Seguidores

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Contador de visitas





Quatro anos do Raio de Sol

Esse dia incomum
Tudo é diferente
Tem tanta gente
Vindo de todos os lados!
Os alegres e os ocupados
Estão todos lá.

Comemorando quatro anos
O Raio de Sol irradia alegria
Num sorriso de menina
Ela corre de encontro à sua festa.

Aquela alegria estampada
Acalenta o nosso coração
Aquecendo  a todos
Que festejam e entram nessa sintonia
Do mundo encantado.

Nesse momento mágico
Tudo se cristaliza
Transformando-se numa bolha
De amor e cumplicidade
Que só uma criança de verdade
É capaz de ensinar
Ao adulto que é tão fácil
Encontrar a felicidade.


Marcelo de Oliveira Souza



terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A Lição do Presépio de Natal

Contador de visitas

A Lição do Presépio de Natal
Em todo final do ano os mesmos comportamentos se repetem, as pessoas felizes com a jornada concluída, as ruas enfeitadas, os mais diversos presépios, mas sempre nos esquecemos de lembrar a importância que representam esses símbolos religiosos.
O mais importante deles é o presépio, aquele que nos mostra a manjedoura, o local humilde onde Jesus Cristo nasceu, reunido por animais do estábulo e seus pais, um grande exemplo de humildade, o que realmente está faltando hoje em dia para as pessoas, muitas delas usam esse “clichê” mas o que de fato demonstram é que o Espírito Natalino, aquele que se renova a cada final de ano, sequer percorreu esses dias festivos, o que é sempre renovado é o vestuário e a ceia Natalina.
Outra lição que o nosso presépio nos passa é a união da família, que afundada em seus problemas diários, esquecem da maior lição de amor que Jesus Cristo nos deixou, união e solidariedade não somente para com os nossos consangüíneos, mas para com todos que nos cercam.
Nessa jornada de final de ano, vamos refletir sobre o que é união familiar, sobre o que é humildade e também sobre o que é ser humano e vamos aproveitar essa fronteira de mudança de ano e transformar um pouco a nossa família, sociedade, até o mundo, pois a partir de cada um de nós é que o mundo se transforma.
Agradecemos a atenção de todos os nossos amigos e leitores, de todos os lugares do mundo, unindo-se através da literatura, que no ano vindouro continuem nos prestigiando e divulgando.
Marcelo de Oliveira Souza Feliz Natal & Ano Novo!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A Estrela de Beiru

Contador de visitas


A Estrela de Beiru

De repente brilha no céu uma grande estrela, um grande fenômeno para os astrônomos, para outros é o chamado de Deus para o nascimento do novo Messias, ainda há alguns que tentam profetizar o final de mundo.
Nesse mesmo momento lá nos confins de Jerusalém, num monastério, um frade de nome Aahoron, passou mal sentindo uma forte dor no peito,  chegando a ficar sete dias em coma, depois disso ele acordou com o temperamento totalmente modificado, dizendo chamar-se Thiago, que tinha a missão de receber o novo Messias, num país distante chamado Brasil, em uma comunidade desfavorecida cujo nome da  cidade que leva o nome do nosso Salvador.
Essa missão ainda contava com mais duas pessoas que iam encontrá-lo no caminho da sua peregrinação, que seria justamente seguir aquela grande estrela que ameaça a vida de todos na Terra, como falam os Jornalistas.
Logo depois de uma comemoração especial o nosso Frei saiu com um guarda chuva bem grande na mão, seguindo o seu destino, que tinha ainda como tarefa revelar os outros companheiros de jornada.
Numa caminhada longa o nosso personagem conseguiu identificar uma mulher de nome Ming, estava sendo perseguida por transeuntes, ela é  uma moradora de rua que de repente mudou de personalidade, sendo chamada por uns de Madalena por outros  de profetisa, ela dizia que estava procurando o Frei Thiago, saia pelas ruas de Pequim desesperada  com um lençol de lã anunciando que a salvação estava próxima, mas como na China salvação tem que passar pela autorização de Hu Jintao, juntaram tudo que ela possuía  no seu carrinho de roupas e expulsaram-na das ruas que cercavam o palácio do governo, nessa hora o nosso frei conseguiu segurá-la e acalmá-la dizendo que o seu destino estava ali, sendo escrito pelo nosso criador, que mais um peregrino tinha que ser encontrado para a profecia se realizar, era logo ali depois na América do Norte, México, a dificuldade era tamanha para os nossos amigos iluminados, mas cada caminho tinha a sua etapa a ser cumprida inclusive aquela de entrar nesse país que é tradicionalmente católico, mas tinha pessoas que acreditavam em uma entidade chamada Santa Boa Morte, foi justamente no dia em que comemoravam o dia dessa “santa” que o nosso terceiro personagem de nome Juan tinha incorporado o espírito de um rapaz chamado Emerson dizendo as mesmas coisas dos nossos dois amigos, que o reconheceram de pronto, Juan tava com uma cadeira de praia dizendo que aquele objeto era o leito do novo Messias...
Essa longa jornada a caminho da estrela sagrada demorou alguns anos, mas quando eles chegaram na cidade de Salvador,  ainda tiveram problemas com a imigração, que estranhava toda aquela situação, ainda mais durante toda aquela confusão causada por uma estrela que se mexia e crescia cada vez mais ao passo que os nossos peregrinos se aproximavam; eles ficaram um tempão presos no aeroporto Dois de Julho, quando conseguiram sair já era  a noite do dia 25 de dezembro, todos concentrados em suas gordas ceias de Natal, outros preocupados com os presentes, não estavam ligando para outra coisa, nossos abençoados peregrinos seguiram para as cercanias de uma maternidade, numa pracinha freqüentada por drogados e prostitutas, chamado de Arvoredo, foi justamente onde um casal desesperado gritava por socorro, era um homem chamado Joaquim com a sua esposa Mariana, ela já estava em trabalho de parto, quando os nossos valorosos personagens chegaram.
Emerson abriu a cadeira de praia, a profetisa  a cobriu com o lençol e Thiago  ajudou a fazer o parto de Jesus Cristo iluminado, nesse momento a grande estrela se afastou, provocando uma confusão no tempo, fazendo nevar no verão de Salvador, nessa hora o nosso primeiro peregrino abriu o seu enorme guarda chuva protegendo a criança santificada que veio nascer justamente no Beiru, um lugar tão esquecido pelos homens poderosos mas sempre lembrado por Deus.



