas dos nossos mandatários  é de fortalecer a segurança, mas a falta de oportunidades na educação, vai gerar ciclicamente violência.

Administrar a Educação não é colocar escolas e por seguinte dar nomes bonitos a elas,  não é criar projetos pífios que não vão a lugar nenhum, administrar educação não é obrigar professor fazer prova de certificação; gerir educação é nortear alunos e professores para o desenvolvimento de ambos, com propostas que possam tirar o alunado do obscuro, criando mais oportunidades para eles.

Não adianta alardear nos segmentos da valorosa imprensa  que a educação vai bem, se ela fosse bem, não existia essa convulsão social onde a falta de oportunidades transformou regiões de favelas em verdadeiros guetos cujo  poder paralelo se consolidou.

Nesse dia dos professores vamos glorificá-los, pois a situação não está pior ainda porque os nossos heróis  da caneta ainda norteiam muita gente que quer crescer, senão a anarquia geral e irrestrita já estaria dominando a "terra brasilis".

Grandes profissionais do magistério sigam em frente, sem olhar para trás,  pois não existe mal que dure para sempre, pois a vitória de quem pratica o bem é certa!

 

Marcelo de Oliveira Souza


Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Nota de Falecimento


Nota de Falecimento

Gostaríamos de informar que a Sra. Joelina Souza Ramos, carinhosamente apelidada por Lei/ Jói ; Filha da saudosa Eurídes Borges de Souza;  natural de Pedras ( Baixa Grande) - BA, faleceu no dia 02/10/2012 em Aracaju.
O seu sepultamento foi em Salvador nesse mesmo dia, agradecemos a todos os parentes e amigos que compareceram à cerimônia e aproveitamos para informar a todos que a missa de trigésimo dia vai ser na mesma cidade do sepultamento, Salvador,  no dia 31/10 às 17h, na Igreja do Santíssimo Sacramento, mais conhecida como Igreja São Raimundo, na rua de mesmo nome, localizada no centro, perto do  Orixás Center e da Caixa Econômica Federal.

****************************************************************************


Amor de tia


Pequena na estatura
Grande nas atitudes
Joelina colecionava amigos.
Estava em todos os cantos
Amparava todos com seu carinho,
Léi seguiu o seu caminho
A gente aqui sente sua falta.
Mas o chamamento divino
Inquestionável...
Nos faz aceitar,
Mesmo sentido sua ausência,
A Boutique do nosso caminho.

Santo Antônio o acompanhou
Contudo sua forte presença
Vai ficar na nossa lembrança
Minha tia do nascimento
Do meu crescimento e da formatura
e de todos o momentos
Que cravaram seu nome
Para sempre na nossa memória
E no nosso coração.

Marcelo de Oliveira Souza




sábado, 6 de outubro de 2012

O Prazer de Brincar

O Prazer de Brincar







O dia das crianças está chegando, muitas lojas se animando, como sempre o consumismo vigora, tomando o espaço da mídia com muitas "ofertas" para comemorar o seu dia.
O consumismo é tão grande que querem trocar o feriado nacional, que é de Nossa Senhora Aparecida, pelo dia das crianças, a homenagem do feriado é   da padroeira do Brasil, mas como a nossa padroeira só alimenta a alma e não os bolsos dos empresários, a sociedade está esquecendo o feriado católico.
Assim, esse dia  que é mais uma data privilegiada pelo consumismo, isso é muito sério, pois a criancinha não tem noção das coisas, ela está aprendendo aos poucos e cabe aos seus pais e mães orientarem e conversarem sobre esse grande problema.
Muitos deles esquecem a nossa maior lição, que é a do amor e companheirismo e "enforcam" o cartão de crédito para comprar o presente que a criança tanto almeja.
A lembrança tem a sua importância, contudo o mais importante para a criança é o companheirismo dos seus responsáveis.
No dia das crianças, olhe seu filho com carinho e vá brincar com ele, pois a criança só quer uma coisa: O PRAZER DE BRINCAR.


Marcelo de Oliveira Souza


Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

A volta do Horário de Verão

A volta do Horário de Verão!

 

 

Quando há propaganda política percebemos como a falsidade reina, políticos rindo à toa, abraçando com humildade a classe desfavorecida.

Antes de entrar no poder os "poderosos" nos chamam de patrão, amigo, colega, tomam café com o povão, na xícara sem asa, até em ônibus eles passam a freqüentar.

