Seguidores

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

UFO

UFO 





Lá de cima 

Vejo uma luz 

Encima da neblina 

Com um facho que ilumina 

De forma discoidal. 



Uma coisa que não é normal 

Não é avião, Helicóptero. 

Voa até em espiral 

É algo intrigante e sensacional. 



Se eu for falar 

Ninguém acredita 

Mas a verdade existe 

Pairando lá fora persiste 

Num movimento 

Que não  é  usual. 



O povo sai correndo 

De dentro do canavial 

Onde todos comentam assustados 

Na verdade surreal. 

A sua marca fica no solo 

Num desenho colossal 



Uns dizem que é mensagem 

Outros dizem que é sinal 

A curiosidade arde 

Com o evento descomunal 

Mas no outro dia ... 

Todos fingem esquecer 

Com medo do que possa acontecer 

Com essa história de UFO 

Ser na vida real. 





Marcelo de Oliveira Souza,iwa 

 

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

A Hora do Protesto



A Hora do Protesto





Nesse dia de protesto contra os desmandos dos nossos governantes pelas   mudanças na previdência e nas leis trabalhistas, não poderíamos deixar de falar sobre esses assunto tão importante, onde mais uma vez os brasileiros têm que arcar com as contas dos inúmeros “desmandos” financeiros dos nossos gestores.
As  pessoas com certeza estão nas ruas protestando, gritando de diversas formas, mas os nossos algozes já estão acostumados e com a cara lavada com tanto banho de protesto,  é capaz ainda de estarem se divertindo com tanta encenação, eles já não ligam com esses atos, isso já é coisa do passado, pois o mundo mudou e temos que raciocinar como seriam esses protestos, porque  nesse “nosso” Brasil nada dessa forma vai adiante, greve não vai mais adiante, principalmente na nossa conjuntura atual de perdas de direitos.
Ainda o que segura esse “povo” é realmente o poder do voto, onde a gente mesmo,  vota mal, escolhe os péssimos gestores, que fazem as suas ricas propagandas um verdadeiro palco de paixões, mostrando  inúmeros projetos de onde o país dá certo, contudo vai dando cada vez mais errado.
Teríamos  que usar a nossa obrigação de votar a nosso favor, pois o voto é a verdadeira arma para aniquilar os “incompetentes” do poder,  mas essa “arma” somente vai para quem realmente tem uma consciência política, pois se fosse num país de verdade jamais votaríamos em candidato corrupto, bandido com a folha podre, mas quando chega a hora do voto, as pessoas esquecem o que determinados políticos fizeram e assim a nossa História continua com muita corrupção e muito sofrimento, porque pior do que esses péssimos políticos é quem vende nosso país por um saco de cimento ou algo até menor, isso dificulta que o Brasil siga rumo ao futuro, cujas pessoas estão cada vez mais cerceadas de tudo.
Quando  pararmos para refletir sobre o que é um protesto, sobre como fazer greve de verdade, as coisas iriam mudar;  vamos fazer greve sim, boicotando esse povo na hora da eleição, vamos fazer greve de verdade ausentando-nos  das maiores festividades, sem compras no Natal, Carnaval, sem bebidas alcoólicas...
Aí sim  teríamos uma greve de verdade, sem violência, mas com muito barulho, entretanto  como isso não irá acontecer, vamos ficar eternamente gritando, esperneando e perdendo tempo defendendo ou acusando políticos que não ligam, nem ligarão para  jamais para  nenhum de nós.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Finados III







Finados III 



De mortos acabados 
A Corpos enterrados... 
Com choros desesperados 
Vieram os obsidiados 
E os azulados... 
Numa evolução 
Os mistérios, desvendados 
A roupa costurada 
Largou a alma atordoada 
Tudo modificado, 
A venda foi tirada! 
A energia renovada 
Mais um passo alcançado 
Na expiação designada 
Saindo feliz... 
Com a missão concretizada 
Esperando uma nova visita 
Instaurada. 
Não descansamos mais 
Nem voltamos atrás 
Trabalhamos mais, 
E temos a alma novamente 
Libertada! 



