Seguidores

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Faroeste Urbano

(Foto de Um ponto do Ponto de ônibus do Conjunto Edgar Santos, Eng Velho de Brotas, Salvador, Bahia.)

Faroeste Urbano

 

 

Para quem deseja entrar em Brotas, através da esburacada Avenida Ogunjá pensa logo em entrar pela Rua Professor Aloísio de Carvalho Filho, a famosa Rua do CREA.

Apesar de ser uma importante via de acesso, para o Engenho Velho de Brotas, os prepostos da prefeitura não olham para a perigosa situação que acontece naquele nicho.

Além dos buracos de sempre, essa movimentada rua tem seus passeios ocupados por diversos carros de oficinas de beira de rua, os mecânicos chegam até a colocar cones no local, para que os motoristas não atropelem que está ali agachado consertando o veículo.

Os dois lados são ocupados, a população local tem que andar na rua, aumentando o risco de acidentes, a Transalvador já foi avisada diversas vezes, contudo esse inapto órgão diz que não pode fazer nada senão multar, contudo o caso continua grave e os carros continuam ali.

Os motoristas insistem em colocar seus veículos em qualquer lugar, a região é tomada, pelo desrespeito ao bem público, o falecido Parque Solar Boa Vista também  virou estacionamento de carros e caçambas, não esqueceram nem de "tomar" o ponto de ônibus do Conjunto Edgar Santos, que agora também virou estacionamento.

Aqui nessa célula da cidade é apenas uma amostra de como a cidade toda  está entregue às baratas, todos fazem o que querem, passando por cima de todas as leis, nesse faroeste  urbano.

 

 

Marcelo de Oliveira Souza

 

 

 






terça-feira, 20 de novembro de 2012

Alunos x Professsores




Alunos X Professores

A relação entre alunos e professores vem se deteriorando cada vez mais, cujos noticiários apontam para a falta de preparo dos profissionais de educação como sendo  a causa desse grande problema.
A nossa sociedade vem se modificando, com todo esse fascínio pelo capitalismo e tecnologia, agregada à falta de orientação de muitos pais e dissolução da família e religião, tendo como resultado toda essa celeuma.
Muitas crianças estão criando autonomia, como muitos já afirmam, usam celulares, internet e tudo que possa ostentar a maravilhas do mundo moderno, de forma desregrada, crescem e não tem orientação nenhuma sobre respeito, amor ao próximo e tampouco como se comportar na sala de aula.
Muitos acham que os professores por estarem dividindo o espaço, são meros coleguinhas, e o pior que são tratados como o “coleguinha” que veio reprová-los.
Diante dessa rusga, aparece a falta de controle de muitos pais, mentalidade essa que se estende para dentro dos muros escolares.
Os profissionais da educação muitas vezes não têm apoio de uma  direção competente, trabalhando em um ambiente desfavorável, tudo isso acarreta dificuldades no trabalho; muitos adolescentes pensam que escola é lugar de namorar, levar aparelhos de som e todo comportamento que não condiz com o aprendizado, passando a usar esses objetos até durante a aula e não aceitam que ninguém interfira nessa conduta.
Como os interesses são conflitantes, surgem problemas de agressão a professores, a maioria verbal, contudo ocorrem muitos casos que professores se omitem, mas também são agredidos fisicamente, principalmente quando o caso é com professoras, mais fracas, são mais expostas, mesmo diante disso, alguns adolescentes não consideram e realmente tratam-na de formas inadequadas, apelidando, hostilizando passando onde desejar.
Os valorosos  profissionais da área quando não dão sorte de encontrar um colégio onde a direção é atuante, ficam relegados ao descrédito, sendo taxados como professores que levam problemas; assim, esses profissionais muitas vezes sofrem calados todo esse assédio, quando estouram, ficam doentes fisicamente, mentalmente ou até podem passar de vítimas a agressores.
Nessa relação difícil, o professor tem a obrigação de ter um controle emocional, mas a linha entre a sanidade e a loucura é tênue, na hora que um adolescente é agredido todos apresentam-se  para taxar, impingir, apontar...
Os teóricos em educação são os primeiros a levantar a bandeira pedagógica contra a violência na escola, mesmo que nem frequentem o ambiente escolar e se for para jogar mais uma “pedrinha” no professor, melhor, pois vende mais livros.
Assim é o cotidiano do professor, muita luta e pouco reconhecimento de todos, mas tudo isso não será uma bela orquestra feita para que os pobres continuem pobres, os ricos sempre ricos e os políticos sempre políticos?