Até hoje não sabemos por que o povo aceita esse afago maldito, sabendo que ao chegarem ao poder o "jogo" muda.

Aproveitemos que a memória ainda está fresca e percebamos o quanto estamos sofrendo com o prefeito João que desistiu da cidade e com o governador Jaques, que castiga o nosso povo de tudo quanto é forma, agora ele inventa o retorno do horário de verão, ninguém que trabalha e acorda cedo quer, e o que recebemos?

Um novo horário de verão! Vamos despejar nossa raiva na eleição e dar um grande NÃO, para esses políticos que NÃO gostam do povo e se sentem dono do povo e da máquina administrativa.

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Banda de Pagode ou de Delinquência?




Banda de Pagode ou de delinquência?


Os componentes de uma banda de pagode "News não sei de quê" acabaram de sair da prisão, sendo acusados de estuprarem  as garotas no seu veículo de trabalho, um ônibus.
As adolescentes entraram no veículo-armadilha para tirar algumas fotos e pedir autógrafos aos "artistas" e foram estupradas por todos os rapazes que ali estavam, fazendo o maior rodízio.
Essas bandas de pagode  usam a mulher como tema de música pornográfica, expondo a humilhações públicas e  ainda têm mulheres que se dispõem a assistir esse espetáculo deprimente, onde são tratadas como pedaços de carne que satisfazem o desejo.
Elas, mesmo humilhadas verbalmente  respondem balançando as nádegas, com trejeitos insinuando a cópula.
Encima  eles gritam, embaixo o outros alucinados urram, nessa apresentação alucinante muita coisa acontece, será que ninguém percebe que essas músicas só faz mal à sociedade?
Longe de declararmos a volta da ditadura, mas essa exposição da mídia a shows deprimentes só pode acontecer isso, nesse caso o problema foi maior por um lado, pois o estupro foi dentro da armadilha, o covil deles, mas em quantos casos a violência não começa a partir de uma apresentação medíocre dessas.
O pior de tudo é que muitas outras mulheres e adolescentes ainda esperaram os suspeitos de estupro com a maior gritaria, a maior alegria, esperando mais uma apresentação deprimente de mais uma banda dita de pagode e ainda tem quem compre ingressos e o pior, CDs dessas bandas para atormentar a mente do vizinho e das pessoas que são obrigadas a dividir essa loucura que são tristemente chamadas de música.


Marcelo de Oliveira Souza

Antologia Gratuita sobre Gonçalves Dias




a) ANTOLOGIA “MIL POEMAS PARA GONÇALVES DIAS”
- cada Poeta poderá apresentar até cinco (cinco) poemas homenageando Gonçalves Dias. Formato A4, times New Roman, tamanho 12, espaço 1,0.
- enviar adjunto currículo literário resumido (no máximo seis linhas), em que conste data de nascimento, cidade e país de origem; com foto atualizada, 
- a aceitação dar-se-á na ordem de recebimento da (s) obra(s), até se completarem os 1000 (mil) poemas. Um mesmo autor poderá mandar uma poesia, caso queira enviar outra obra posteriormente, dentro do limite de cinco (05) por Poeta, poderá fazê-lo, indicando que já enviou uma primeira obra; sendo colocadas todas juntas.
Envio de Poesias para: dilercy@hotmail.com

ESTUDOS E PESQUISAS
- cada autor ou co-autor poderá enviar até dois (02) textos, com o máximo de 20 (vinte) páginas, formato A4, Times new Roman, tamanho 12, espaço 1, incluindo bibliografia e fotos.
- ao enviar sua obra, deverá vir acompanhada pequena bio-bliografia, com foto atualizada, em que conste o motivo de participar da antologia; cidade e país de origem; 
- a publicação se dará na ordem de recebimento da (s) obra(s). 
Envio de Trabalhos para: vazleopoldo@hotmail.com



segunda-feira, 1 de outubro de 2012

II Concurso Literário de Poesias PAGUE MENOS


A Rede de Farmácia Pague Menos, com sede em Fortaleza deu um passo à frente das outras empresas.
Já organiza um concurso nacional de poesias pela segunda vez.
Esse ano fui premiado com Menção Honrosa, ansioso para a próxima versão!

Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

Brasileira vende Virgindade


Brasileira Vende Virgindade


Antes, essa condição  que era tão valiosa, um símbolo que era levado até o casamento, uma prova de amor para com o cônjuge, hoje virou  mercadoria.
Assim que a estudante Catarina fala sobre a sua virgindade, a mulher foi selecionada por um programa australiano Procurando Virgens, essa pessoa que colocou a sua condição em leilão, já tem diversas propostas, a maior delas já ultrapassa duzentos mil reais.
A sua genitora foi inquirida sobre esse leilão, foi dito que ela queria somente a felicidade da filha, não falou em apoiar, mas a imprensa sensacionalista já disse que os pais apóiam.
A mulher falou que isso não é prostituição, pois quem faz  somente uma vez não pode ter esse rótulo, tentando desviar a má conduta e o péssimo exemplo para a sociedade e futuramente até para os seus descendentes, entre risos e brincadeiras, ela vai embolsar uma boa grana.
Assim é o nosso mundo que está se destruindo em meio a consumismo, onde jovens de classe média alta estão se prostituindo  e roubando, em nome do vil metal.
Agora se pessoas ditas "de família" estão dando esses exemplos, imagine o que  outras que não têm oportunidade e que vêm de lares desfavoráveis estão sujeitas a fazer se acompanharem esse péssimo modelo de comportamento, pois aqui no Brasil a nossa sociedade do capitalismo selvagem não perdoa, só valoriza que tem dinheiro e depois todos ficam estarrecidos com atos de cinismo ou de desespero em prol da roda da fortuna e do dinheiro fácil.




Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Dezesseis anos de Violência

Dezesseis anos de Violência

 

 

Quando as pessoas falam que o Apocalipse está chegando, muitos incrédulos torcem o bico, pensam que pertencemos a alguma religião.

Entretanto há muitos casos que a bíblia antevê comportamentos que não podemos aceitar,  como o caso de filhos baterem em pais e mães, roubarem seus genitores, humilhá-los e até os comerem.

Isso mesmo, lá no Rio de Janeiro, na Baixada Santista, um adolescente de dezesseis anos atacou sua mãe de trinta anos de idade, arrancou o seu olho e o comeu.

Assim o nosso mundo está se destruindo, as pessoas não respeitam mais a idade das outras,  muitos trabalham e ainda estão sujeitos a essas violências escabrosas. Como aconteceu essa semana em Salvador, onde um professor de quase setenta anos de idade, que já deveria estar aposentado, foi agredido por um aluno de dezesseis anos, por ter sido chamado atenção, levando muitos socos na saída do colégio.

Muitos menores de idade, hoje,  são os verdadeiros algozes da sociedade, ao invés de considerar  o próximo, eles fazem justamente o contrário. São mães perdendo vida, irmão ferindo irmão de sangue, familiares perdendo partes do corpo, profissionais agredidos, muitas vezes por motivos fúteis.

Tudo isso é por causa da dissolução  da família, pois quem não respeita pai e mãe, não vai respeitar ninguém e não podemos ficar reféns de pessoas desse tipo, uns defendem a escola ao invés da punição de reclusão, mas o professores também estão "caindo no pau".

Será que não passou da hora de revermos a nossa legislação e tratarmos com mais seriedade essa violência, será que não devemos reduzir a maior idade penal, antes que mais pessoas sejam fatalmente agredidas?

 

 

Marcelo de Oliveira Souza



Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Confissões Poéticas

Lançamento do Livro  de Poesias Confissões Poéticas

 

Já imaginou um livro de poesias de temática universal, que aborde temas sobre espiritismo, morte, religiosidade, 11 de setembro nos EUA, educação, Cora Coralina, meio ambiente, grandes navegações, amor e outros tantos temas?

Essas Confissões Poéticas tem tudo isso, adquira o seu, no lançamento do livro lá no Campo Grande!


Valor do Livro: Vinte Reais!

Pelos correios: 25,00

 



Marcelo de Oliveira Souza
http://marceloescritor2.blogspot.com
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net

Barulheira na Ribeira


O povo sofre demais em Salvador, como se não bastasse o desserviço que os nossos administradores prestam, ainda tem gente mal educada que transforma o seu carro particular em carro de som, é o que  acontece na Ribeira e em muitos outros bairros, é música de baixo astral e mulheres balançando as nádegas, uma tristeza.
Assim, o cidadão de bem tem que se trancar em casa para conseguir fazer alguma coisa na sua casa-prisão de final de semana.

Marcelo de Oliveira Souza