Marcelo de Oliveira souza,iwa

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na Academia de Letras do Brasil/MS




Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na Academia de Letras do Brasil/MS 


O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas; Sobrevivendo; tem o prazer de comunicar a sua entrada em mais uma academia, onde dessa vez teve a honra de figurar na Academia de Letras do Brasil, seccional de Mato Grosso do Sul, presidida atualmente pelo competente escritor e editor Rogério Fernandes Leme. 
Onde faz a questão de externar o seu agradecimento pela honraria ao sr. presidente e a todos que acompanham a sua trajetória. 

Marcelo de Oliveira Souza,iwa 

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Dia do Poeta!




Dia do Poeta

Não existe noite
Sem dia,
Não existe tristeza
Sem alegria,
Não existe ação
Sem letargia,
Não existe vida
Sem nostalgia,
Não existe família
Sem dinastia...

Não existe carinho
Em demasia...
Não existe amor
Sem fantasia
Não existe dia do poeta
Sem poesia!


Marcelo de Oliveira Souza,iwa


O Fétido Problema







O Fétido Problema


A nossa cidade de Salvador é  mundialmente conhecida pelos seus inúmeros atrativos naturais, ela é privilegiada também  por ser praticamente cercada por água.
Uma das grandes vantagens da nossa terra é isso, a sua localização, temos o privilégio de ter duas cidades em uma só, a cidade alta e a cidade baixa.
O turismo aqui poderia até ser bem melhor, se os nossos gestores pensassem um pouco em valorizá-la, visto que se chegar um dia de domingo e não tiver praia,  e não formos passear na Barra ou Pelourinho, a cidade praticamente some, pois sobram poucos lugares de visitação como o Parque da Cidade, o Parque de Pituaçu e o Dique do Tororó,  o que é muito pouco para uma imensa cidade com a quarta população do país.
Não podemos nem relacionar  a Lagoa do Abaeté, que  se destruiu, um lugar bucólico cercado por dunas, mas foi deixado ao desprezo pelos órgãos responsáveis e hoje não tem condição nenhuma de poder frequentar o local.
O Parque da Cidade, que foi reinaugurado há pouco tempo, só tem a parte da frente, se andarmos pelo local por completo, não voltamos por causa da bandidagem, mesma coisa é o Parque de Pituaçu.
O único lugar que podíamos dar uma volta por completo era o Dique do Tororó, é pequenininho mas dava para fazer uma caminhada, tirar umas fotos, mas agora perdemos até esse local aprazível, pois com o descuido, deixaram algas perniciosas proliferarem e tomarem conta do espelho d’água, tornando o local uma fedentina pura, ninguém tem condição nenhuma de dar uma voltinha sem sair enjoado ou enojado com tanto fedor, mas o que fede mais ainda é a relação entre o governo e a prefeitura, que não se entendem, no que tange a quem vai resolver esse fétido problema.
Precisamos urgentemente de uma cidade acolhedora, que não possamos ter medo de visitar nossos pontos turísticos, pois quem vem de fora sai com uma impressão ruim, mas quem está aqui tem que conviver e sofrer diariamente com isso.


Marcelo de Oliveira Souza.IWA


domingo, 15 de outubro de 2017

A Última Fronteira - homenagem ao dia dos professores -





A Última Fronteira
.

Nesse ponto de união
A escola fez-se emancipação
Culturas, mundo e teoria
Todo  mundo na educação.

Do medo sai a força
Da tristeza, alegria...
Na educação da agonia
O professor faz milagre
Um rosto perdido, se irradia.

O professor pega a dianteira
Ele é a última fronteira!
Curte, define, atina
Mas diante do caos
O professor  nos ensina.

Adulto, menino ou menina,
Alguns sucumbem na sua cina...
Mas a luz do seu ser
...Ilumina seu dia e fascina
Todo  mundo que quer aprender.

Ele se esquece de tudo
Só vivendo o agora,
No mundo que é a escola
E o estudo...
Ele ensina a viver.

E quando chega
O fim do dia,
O professor se recolhe
O assunto ele escolhe
Colocando o trem
No trilho da vida
Onde a sua estação
Você vai conhecer.