Marcelo de Oliveira Souza

sábado, 26 de novembro de 2011

Novembro

Contador de visitas


Novembro
O tempo me espera
Ele vem chegando,
Tudo vai mudando
Ao passo que termina o ano.
Queria cristalizar
Esse momento no mês de novembro,
Uma data de nascimento
Prestes ao ano se findar.
Terminamos o mês
Aumentamos a idade mais uma vez!
Dezembro o ano se esvai…
No momento de reflexão.
Muitos pedem coragem
Outros pedem perdão.
Num misto de alegria e expectativa
Todos esperamos o ano terminar
Minha idade galopou!
Prefiro o mês que possa se cristalizar.
O irmão do final do ano
Vai se despedindo…
Para dar passagem para o velho menino
E tudo possa recomeçar…
Marcelo de Oliveira Souza

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Proclamação da Democradura

Contador de visitas

Proclamação da Democradura

Nessa data de  quinze de novembro é comemorado mais um ano da proclamação da república, o marechal Deodoro da Fonseca reuniu a sua turma de militares instituindo  o primeiro golpe militar da nossa história, sendo nomeado o primeiro presidente do Brasil.
Nesse nosso país, a ganância tem a sua origem, vem de muito tempo, algumas pessoas pensam que a monarquia seria o melhor sistema de governo, outras pensam que a democracia é o sistema de sucesso, outras ainda pensam no parlamentarismo, mas não adianta ficar brigando por um sistema ou outro, pois no final das contas se não houver esclarecimento da população quanto à fiscalização do dinheiro público, os nosso sistema de governo vai ser sempre a “democradura” que é o sistema de governo dito democrático mas quando percebemos, o cidadão só tem o direito de reclamar, sofrer e ainda é obrigado a votar em quem não quer.


Marcelo de Oliveira Souza

sábado, 12 de novembro de 2011

Pena de Morte!

Contador de visitas

Pena de Morte!
Esse assunto é bastante polêmico em todo o mundo, um verdadeiro tabu, pois se pensarmos direitinho algo tão sublime nunca poderia ser ceifado pelo próprio homem.
Na idade média a pena de morte era instaurada de acordo com os desígnios de qualquer um que empunhava uma espada, os duelos as pendências pessoais e tudo que tratava a preciosa vida como um “nada”.
Em nossos tempos, apesar de tanto desenvolvimento científico, tecnológico e até espiritual, a vida humana continua sendo desvalorizada, desprezada…
As pessoas costumam se impressionar pelos crimes hediondos, pais matando filhos e vice versa, irmão matando irmão por causa de motivo fútil, guerras no tráfico de drogas e de outros produtos ilícitos.
As guerras entre países é uma verdadeira carnificina, hoje com a criação da ONU, o “clube” se junta, decide interferir ou invadir algum país e sob desculpa de promover a paz, solta a “foice” em todos, ainda inventam pena para os “crimes de guerra” , contudo temos que perceber que toda guerra é criminosa, não existe guerra certa.
Assim como em toda disputa, sempre quem vence é o certo, mesmo proclamando atos espúrios, o perdedor sempre paga pelo que fez e pelo que não fez.
A Pena de Morte existe e sempre existirá, mesmo com os “direitos humanos” , que não serve para nada, pois esses direitos são muito mais que o direito de viver, que já é muito difícil em grande cidades brasileiras, as pessoas perdem seus direitos rotineiramente, mas o pior de todos eles é perder o direito de viver, sendo alvejado por qualquer um marginal e não há nenhuma lei que possa punir esse indivíduo, na mesma moeda mesmo ele assassinando dezenas de pessoas.
Marcelo de Oliveira Souza