Marcelo de Oliveira Souza






sexta-feira, 16 de novembro de 2012

VIII Concurso LIterário POESIAS SEM FRONTEIRAS



VIII CONCURSO LITERÁRIO POESIAS SEM FRONTEIRAS        
           (inscrições de 10 de agosto até 20 de dezembro de 2012)


Apoio: Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências ;  União Brasileira dos Escritores/BA;

Com o objetivo de estimular poetas de todo o Brasil e de outros países, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 8ª edição.
Os interessados devem enviar uma única poesia, tema LIVRE (digitada ou datilografada) inédita sob pseudônimo, em duas vias, dentro de um envelope maior. No envelope menor, deverá constar a ficha de inscrição que  será criada pelo autor, com  o nome, endereço completo, idade, profissão, escolaridade, título da poesia, pseudônimo, telefone, e-mail (se tiver), comprovante de depósito de R$ 9,00, em nome de Marcelo de Oliveira Souza, conta poupança BRADESCO : No 5920 digito 0 Agência 3679 digito 0. Não se esquecer de dizer como tomou conhecimento do concurso e se já participou de outras versões.
Obs:  Não aceitaremos poesias por e-mail ; menores de idade podem participar desde que seja com a autorização dos pais ; Inscrições de países de outra língua também serão aceitas desde que estejam na língua oficial do concurso – Língua Portuguesa; Quanto aos trabalhos enviados, no final do concurso, serão incinerados;  Caso não haja autor menor e/ou estrangeiro a premiação se extinguirá; O autor poderá participar com mais de um trabalho, para isso terá que efetuar nova inscrição e pseudônimos diferentes;
O Livro Confissões Poéticas é do autor MARCELO DE OLIVEIRA SOUZA, organizador do concurso; O Livro Varal Antológico II é  um projeto organizado por Jacqueline Aisenman.; Os Livros "30 Anos de Poesia" e "Memórias do Inferno Brasileiro" são do autor Valdeck Almeida de Jesus .

Formas de pagamento:
• Em espécie junto à ficha de inscrição (envelope menor)
• Depósito Bancário ou transferência de conta
• Fora do país:  Cinco  dólares / euros  ou em moeda vigente de cada pais no valor correspondente.

RESULTADO: Dia 10 de janeiro de 2013
No site oficial do concurso; nos blogs marceloescritor;  por e-mail, para quem enviar o endereço eletrônico e por carta para quem não tiver e-mail.
1°lugar: Troféu + certificado  + Livro Confissões Poéticas   + Livro Varal Antológico II
2° lugar: Troféu + certificado + Livro Varal Antológico II + Pen Drive 4GB
3° lugar: Certificado   + Livro  "Memórias do Inferno Brasileiro"
4° Lugar:  Certificado + Livro "30 Anos de Poesia"
5° Lugar:  Certificado + Livro "30 Anos de Poesia"
Menções Honrosas: Uma  para o autor Nacional Juvenil, menores de idade; outra para
 o  autor Internacional;  cuja premiações  serão:   Nacional Juvenil: certificado + Livro Varal Antológico II + MP3 + Camisa Tamanho M do site “Galinha Pulando” ; Internacional:  certificado  + Livro Confissões Poéticas + Livro “Memórias do Inferno Brasileiro”

Todos os vencedores do concurso terão seu trabalho publicado no site www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net
Contatos: marceloosouzasom@hotmail.com e celular 71-81553677     
Enviar carta registrada para:   
VIII Concurso literário: Poesias sem Fronteiras
A/c escritor Marcelo de Oliveira Souza Conjunto Edgar Santos Bloco 14/204
Engenho Velho de Brotas  Salvador  Bahia   BRASIL CEP 40240-550

Flores Urbanas



Flores Urbanas


Numa terra ocupada
O ser humano é o maior culpado
A flor não respira...
Ela piora com a poluição,
Folhas sujas de fumaça
Uma cinza que sufoca.
As flores urbanas sofrem.
As pessoas sofrem...
A natureza reluta...
O povo luta.
Mais prédios aparecem,
No amanhecer ninguém conhece.
Ninguém merece...
A floresta empedrou
A pedra dominou,
As flores raras se escondem
As flores de plástico aparecem
E no mundo artificial
A ruína é total
Pobre desse animal
Num desenvolvimento total
Vai sucumbindo, definhando
Até voltar para a natureza.