Marcelo de Oliveira Souza,iwa

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

O Prazer de Brincar



O Prazer de Brincar 


O Dia das Crianças está chegando, muitas lojas se animando, como sempre o consumismo vigora, tomando o espaço da mídia com muitas “ofertas” para comemorar o seu dia. 
O consumismo é tão grande que querem trocar o feriado nacional, que é de Nossa Senhora Aparecida, pelo Dia das Crianças, a homenagem do feriado é da padroeira do Brasil, mas como a nossa padroeira só alimenta a alma e não os bolsos dos empresários, a sociedade está esquecendo o feriado católico. 
Assim, esse dia que é mais uma data privilegiada pelo consumismo, isso é muito sério, pois a criancinha não tem noção das coisas, ela está aprendendo aos poucos e cabe aos seus pais e mães orientarem e conversarem sobre esse grande problema. 
Muitos deles esquecem a nossa maior lição, que é a do amor e companheirismo e “enforcam” o cartão de crédito para comprar o presente que a criança tanto almeja. 
A lembrança tem a sua importância, contudo o mais importante para a criança é o companheirismo dos seus responsáveis. 
No dia das crianças, olhe seu filho com carinho e vá brincar com ele, pois a criança só quer uma coisa: O PRAZER DE BRINCAR. 

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!


Marcelo de Oliveira Souza,iwa

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Aniversário da Padroeira






Aniversário da Padroeira 



Santa mãe querida 
Nossa senhora Aparecida 
Cuidai da nossa vida 
Nesse seu dia de alegria. 



Emprestado para as crianças 
Seguimos nossas esperanças; 
Todos lembram do seu dia, 
Como uma grande sinfonia 
Cantamos e vibramos 
De qualquer maneira 
O aniversário da nossa 
Padroeira! 

* Homenagem à padroeira do Brasil


Marcelo de Oliveira Souza,IWA

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Outubro Rosa!


Outubro Rosa 


As rosas vão sendo apertadas 
Elas vão desfalecendo... 
As pétalas caindo, 
Umas dão o retorno 
Com uma espetada, 
Não podem ser maltratadas! 
Outras rosas são apertadas 
Apalpadas e cuidadas 
São tão singelas quanto... 
Ainda mais amadas 
E cuidadas, mesmo na pressão ! 
Com as mãos espalmadas 
Elas procuram atenção 
De um lado e do outro 
As rosas são atendidas 
Muitas saudáveis outras feridas... 
Mas nunca são atingidas 
Pela foice maldita 
Quando para o autoexame 
For dirigida. 

Homenagem à campanha Outubro Rosa!

Marcelo de Oliveira Souza,iwa

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Mariana!





Mariana 

A água represada 
Um dia pronta 
Bem tratada 
Esperando ser usada. 

Um rompimento 
Com muito sofrimento 
O minério do falecimento 
Eclode em Mariana. 

A menina sofrida 
Toma mais um susto 
Tudo fica revirado 
A lama é um atentado. 

Vai destruindo o mundo 
Todo tipo de vida 
Vira sombra e dor 
Mariana sofre 
E passa para frente. 

O caminho maldito 
Onde a lama passa 
Tudo é destruído 
O povo reclama 
A água se esvai. 


Só fica a tristeza 
De quem perdeu tudo 
E a esperança do absurdo 
De um dia ser reparado. 


Sobre o rompimento da represa minera em Mariana,MG Brasil, que nessa semana  completa dois tristes anos.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Nibiru