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Tempos de Protestos

Contador de visitas


Tempos de Protestos
Nos idos dos anos 60 a nossa sociedade sofreu muito com a ditadura, as pessoas eram proibidas de expressar o seu pensamento, as escolas e universidades eram fiscalizadas pois onde se fomenta a educação e cultura, naturalmente estimula-se a cidadania.
As pessoas eram proibidas de tudo, instituições educacionais eram proibidas até de ter porta nas salas de aula, porque sempre tinha um espião para sair aqui e ali vigiando o que as pessoas estavam falando; no auge dela chegava ao cúmulo de proibir até as pessoas de andar em grupo, com medo de “subversão” , muitos que protestaram contra esse regime saíram corridos para não virarem comida de peixe grande, serem torturados ou outra coisa de igual valia, teve até um presidente, o tal do Figueiredo, gostava mais de cavalo do que de gente, soltou a famosa frase: se vivesse de salário mínimo, daria um tiro na cabeça.
Toda essa triste história parece que ficou incrustada no nosso DNA, pois o povo se acomodou, passou a aceitar tudo, somente se lamentando, mas houve a época do presidente Collor, onde apareceu o movimento dos “caras Pintadas”, que aconteceu um fato inédito no Brasil, pressionar os senadores e deputados para votarem o “impeachment” palavra tão esquisita quanto o seu poder, conseguir “demitir” um presidente da república.
Mas o nosso trauma ainda continua, tanto que existe uma lei que proibe policiais de entrarem em campos de universidades para patrulhar, a última vez que aconteceu aqui em Salvador deu uma confusão tremenda na UFBA, na gestão de um governador autoritário da época da ditadura.
Tempos se passaram a lei ficou, hoje os estudantes daqui imploram para que a polícia apareça, pois o local virou reduto de crimes, bandidos se aproveitam disso para assaltar quem quer estudar, contudo em São Paulo o caso é diferente; diante da prisão de alguns estudantes portando drogas, a policia foi rechaçada do Campos da USP, ainda os um grupo de estudantes da faculdade de Letras e Filosofia resolveu fazer greve, encapuzados tomaram a reitoria e protestam, contra a presença da lei.
Hoje a “filosofia” mudou, muitos jovens perderam o medo de protestar, mas protestam a favor do errado, contra as más campanhas dos seus times de futebol, a favor do uso da maconha e agora querem a liberdade de usar drogas dentro de universidades e não aceitam policiamento, o mundo muda mesmo, só que no país do contrário as coisas mudam como sempre para pior.
Marcelo de Oliveira Souza

sábado, 5 de novembro de 2011

Próximo Animal em Extinção: Décimo Terceiro

Contador de visitas


            Próximo Animal em Extinção: Décimo Terceiro



Todos comemoram no Brasil e até no resto do mundo o seu desenvolvimento, a imprensa alardeia quase que diariamente o grande momento brasileiro.
O nosso país já está entre as cinco maiores economias do mundo, o investimento externo multiplica-se diante da solidez do mercado tupiniquim, contudo o Índice de  Desenvolvimento Humano está lá embaixo, aparece em 84° lugar, criando sempre aquela perguntinha, como pode ser isso?
É simples, o “nosso” Brasil são dois como podemos perceber, o dos ricos que possuem todo tipo de aparato em educação, saúde, moradia e a grande maioria os dos pobres, usuários do “vales-miséria”, “bolsa-pobreza” que já perderam tudo e continuam a sonhar com as migalhas escorridas dos bolsos dos “donos do poder”; o pior que ainda tem uma terceira categoria, aquela que vive encima do muro, naquela faixa limítrofe; como quem vive encima do muro leva pedrada em ambos os lados, os habitantes dessa fronteira habitam entre esses dois países, criando  uma verdadeira “crise de identidade” perdem direitos porque não está no Brasil dos pobres e não ganham as famosas “migalhas” destinadas aos habitantes dos países dos pobres, mas não estão entre os ricos que não precisam ficar contando moedas para realizar seus sonhos.
Assim, esses “estrangeiros” dos dois países perdem direitos a cada dia, agora o próximo direito a perder é o sagrado décimo terceiro, um projeto antigo, onde os políticos sempre sonhavam de aniquilar abençoado abono, aquele esperado o ano inteiro por todos.
Esse projeto bate-volta dessa vez bateu e ficou, foi aprovado na Câmara dos Deputados, agora vai para o Senado, tem uns do Brasil dos ricos, que dizem que o “décimo” somente irá ser dividido, mas todos sabem que com essa inflação embutida e a não reposição salarial quem vai sobrar mesmo é a classe do “sem-país” que paga uma gama de impostos, e vai pagar ainda mais um que irá voltar ano que vem a “contribuição para a saúde” aquela antiga CPMF, que saiu depois de muito custo, pois a corrupção fez virar “contribuição para o desvio público” CDP, agora dizem que vai ser sério, quer dizer antes era de brincadeira ou melhor um projeto para ser desviado.
Portanto, nesse país de “todos” dito democrático, os políticos só trabalham para um Brasil, o dos ricos e empresários que por “coincidência” são eles mesmos.


Marcelo de Oliveira Souza

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Dia de Finados

Contador de visitas

Dia de Finados


Dia de quem chegou ao fim
Finados
O fim não é assim
Enterrados.
Vida após a morte, sim
Ressuscitados?
Abel, morto por Caim
Alguém morto no Botequim
Saiu a pouco no folhetim
Todos acabados?
Aquele que caiu do trampolim,
O ruim.
O que perdeu mais um rim,
O doente, velho estropiado...
Todo mundo finado.
O ente estressado
Nesse dia separado
Vai ao cemitério vê-lo enterrado
Coitado!
Nosso caminho está traçado
Rico, pobre, são e doente
O buraco acolhe quem corre
E quem abraça a malfadada
MORTE!
Como o destino
Num desatino da vida
Que teimou em nos deixar


Marcelo de Oliveira Souza


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Como nasce um país marionete

