Seguidores

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na Academia de Letras do Brasil/MS




Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na Academia de Letras do Brasil/MS 


O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas; Sobrevivendo; tem o prazer de comunicar a sua entrada em mais uma academia, onde dessa vez teve a honra de figurar na Academia de Letras do Brasil, seccional de Mato Grosso do Sul, presidida atualmente pelo competente escritor e editor Rogério Fernandes Leme. 
Onde faz a questão de externar o seu agradecimento pela honraria ao sr. presidente e a todos que acompanham a sua trajetória. 

Marcelo de Oliveira Souza,iwa 

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Dia do Poeta!




Dia do Poeta

Não existe noite
Sem dia,
Não existe tristeza
Sem alegria,
Não existe ação
Sem letargia,
Não existe vida
Sem nostalgia,
Não existe família
Sem dinastia...

Não existe carinho
Em demasia...
Não existe amor
Sem fantasia
Não existe dia do poeta
Sem poesia!


Marcelo de Oliveira Souza,iwa


O Fétido Problema







O Fétido Problema


A nossa cidade de Salvador é  mundialmente conhecida pelos seus inúmeros atrativos naturais, ela é privilegiada também  por ser praticamente cercada por água.
Uma das grandes vantagens da nossa terra é isso, a sua localização, temos o privilégio de ter duas cidades em uma só, a cidade alta e a cidade baixa.
O turismo aqui poderia até ser bem melhor, se os nossos gestores pensassem um pouco em valorizá-la, visto que se chegar um dia de domingo e não tiver praia,  e não formos passear na Barra ou Pelourinho, a cidade praticamente some, pois sobram poucos lugares de visitação como o Parque da Cidade, o Parque de Pituaçu e o Dique do Tororó,  o que é muito pouco para uma imensa cidade com a quarta população do país.
Não podemos nem relacionar  a Lagoa do Abaeté, que  se destruiu, um lugar bucólico cercado por dunas, mas foi deixado ao desprezo pelos órgãos responsáveis e hoje não tem condição nenhuma de poder frequentar o local.
O Parque da Cidade, que foi reinaugurado há pouco tempo, só tem a parte da frente, se andarmos pelo local por completo, não voltamos por causa da bandidagem, mesma coisa é o Parque de Pituaçu.
O único lugar que podíamos dar uma volta por completo era o Dique do Tororó, é pequenininho mas dava para fazer uma caminhada, tirar umas fotos, mas agora perdemos até esse local aprazível, pois com o descuido, deixaram algas perniciosas proliferarem e tomarem conta do espelho d’água, tornando o local uma fedentina pura, ninguém tem condição nenhuma de dar uma voltinha sem sair enjoado ou enojado com tanto fedor, mas o que fede mais ainda é a relação entre o governo e a prefeitura, que não se entendem, no que tange a quem vai resolver esse fétido problema.
Precisamos urgentemente de uma cidade acolhedora, que não possamos ter medo de visitar nossos pontos turísticos, pois quem vem de fora sai com uma impressão ruim, mas quem está aqui tem que conviver e sofrer diariamente com isso.


Marcelo de Oliveira Souza.IWA


domingo, 15 de outubro de 2017

A Última Fronteira - homenagem ao dia dos professores -





A Última Fronteira
.

Nesse ponto de união
A escola fez-se emancipação
Culturas, mundo e teoria
Todo  mundo na educação.

Do medo sai a força
Da tristeza, alegria...
Na educação da agonia
O professor faz milagre
Um rosto perdido, se irradia.

O professor pega a dianteira
Ele é a última fronteira!
Curte, define, atina
Mas diante do caos
O professor  nos ensina.

Adulto, menino ou menina,
Alguns sucumbem na sua cina...
Mas a luz do seu ser
...Ilumina seu dia e fascina
Todo  mundo que quer aprender.

Ele se esquece de tudo
Só vivendo o agora,
No mundo que é a escola
E o estudo...
Ele ensina a viver.

E quando chega
O fim do dia,
O professor se recolhe
O assunto ele escolhe
Colocando o trem
No trilho da vida
Onde a sua estação
Você vai conhecer.


Marcelo de Oliveira Souza,iwa

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

O Prazer de Brincar



O Prazer de Brincar 


O Dia das Crianças está chegando, muitas lojas se animando, como sempre o consumismo vigora, tomando o espaço da mídia com muitas “ofertas” para comemorar o seu dia. 
O consumismo é tão grande que querem trocar o feriado nacional, que é de Nossa Senhora Aparecida, pelo Dia das Crianças, a homenagem do feriado é da padroeira do Brasil, mas como a nossa padroeira só alimenta a alma e não os bolsos dos empresários, a sociedade está esquecendo o feriado católico. 
Assim, esse dia que é mais uma data privilegiada pelo consumismo, isso é muito sério, pois a criancinha não tem noção das coisas, ela está aprendendo aos poucos e cabe aos seus pais e mães orientarem e conversarem sobre esse grande problema. 
Muitos deles esquecem a nossa maior lição, que é a do amor e companheirismo e “enforcam” o cartão de crédito para comprar o presente que a criança tanto almeja. 
A lembrança tem a sua importância, contudo o mais importante para a criança é o companheirismo dos seus responsáveis. 
No dia das crianças, olhe seu filho com carinho e vá brincar com ele, pois a criança só quer uma coisa: O PRAZER DE BRINCAR. 

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!


Marcelo de Oliveira Souza,iwa

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Aniversário da Padroeira






Aniversário da Padroeira 



Santa mãe querida 
Nossa senhora Aparecida 
Cuidai da nossa vida 
Nesse seu dia de alegria. 



Emprestado para as crianças 
Seguimos nossas esperanças; 
Todos lembram do seu dia, 
Como uma grande sinfonia 
Cantamos e vibramos 
De qualquer maneira 
O aniversário da nossa 
Padroeira! 

* Homenagem à padroeira do Brasil


Marcelo de Oliveira Souza,IWA

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Outubro Rosa!


Outubro Rosa 


As rosas vão sendo apertadas 
Elas vão desfalecendo... 
As pétalas caindo, 
Umas dão o retorno 
Com uma espetada, 
Não podem ser maltratadas! 
Outras rosas são apertadas 
Apalpadas e cuidadas 
São tão singelas quanto... 
Ainda mais amadas 
E cuidadas, mesmo na pressão ! 
Com as mãos espalmadas 
Elas procuram atenção 
De um lado e do outro 
As rosas são atendidas 
Muitas saudáveis outras feridas... 
Mas nunca são atingidas 
Pela foice maldita 
Quando para o autoexame 
For dirigida. 

Homenagem à campanha Outubro Rosa!

Marcelo de Oliveira Souza,iwa