NIbiru

Como sabemos, nosso sistema solar tem  uma infinidade de planetas que orbitam ao redor do sol, todos numa trajetória anti-horária, sendo que o nosso  tem 365 dias e uns quebrados para completar a trajetória.
Recentemente tivemos a oportunidade de saber sobre  um planeta chamado Nibiru, ou Planeta X,  que  tem dez vezes a massa da Terra, onde foi estipulada  a trajetória ao redor do nosso sol demorando  milênios para concluí-la, chega-se a falar que já foi visto a olho nu,  em alguns países, mas segmentos do governo americano - que detém a maior informação - não revela para as pessoas com medo de que possa causar pânico na sociedade mundial, como existem mais segredos desse tipo do que possamos imaginar, essa hipótese tem que ser levada bem a sério.
Quando esse corpo celeste se aproximar, acontecerá uma infinidade de desastres naturais como terremotos, furacões, pois o magnetismo do nosso planeta será seriamente afetado, sem falar que se esse "intruso” se aproximar demais da Terra, temos a possibilidade de que haja problemas muito piores, como a nossa destruição.
Se observarmos atentamente,  tudo isso descrito  vem acontecendo, até aqui no Brasil – no Paraná – teve terremoto de mais de sete pontos na escala Richter, onde se quisermos nos aprofundar no assunto, existe um vasto acervo sobre esse tal planeta e sua trajetória, que muitos falam que chegará ao seu ponto mais próximo com a Terra no dia 23 de setembro, mas como esses cálculos astronômicos tem uma margem de erro muito grande não sabemos ao certo o dia.
Não estamos propalando essa informação para que as pessoas possam se desesperar, mas o conhecimento dos fatos e da verdade sempre é bom, pois se tiver de acontecer alguma coisa mais séria, somente os poderosos conseguirão ter o seu passaporte para a salvação e nós, vamos assistir tudo de camarote, até a cena final.


Marcelo de Oliveira Souza,iwa

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Dor de Onze de Setembro




Dor de Onze de Setembro 


Lá de cima, no céu vem aquele imenso clarão 
Acompanhado de um grande trovão 
Colocando em desespero a população, 
O povo correndo em comoção 
Gritos de horror, salvem a multidão! 
Tá tudo caindo, o mundo se destruindo 
Terremoto se esvaindo 
A torre se diluindo... 
Aquele arranha céu lindo ! 
Agredido por monstros alados. 
O fio dos desesperados 
Pobres coitados ! 
Dentro dos dois paus gigantes viraram nada ! 
Esse nada que hoje é tudo 
Que sobrou do fim do mundo... 
A torre de babel bendita 
Caiu na armadilha maldita, 
Deixando como herança setembrina 
Mais um exemplo que alucina... 
A dor cravada no peito 
Não cessou direito 
E todo ano tem o mesmo efeito 
De quem morre, sofre e carrega para sempre 
A dor do luto no peito... 






  • Homenagem Às vitimas do Onze de Setembro
  • Do livro Confissões Poéticas


Marcelo de Oliveira Souza,IWA -  Salvador - BA - Brasil
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras
Instagram: marceloescritor

domingo, 10 de setembro de 2017

V Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza




V Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,IWA
(inscrições de 11 de setembro 2017 até a cota do livro estiver preenchida - 80 autores)


 

Realização dos sites:
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net; http://marceloescritor2.blogspot.com e faceboook.com/psfronteiras
Apoio: Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências /RJ; Academia de Letras de Teófilo Otoni /MG; Clube dos Escritores Piracicaba SP; Sociedade Ibero Americana de Escritores: Academia de Letras e Artes do Ceará
Com o objetivo de estimular escritores de todo o Brasil e de outros países, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 4a edição.
Em parceria com o Celeiro dos Escritores, TODOS os trabalhos participantes do evento estarão publicados na Antologia; e todos os autores receberão um exemplar da obra, na residência, sem nenhum ônus além da taxa de inscrição ( Livro via Correios, registrado).
Nesse Prêmio aceitaremos todas as expressões artísticas literárias: Contos, poesias, crônicas, haicais, etc. Desde que: O poema tenha até 35 versos e a crônica, conto ou outra expressão não passe de 1500 caracteres.
Taxa de inscrição: R$ 48,00 que corresponde a 01 exemplar da Antologia.
(A ser paga através de boleto bancário, que será enviado ao autor inscrito, pelo Celeiro.)
Atenção:
a) Autores de Fora do País: 35 dólares ou euros.
b) Menores de idade: Só a partir dos 16 anos completos.
c) É permitido participar com mais textos, observando: Um texto para cada inscrição.