Contador de visitas

Como  nasce uma Nação Marionete


Morre mais um ditador, aquele homem sanguinário, que ocupou o poder por mais de quarenta anos, da mesma forma que Sadan Russein, Muamar Kadafi trilhou  seu poder angariando inimigos mundo afora.
O importante é que possamos refletir que nesse mesmo tabuleiro do cenário internacional a política muitas vezes não tem lado, ela pode variar de acordo com os grandes interesses espúrios de uma cúpula onde somente alguns têm o poder de vetar e aprovar os desígnios do mundo.
Com a presumível crise do petróleo, o “mundo” olha com mais “carinho” para esses países instáveis politicamente,  “acende uma faísca” ali junto à “serragem “ do descontentamento e bum! Temos uma revolução, uma “guerra limpa” onde ninguém morre, somente o povo sofrido e oprimido, que alimentado pelos seus dignos interesses, são manipulados e armados, de acordo com os interesses de uma cúpula de países sedentos de “sangue negro”.
Assim são em diversos lugares onde a ganância internacional campeia, onde não existe lucro, mas existe  muito sofrimento, como em Ruanda e outros tantos lugares onde ditadores sanguinários seguem a cartilha internacional ou não têm nada a oferecer, a desumanidade ocorre, os somalianos estão aí para comprovar a triste tese.
Segundo estudiosos, o mal deste século será a falta de recursos naturais, como muitos já dizem que a Amazônia é internacional, não custa nada acender uma centelha da discórdia e proclamar a independência do Xingu, assim terão a maior floresta do mundo e ainda corre o risco de jogar  a imagem de algum presidente desavisado ao chão para criancinhas inocentes incentivadas à ira, limparem seus calçados, sendo um grande exemplo de um novo país dito democrático, com muitos contratos de reconstrução e exploração de uma nação marionete.

Marcelo de Oliveira Souza

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Dia das Crianças

Contador de visitas

Dia das crianças 2011


Hoje está muito difícil descobrir de fato quando o indivíduo é criança e passa para a fase da adolescência, percebemos que  o infante de hoje pode não ser mais criança, ou que a criança está sendo precocemente estimulada a ser adolescente e o adolescente engendra na vida adulta.
O poder de determinadas informações  está estimulando a criança a não ter mais a sua infância, estão reduzindo o seu tempo de brincadeiras pueris, preocupando-se com problemas existenciais, problemas familiares e tudo que possa castrar o seu grande e incontestável direito de brincar.
A mídia mostra as novidades do mundo, a  internet abre a porta para tudo que a cabecinhas desejam, desde brincadeiras infantis de montar casinha, até perfis de redes sociais e comunicadores instantâneos que torna a vida infantil mais complexa, sem as tradicionais brincadeirinhas do passado, mas com uma grande liberdade de conectar-se com o mundo todo, com ou sem a fiscalização dos pais.
Meninhos manejam seus celulares como adultos, dando mais independência a eles, o poder de influencia dos pais diminui, o contato também, e quando percebemos, as nossas criancinhas já estão crescidas, mesmo que precocemente, com  criancinhas vestindo-se  como adolescentes, ruge sombra e tudo que assombra os mais antigos.
Aquela pressa de que elas cresçam, ou a permissividade dos pais para esses comportamentos pode tornar-se um problema, pois a criancinhas estão desenvolvendo-se precocemente e no futuro ela sentir a falta do seu grande direito de infância, o direito de brincar, o direito de ser criança, mesmo que hoje ela queria ser já “uma mocinha” ou “um rapazinho”, tornando-se um adulto incompleto, infeliz ou recalcado.

Marcelo de Oliveira Souza

domingo, 9 de outubro de 2011

Dia dos Professores

Contador de visitas

Dia dos Professores 2011


Nesses dias em que a violência cresce linearmente em todos os cantos do país percebemos que não só nos horrorizamos com esses atos, mas somos complacentes e até cúmplices de toda essa celeuma.
O grande problema é que a nossa educação está sendo desvalorizada, a educação primordial que recebemos dos nossos pais está sumindo, assim como tudo que delimita o limite para a criança e adolescente.
Como os pais em sua maioria não estão encontrando tempo para os seus filhos, estão repassando a responsabilidade de educar para babás e professores.
Os professores por sua vez estão cada vez mais desvalorizados, desmotivados com a política publica de educação, parece até que tem uma orquestra desafinada trabalhando para deseducar as pessoas, os inúmeros projetos educacionais quando passam são relegados a terceiro plano, computadores em escolas publicas realmente são utilizados, mas a forma que é feita essa utilização é duvidosa; merenda escolar tem que ser coisa séria, assim como distribuição de   livros didáticos e para-didáticos.
Toda essa problemática é apenas uma amostra de como a claudicante educação brasileira precisa de atenção, de motivação, de projetos que  saiam do papel, o professor não precisa  de certificações que diminuam a auto-estima do profissional de educação ou qualquer outra forma de punição ou de seleção que segregue-os ao ostracismo.
O dia dos professores está aí, sem motivos para comemoração, somente protestos e lamentos contra as perdas de interesse, de salário e de tudo que possa melhorar uma educação que perece a cada dia, mas eles estão aí, sonhando com dias melhores e com que a educação passe a ser a principal plataforma de qualquer um que possa se candidatar a alguma coisa, porque sem educação não existe país, não existe união, respeito ou qualquer coisa que possamos chamar de desenvolvimento.