Marcelo de Oliveira Souza


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O dia da Consciência Humana

O Dia da Consciência Humana 



O dia 20 de novembro passou a ser chamado o dia nacional da consciência negra. Em homenagem ao grande herói Zumbi dos Palmares, um escravo fugitivo que conseguiu lutar contra o martírio da escravidão do homem pelo homem. 
Muitas pessoas esquecem de lembrar que esse importante dia poderia muito bem ser lembrado como o dia da consciência humana, porque a distinção de raças ainda vai ser evidenciada, não podemos esquecer que somos humanos e por isso temos a obrigação de fomentar a união e não separação, mágoas e protestos onde o tempo passa, as pessoas se desenvolvem contudo a exploração do homem pelo homem continua de diversas maneiras, o ataque à natureza continua, aos pobres e desvalidos também, independente de raça. 
Seria muito mais interessante que as pessoas se unissem e protestassem sim, mas contra a violência, a falta de oportunidades e principalmente contra os ataques contra a natureza, pois todos nós independentemente de raça, estamos no mesmo "barco" afundando e com o dia da Consciência Humana, seria um dia em que todos se uniriam em prol da salvação de todos os valores que a humanidade está deixando para trás com o "desenvolvimento". 





Marcelo de Oliveira Souza
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net
http://marceloescritor2.blogspot.com

domingo, 4 de novembro de 2012

Lançamento do Livro Confissões Poéticas

Foi muito bom contar com a presença de vocês no lançamento do meu livro!

Quem não adquiriu ainda pode fazê-lo da seguinte forma:

Lançamento do Livro  de Poesias Confissões Poéticas

 


Valor do Livro: Vinte Reais!

Pedidos pelo Brasil: 25,00 com carta registrada

Fora do País: Equivalente a 30,00 com carta registrada



Marcelo de Oliveira Souza
www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net
http://marceloescritor2.blogspot.com

sábado, 3 de novembro de 2012

É amanhã!

Lançamento do Livro de Poesias Confissões Poéticas
Já imaginou um livro de poesias de temática universal, que aborde temas sobre espiritismo, morte, religiosidade, 11 de setembro nos EUA, educação, Cora Coralina, meio ambiente, grandes navegações, amor e outros tantos temas?
Essas Confissões Poéticas tem tudo isso, adquira o seu, no lançamento do livro lá no Campo Grande!
Dia:04/11/2012
Valor do Livro: Vinte Reais!
Aceitamos pedidos de todo Brasil: 25,00 reais
E do exterior: o Equivalente a 30,00 Reais

Aguardo vocês!

Marcelo de Oliveira Souza
 

Visite meu blog  www.marceloescritor.blig.ig.com.br

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Homenagem ao dia de Finados

Cova Rasa 


Cova rasa 
Deixa a gente arrasado, 
A profunda desesperado... 
O caminho da vida, 
Do destino, da viagem. 

Uma pessoa querida 
Que fugiu do mundo selvagem 
A rosa na cova rasa 
A flor na cova profunda. 

A beleza que abunda 
Nesse ambiente, 
Enfeita o morto 
Da cova profunda. 

A tristeza de uma cova rasa 
Sem choro, nem desespero dos amados... 
O contrário de uma cova profunda 
Onde todos se reúnem desesperados 
Para enterrar o defunto com dia marcado. 

As covas diferentes 
Num grau de profundidade 
De importância, uma maldade... 
Mas no final todos se encontram 
No mesmo solo, na mesma jornada 
Para virar uma cova rasa ou profunda 
Adubando a rosa imaculada. 


Marcelo de Oliveira Souza