Exemplo: 01 inscrição - R$ 48,00 = 01 exemplar da Antologia.
02 inscrições - R$ 96,00 = 02 exemplares da Antologia e assim sucessivamente.

Dúvidas: entrar em contato com: Marcelo Souza – cel/whatsapp : 71-92510196 e-mail : marceloosouzasom@hotmail.com.
O RESULTADO dos vencedores será divulgado no site oficial do concurso:
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net; http://marceloescritor2.blogspot.com;faceboook.com/psfronteiras, por e-mail.

Premiação:
1°lugar: Troféu Personalizado + Camisa Oficial do Olodum Tam G+ Certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso
2° lugar: Certificado + Livro Poemas do Brasil + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso.
3° lugar: Certificado + Revista da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso.
*
Menção Honrosa Internacional: Daremos uma menção ao melhor autor estrangeiro que não esteja entre os três primeiros lugares: Certificado + Livro Poemas do Brasil  + Brinde Lembrança de Salvador + poesia em destaque na Antologia e no site oficial do concurso – caso não tenha autor estrangeiro o prêmio se extinguirá automaticamente.

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Organizador e patrono do evento
Obs: O livro Poemas do Brasil é uma Antologia de autores brasileiros formado a partir de um grupo no Watssapp ;

Inscrições somente através do site:
http://celeirodeescritores.org/inscricao.asp 
Opção : Prêmio Escritor Marcelo 


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Sonho de Sete de Setembro


Glorifiquemos a Independência 
com orgulho e satisfação 
Um País gigante, de influência 
Formador de opinião. 

Políticos de sapiência 
Que ama o povo e a educação 
Exaltando nossa bandeira 
Símbolo da Nação! 

A virtude da igualdade 
Em cada segmento 
A saúde com récorde de desenvolvimento 
Curando a ferida aberta sem sofrimento. 

Respeito mutuo e contentamento 
Uma grande virada 
no nível de vida 
Bloqueiando os ressentimentos. 

O Brasil que é campeão 
Não só no futebol 
Que era homenageado e gritado 
Por desempregados e desdentados. 

Celeiro do mundo 
Exportador de Tecnologia 
O Brasil potente 
Cheio de alegria. 

Acorde ! é só hoje que podemos sonhar 
Amanhã tudo permanece igual! 




Marcelo de Oliveira Souza,iwa

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Nau dos Desesperados!


Nau dos desesperados



A nossa cidade de Salvador é praticamente uma ilha, somos uma região costeira, mas nem por isso temos a oportunidade de desfrutar essa  benesse  presenteada por Deus, o pouco serviço marítimo oferecido à  população,  é verdadeiramente precário.
Sendo uma metrópole turística, teríamos que investir muito mais no nosso dom natural, mas o que vemos são lanchas, navios e tudo que flutua -  não podemos chamar de barcos – sucateados.
Os Ferrryes são embarcações antigas que quebram rotineiramente, os usuários são tratados com descaso, pagam caro por um serviço essencial, por isso eles aproveitam para usurpar a dignidade dos passageiros, pegando enormes filas da agonia, tanto no Terminal  Marítimo de Salvador como no de Bom Despacho, onde a Ilha do Desespero – Itaparica – poderia ser um balneário turístico, contudo o que encontramos é outro descaso.
Os nossos governantes propagandeiam obras tamanho G, mas  esquecem a segurança e o zelo pelas preciosidades ao seu redor.
Nessa briga de prefeito e governo, a gente sai como sempre perdendo, onde na semana passada eclodiu a podridão náutica, que flutua pela Baía de todos os Santos, virando uma embarcação num arrecife, numa manobra infeliz, virando com 133 pessoas a apenas duzentos metros da praia, mesmo assim morreram 23 pessoas, é algo inconcebível para a nossa região, onde desastres desse quilate nunca aconteceram, mas muitos incidentes náuticos rotineiramente acontecem com embarcações de passageiros de todos os tipos, ficando à deriva na nossa baía, só que é abafado, até por falta de combustível tem embarcação ficando à deriva.
Esse caso muito sério precisa ser olhado com atenção pelos órgãos responsáveis, onde fatalidades desse tipo têm que ter uma punição rigorosa, porque não é apenas nessa travessia, tampouco nos  Ferryes esse tipo de desleixo, é em toda a Bahia, fato que tem sido sempre denunciado pelos seus usuários, mas a denuncia deles, é muito pouco diante do que acontece, se formos computar realmente, teríamos um numero assustador.
Deixamos nosso apoio a todos que perderam seus entes na tragédia do Cavalo Marinho, pois não é fácil perdermos pessoas dessa forma, que essa triste mensagem tenha sido um aprendizado a todos,  para exigirem  seus direitos de serem tratados não apenas como consumidores, mas como seres humanos que precisam de respeito.