FELIZ DIA DOS PROFESSORES


Marcelo de Oliveira Souza


segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O Horário do Bestão

Contador de visitas

O Horário do Bestão


Todos Sabem que o horário de verão é aquele vizinho incomodativo que passa uma temporada junto à sua casa, tumultua a sua vida e vai embora.
Ele o faz acordar cedo, enfrentando a insegurança abrigada pela madrugada, muda severamente a rotina de quem trabalha, de quem transpira para produzir honestamente; o empregado, povão, aquele que não pode opinar, somente decide na hora do voto e olhe lá, pois a obrigatoriedade é o meio dos “sabidos” obrigarem a população fazer algo contra a sua vontade, mesmo assim, votando em quem não quer, ainda comemora, pensando que alguma coisa irá mudar.
Assim é a nossa democracia, a que elegemos o representante de interesse próprios, dizendo ser interesse comum, essa é a nossa realidade.
Nos tornamos “bestões”, verdadeiros cordeiros, desinformados, sem direitos plenos e sem sonhos, somos castrados socialmente, o governo enriquece cada vez mais, empresários comemoram suas vendas, ainda incutem na nossa sociedade que o povo vai bem, - “gastando muito” - mesmo com a saúde precária, violência desenfreada e tráfico de drogas. A  educação  está descendo cada vez mais, professores desmotivados, essa é uma perfeita orquestra para uma democracia plena,  com tantos direitos cerceados, por que não comemorar com o horário de verão, assim quem manda vai ter mais tempo para gastar aqui ou em outros estados e países, enquanto isso o empregado terá que cumprir rigorosamente o horário do “bestão”.


Marcelo de Oliveira Souza

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Homem & Carro

Contador de visitas

Homem & Carro

O homem sempre parece estar incompleto, muitos tentam se completar com um par perfeito, aquela garota de seus sonhos.
Nem sempre isso sai como a natureza escolhe fora os que se completam com pessoas do mesmo sexo, tem pessoas que se completam com cães, gatos, até os animais mais bizarros, contudo, diante da modernidade surgiu um grande amor pelas máquinas, se destacando mesmo, o seu carro, dá muito trabalho, é uma verdadeira família, entretanto o carro está ali, na “pole position” da preferência de muitas pessoas.
Os casos chegam ao estremo, gente ter ciúme de carro, que está super povoando as grandes cidades, passando a encolher o ambiente já destruído pela especulação imobiliária, pistas e viadutos.
Agora Homem & Carro se confundem, homens brigam com homens, com carros, quando saem dos carros perdem a identidade e outros  “Homens&Carros” transformados o agridem, xingam, brigam, se enervam, por causa de carro, de trânsito numa cidade intransitável como Salvador e tudo que vemos são irregularidades como essa, em todo canto, numa cidade sem estacionamento, as ruas viram territórios de flanelinhas, os mínimos passeios, são surrupiados pelos “Homens&Carros” invertendo a ordem numa perfeita desordem, no lugar desordenado, atrapalhado, engarrafado...

Marcelo de Oliveira Souza


sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Cordel Encantado

Contador de visitas

A Volta dos Mortos-vivos

A novela Cordel Encantado terminou essa semana, a audiência foi muito grande, devido ao exótico cenário e cultura, sendo muito importante para as pessoas conhecerem as desigualdades do nosso imenso país.
A trilha sonora da novela foi uma verdadeira aula de literatura, com músicas ligadas ao tema de qualidade incomum,  principalmente com as músicas do falecido Chico Science e Alceu Valença.
O grande vilão da novela, aquele que move a trama, Timóteo Cabral, teve um fim sem sentido, depois de receber um balaço, voltou a infernizar os personagens, sendo queimado na trama; mas o interessante é que a novela teve muitas cenas de tiroteio e esfaqueamento,  mas com todas as desavenças, pouca gente foi a óbito, tornando-se assim uma referência até para as cidades grandes, somente assim as mortes violentas diminuiriam.
Cícero foi o primeiro, esfaqueado pelo vilão da novela, quase com as tripas de fora, voltou  do caixão;  Jesuíno cansou de beirar a morte, até ser enforcado, mas a garota da foice sempre dava um desconto, parecendo estar encantada com seu sotaque nordestino “Made in Rio”; Açucena desde pequena driblou a “foiçuda”;  até o  General Baldini, fez “o drible na morte”, de herói virou bandido, voltando a ser herói por receber um balaço no peito, ele não se fez de rogado, curou-se  e assumiu sua filha bastarda;  o compreensivo e civilizado cientista do galho grande, foi alvejado na cabeça, mas fez valer o seu título,  voltou forte sem seqüela nenhuma, os médicos deveriam ganhar um prêmio pela grande façanha; mas façanha mesmo foi o Duque Pétrus da máscara de ferro, foi torturado em seu reino anos seguidos com aquilo na cabeça,  contudo a tortura  também foi dimensional, pois ele estava preso em um continente e acordou em outro, não se fazendo de rogado tirou o atraso dando uma de Ricardão com a esposa de seu grande amigo “galhudo”, que assumiu a pontada voltando para os braços da sua amada definitivamente.
Em uma terra perigosa, o saldo foi positivo, somente  o ganancioso Rei de Seráfia do Sul,  uma figurante atropelada, a genitora de Aurora e os vilões sucumbiram, ficando sem as benesses da história dos mortos-vivos, mas em uma novela de cangaceiros e guerras medievais alguém tinha que morrer; vamos torcer para não se estender a trama, senão os mortos-vivos voltam, mais fortes e corados do que nunca.
Fico aqui desejoso que Salvador se torne um reino das Seráfias, assim os mortos que se amontoam todas as semanas, voltariam -  pelo menos  os bons - para dizer quais foram os seus algozes, pois se depender de investigação, vai ficar como no Cordel Encantado, com um Rufino e Outro paçoca; quanto aos políticos brogodozeses não precisa dizer nada, sabem direitinho como se comportar, bem inspirado nos nossos.
Mas como a arte imita a vida, ficamos aqui desejosos que um príncipe com princípios venha de algum lugar no final do mundo e administre a nossa cidade tão necessitada de ajuda, pois os políticos daqui estão precisando se exilar numa cidade perdida no meio do sertão.



Marcelo de Oliveira Souza

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Lição de Democracia no Brasil

Contador de visitas

Lição de Democracia no Brasil


O Brasil se caracteriza pela solidez na democracia, os brasileiros já estão acostumados com todos aqueles trâmites que deságuam nas eleições.
As propagandas brotam, as quintas-feiras já estão caracterizadas como “ as quintas do sofrimento”, sempre aparece um partidozinho querendo aparecer diante do sofrido telespectador, mesmo quando não é época de eleição, mas quando está nessa infeliz temporada, aparece um tal de Horário Eleitoral gratuito – até parece que alguém ia querer pagar para ver isso – que aterroriza as pessoas com tantas promessas, as mesmas que o tal candidato fez anos atrás ou foi o candidato do meu amigo? Tanto faz é tudo a mesma coisa, nessa hora aparece tanta propaganda, até o TSE Tribunal superior Eleitoral desce do pedestal e passa a ocupar também a caixinha achatada da sala de visita, dizendo sermos patrões, até hoje tem gente procurando saber de quem é patrão.
Mas o pior de tudo que essa democracia,  tanto propalada no mundo todo, tudo que nós  podemos é votar, ou melhor, somos obrigados, mesmo não querendo ou não tendo nenhum que mereça, como nenhum está merecendo, a obrigatoriedade do voto está aí.
A televisão alardeia a festa do voto, mas os pobres dos mesários não ganham nenhum “caraminguado” para passar o dia todinho ouvindo reclamações, empurrões e ainda organizar a “dança das cadeiras”.
A eleição termina tudo volta ao “normal”, os políticos voltam a brigar  por seus interesses, aqui na Bahia resolveram dar um verdadeira punhalada no servidor, aumentaram assustadoramente o valor do plano de saúde, tem gente que vai pagar um acréscimo de 140,00 reais, uma verdadeira bomba para o orçamento, mas o governo está com um perfeito orçamento; Dilma repete sempre “nós temos reservas acumuladas” ; Wagner diz que a Bahia está crescendo, e o povo perdendo todos os seus direitos, perdendo sua dignidade em troca de viadutos, onde só falam na Copa do Mundo.
Dignidades à parte, perdas e danos para todos os lados, violência, saúde e educação todas perfeitamente “emburacadas”; vocês pensam que não falta mais nada ?
Lei do engano, tem muita coisa ainda, talvez esteja ainda escondida nos inúmeros buracos e crateras soteropolitanas, mas ainda falta impingir o Horário Noturno, digo, Horário de Verão, cujos interesses empresariais afloram a ganância em detrimento de mais sofrimento para toda uma sociedade, que um dia pensou ter o poder de eleger algum representante.


Marcelo de Oliveira Souza

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A Mulher-ketchup

Contador de visitas

Mulher- ketchup


Quem disse que somente a arte imita a vida ?  O contrário pode ser perfeitamente plausível, quando a pessoa tem uma grande imaginação.
Mesmo em uma cidadezinha com pouco mais de vinte mil habitantes, a criatividade pode explodir como uma perfeita Hollywood, foi o caso de Pindobaçu, município a 400 km de Salvador, onde uma mulher cheia de ira e de ciúmes por causa da sua rival, resolveu dar cabo à vida da sua oponente, convidando um lavrador desempregado a cometer um crime de assassinato, eliminando assim sua inimiga.
Quando o criativo rapaz foi cometer o crime, percebeu que a vítima era uma amiga de infância, como ele já havia recebido a quantia de mil reais pelo “serviço” , resolveu forjar o crime, tirando a foto da “defunta” amarrada, largada no matagal, com uma faca debaixo do braço e coberta de ketchup.
A mandante do “crime”  resolveu comemorar o seu grande feito, mas quando chegou a um  evento local viu sua algoz vivinha da Silva, dançando lépida e fagueria.
Revoltada a mulher foi à delegacia prestar queixa extorsão contra o agricultor, o delegado desconfiado interrogou-a e logo percebeu que naquele depoimento escondia muita coisa, desvendando toda a trama, digna de cinema.
Agora a cidade da Pindoba, ganhou sua fama momentânea graças a “mulher-ketchup”; estão vendo até se erguem um busto com uma garrafa do condimento precioso em uma pracinha, pois o condimento não é aquela bucha de aço, mas também tem mil e uma utilidades.


Marcelo de Oliveira Souza

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

II Encontro de Escritores Baianos Independentes

Contador de visitas

II Encontro de Escritores Baianos Independentes

Em mais um ano de sucesso aconteceu o Segundo Encontro de Escritores Independentes, organizado por Roberto Leal, fundação Òmnira.
Esse encontro de vital importância para a literatura baiana e soteropolitana abordou mais sobre a dificuldade dos escritores em  difundir a sua obra, a falta de um espaço similar à Livraria do Autor Baiano, ou como uma Casa do Escritor Soteropolitano.
Ocorreram diversas mesas redondas para discutir essa problemática, onde o poeta e colunista do jornal Metrópole se destacou com a grande desenvoltura e sensibilidade poética, abordando a grande discrepância entre uma mesma cultura, a popularesca, hoje atualmente encabeçada por músicas de pagode, axé e a verdadeira cultura baiana na sua essência, onde grandes escritores e artistas ainda lutam para envergar a clava literária, mesmo sedo relegado a segundo ou quarto plano, cujo  tema foi “apertem o cinto, o poeta sumiu”.
O poeta Ildásio Tavares também foi homenageado por sua obra, escritor polêmico que ao passo que semeava os seus sonetos, colhia opiniões diferentes sobre a sua cultura, sendo magnificamente explanado pelo escritor Douglas de Almeida; mas não podemos deixar de mencionar sobre a brilhante palestra da Juíza Luislinda Valois, que abrilhantou ainda mais a nossa jornada literária, deixando todos os participantes saudosos e tristes por sair dessa bolha cultural onde os escritores de hoje são como peixes sobrevivendo na poluídas águas de uma sociedade que perdeu sua identidade literária, rezando para termos mais um ano na água límpida  da cultura que ainda mina por alguns veios de persistência dos nossos escritores, desaguando em mais um sonhado encontro de escritores.