Marcelo de Oliveira Souza.iwa








Marcelo de Oliveira Souza,IWA -  Salvador - BA - Brasil
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras
Instagram: marceloescritor

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Soldados da Nossa Nação!




Soldados da nossa Nação! 

Marcha forte 
Com perfeição 
Coturno, boina, 
Fuzil na mão. 
A Estratégia do capitão, 
É sinônimo de perfeição! 
Defesa armada 
Da nossa Nação. 
Todos eles, somos nós 
Gritando numa só voz: 
- Estamos sempre de prontidão! 


Norte, sul, tem fronteira... 
De toda forma e maneira, 
Aparecem na dianteira 
É a nossa salvação! 
No peito do soldado 
Pulsa nosso coração 
Sozinhos, no frio e no calor 
Na altura e na dor, 
Há sempre superação. 

Sempre preparados para a guerra 
Na paz a responsabilidade 
Não se encerra 
O braço forte da nossa era 
Em cada um deles, temos um campeão! 

Marcelo de Oliveira Souza,iwa 
*Homenagem ao Dia do Soldado. 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A Inevitabilidade da Morte!





A Inevitabilidade da Morte





Diante da inevitabilidade da morte, as pessoas caem no desespero perante um poder muito maior que a gente, em que não suportamos quando a dona da foice passa a sua sentença.
Como faz parte de todo o desenvolvimento da vida, ela vem naturalmente, imponente, muitas vezes sem a gente perceber; outras vezes ela manda o convite que as pessoas teimam em não receber, onde viramos um paciente impaciente, sofrendo com uma doença terminal.
Nesse caso não é apenas o enfermo que sofre, a família toda sente o impacto, onde esse doloroso tombo aos poucos vai corroendo as nossas resistências, da mesma forma que destrói o senso lógico de cada um.
Uns perdem até a fé em Deus, chegando até a amaldiçoá-lo, outros se apegam  mais ainda por um milagre que poderá não vir e depois do tombo vira-se contra o ser celestial, pois a intensa dor os impede de concatenar suas ideias.
Tem outros que mudam a sua religião não hora final, passa a aceitar dogmas totalmente contrário à sua experiência de vida.
Mesmo a morte nos traz muitas lições, muitos aprendizados são adquiridos diante dela, onde na maioria das vezes as pessoas depois de um tempo se resignam, tentando lembrar da época boa em que esse ente querido estava vivo, das mensagens que ele tentou enviar na sua passagem para o além; outras vezes o falecido é o alicerce de uma família que por sua fez se desmorona e não tem mais como reconstruir, mesmo diante de tanto sofrimento as pessoas não aprendem nada.
A inevitável morte nos intriga, tem cientista que estuda isso há anos, uns dizem que num futuro distante ela terá dificuldades de vim ceifar as almas, mas enquanto isso não acontece, temos que estar preparados para ela, mesmo que seja uma retórica, é a mais perfeita verdade, principalmente nessa época aqui no Brasil, onde o valor da vida está menor a cada dia, onde saímos e não sabermos se voltamos, em que o consumismo virou uma religião e o amor perante o nosso criador caiu no ostracismo. 

Homenagem póstuma à Paulo Silvino e às vitimas do triste atentado em Barcelona e região.
 



Marcelo de Oliveira Souza,IWA -  Salvador - BA - Brasil
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras
Instagram: marceloescritor