Marcelo de Oliveira Souza

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Dor de Onze de Setembro

Contador de visitas

Dor de Onze de Setembro


Lá de cima, no céu vem aquele imenso clarão
Acompanhado de um grande trovão
Colocando em desespero a população,
O povo correndo em comoção
Gritos de horror,  salvem a multidão!
Tá tudo caindo, o mundo se destruindo
Terremoto se esvaindo
A torre se diluindo...
Aquele arranha céu lindo !
Agredido por monstros alados.
O fio dos desesperados
Pobres coitados !
Dentro dos dois paus gigantes viraram nada !
Esse nada que hoje é tudo
Que sobrou do fim do mundo...
A torre de Babel bendita
Caiu na armadilha maldita,
Deixando como herança setembrina
Mais um exemplo que alucina...
A dor encravada
Não cessou direito
E todo ano tem o mesmo efeito
De quem morre, sofre e carrega para sempre
A dor do luto no peito...


Marcelo de Oliveira Souza

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Independência do Brasil 2011

Contador de visitas

Independência do Brasil 2011


O nosso querido Brasil é um país cheio de peculiaridades, a começar pelo seu tamanho, com verdadeiras dimensões continentais, mas o que mais chama a atenção é a sua unidade lingüística e patriotismo, de norte a sul, desde o jeito irreverente até o discreto, do deseducado ao polido, todos com a brasilidade enraizada na alma.
A nossa diversidade cultural não impede que queiramos participar da mesma unidade nacional, salvo algumas desavenças, mas em toda família tem um filho rebelde, que deseja alçar vôos com suas próprias asas.
Muitos reclamam que a distância impede uma presença mais efetiva do governo federal, outros reclamam dos políticos que hoje são os verdadeiros nobres do século XXI, administram os cofres públicos com a destreza de um avarento, na melhor das hipóteses.
A imprensa alardeia a posição no cenário mundial, a dívida externa transformou-se numa incógnita, a maioria diz que foi paga, outra parte diz que é uma grande falácia.
O interessante que o Brasil, agora é credor até de países como Estados Unidos, ao passo que o sistema de saúde ainda é um caos, a educação e cultura parecem ser miragens que só são palpáveis no eixo sul-sudeste, o resto sonha com um dia fazer bonito na Olimpíada do Rio de Janeiro, mesmo sem nenhuma estrutura, mas como sonho é sonho, ainda não paga; atletas sonhadores treinam sem material nenhum, o pior que nesse mesmo século das grandes descobertas, ainda tem aluno de escola pública que não tem o prazer de folhear um livro didático ou suprir suas necessidades alimentares na hora do intervalo.
Esse nosso pais querido, está em festa pela sua independência, grande e pujante no cenário internacional, palpiteiro em todas as desavenças no nosso globo, infelizmente não olha para dentro de si mesmo, o seu povo sofre e paga por isso, pela falta de informação, de cultura e de oportunidade, aquela mesma oportunidade que os nobres, eleitos pelos votos tiram todos os dias de nós todos, com seus super poderes de administrar o dinheiro público.
Nesse dia de independência, onde os militares irão desfilar suas sucatas do século passado, vamos valorizar o civismo, pois é a única coisa que ainda temos a comemorar nesse mundinho distrital.


Marcelo de Oliveira Souza



segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Livro do Autor do Blog

Contador de visitas

Já estamos aceitando pedidos para a 2a edição do livro Conto &  Reconto: São apresentados contos fantásticos, de história de vida, espirituais, de amor, enfim textos para todos os gostos, onde são mostrados como pano de fundo várias cidades da Bahia, desde a capital, Salvador, como cidade do sertão: Araci ; da Chapada Diamantina: Lençóis.

Preços:
Salvador com o autor R$20,00
Araci com o autor R$20,00
Via correios R$25,00
Exterior 20 dólares/euros
Pedidos 71-81553677
marceloosouzasom@hotmail.com

domingo, 28 de agosto de 2011

Contador de visitas

Condução


Chegando ao trabalho tomei aquele susto com essa pessoa, sentada na parada do transporte, perna inchada e jogada no chão dia após dia, a sua precisão era tão grande quanto o seu tamanho, com problemas de saúde, ninguém a notava.
Na nossa correria ela estava ali, sofrida despercebida por todos, enojados torcem o nariz para ela, que diante de tantas dificuldades, não sucumbe diante da dor, balança o corpanzil e sorri, esperando a providência divina, porque se depender dos mortais ela continuará ali, ocupando o terminal de ônibus, parecendo esperar a hora  da condução eterna.

Marcelo de Oliveira Souza

domingo, 21 de agosto de 2011

Restrição à Doença no PLANSERV


Contador de visitas

Restrição à Doença no PLANSERV


O Governo do Estado da Bahia, aquele mesmo, que foi eleito da primeira vez com a ajuda dos servidores públicos, não cansa de inventar novidades para onerar a vida dos seus servidores.
A classe já encontra-se desmotivada, cansada de ilusões, seus salários cada dia mais achatados, muitos sindicatos como o dos professores, são alvo de chacotas nas esferas públicas e secretaria de educação, agora recebe mais uma bofetada.
Os poderosos anunciam uma cota para consultas, atendimentos de urgência e emergência, não faltando mais nada para acontecer, os servidores pagam um plano caro, descontado em contracheque, o que nenhum plano privado consegue, cem por cento de adimplência, mesmo assim os donos do poder reclamam de prejuízos, no negócio mais certo do mundo.
Assim, ao invés de investir mais na rede Planserv, estendendo o programa para as esferas nacionais, aumentando especialidades, como psicólogo – que está sendo muito necessário - ou até tratamento odontológico, como deveria ser feito nos moldes do IAPSEB, eles fazem justamente o contrário, jogam esse projeto de “urgência-urgentíssima” na Câmara dos Deputados.
Esse murro na dignidade dos prestadores de serviços do Estado,  é mais um presente de grego que temos que recusar, gritar e protestar, pois são essa categoria que estão descascando o abacaxi plantado por quem só pensa em obras para mostrar na televisão, esquecendo o social e principalmente quem lhe deu a mão e hoje chora com uma mão só, com saudades do passado.


Marcelo de Oliveira Souza

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Redes Sociais

Contador de visitas


Redes Sociais




Nos idos de antigamente, não muito tempo atrás ansiávamos pela cartinha do correio,  um rapaz fardado que  era amigo, anjo da guarda, confidente de muita gente, pois era o grande elo para o mundo e ainda melhor, aquela ligação entre muitos amores.
As cartas eram uma grande forma de conhecer o mundo e pessoas que o habitam, tinha carta que ainda vinha com mensagens de apoio ao trabalho do carteiro, flores e tudo que possa incentivar esse valoroso servidor.
Mas aconteceu um grande “bum”! Os astros conspiraram, surgindo assim o advento da internet e todo aquele romantismo literário das letras bordadas e desenhos, da ansiedade da espera, foram trocados pelo e-mail, sites e principalmente redes sociais, de todo tipo.
As coisas mudaram, escaparam para o “Skype”, Orkut, Facebook e todas as novidades que o maravilhoso mundo tecnológico possa propiciar, o mundo se tornou internet, que se impregnou no nosso DNA, a nossa porta para o futuro.
Infelizmente a porta para o mundo é maior que a porta da nossa casa, onde encontramos todo tipo de pessoas, a Redes Sociais se popularizaram, todo mundo conhece todo mundo e o que era uma grande alegria, é causa de grande preocupação.
Hoje muitas crianças e adolescentes engendram nesse mundo virtual de ações bem reais e percorrem o mundo todo dentro do seu quarto, conhecem todo tipo de gente.
Como estamos em tempos revolucionários, os grandes valores, aqueles que herdamos dos nossos pais, estão se diluindo, as pessoas passam a achá-los antiquados.
Crianças com valores distorcidos, que têm em seus poderes celulares super sofisticados e caros, mais caros do que uma televisão, já pensou meninos com verdadeiras máquinas sofisticadas no bolso?
Realmente é inimaginável no passado, meninos saindo para escola com brinquedos deste quilate, mais inimaginável ainda é o estrago que ele pode causar.
Toda essa tecnologia é deveras importante, vai ser mais ainda com as futuras novidades, mas temos que ter consciência que tudo isso não tem valor sem a orientação dos pais, as verdadeiras Redes Sociais.
Hoje muitos casos de violência começam com o tripé: “ não sabemos com quem ela saiu, não sabemos com quem ela está e não sabemos em que hora ela chegará”, são frases corriqueiras  de pais que “desistiram” de seus filhos, mas a criminalidade  os acolheu e não sabemos como isso irá terminar, pois esse mundo sofisticado  ao invés de ser um ponto de convergência, está sendo um grande meio de separação, da falta de diálogo e de desencontro de pais e filhos nas redes familiares.


Marcelo de Oliveira Souza

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

A Transalvador na Terra de Ninguém

Contador de visitas

A Transalvador na Terra de Ninguém


Nessa cidade hoje o engarrafamento é uma constante e  a impunidade no volante corre mais que o seu possante,  sofremos com as máquinas de multa que se reproduzem mais do que pardais.
Em todo lugar tem uma lombada eletrônica, um arco fiscalizador e radar eletrônico, era para Salvador ser um verdadeiro modelo de trânsito.
O dinheiro dessas multas ninguém sabe para onde vai, mas o que mais chama a atenção é que essa torneira aberta de multas é aplicada somente nos meios eletrônicos, os prepostos da Transalvador fazem vista grossa a muitas imprudências e desrespeitos a placas de sinalização.
Um grande exemplo é logo ali na subida do CREA, Ogunjá, na rua professor Aluísio de Carvalho, todos sabem que ali é um lugar perigoso, pois os carros teimam em estacionar na frente das oficinas, no meio da rua, correndo grande risco de colisão,  quando reclamamos, somos informados que eles não podem fazer nada quanto a isso, pois os motoristas são multados, assim como os donos daquelas oficinas, e mesmo assim eles continuam desrespeitando a lei do trânsito, continuando a mesma pasmaceira.
Quer dizer que nessa Terra de Ninguém, todos fazem o que querem, o que desejam, assim caminha o nosso trânsito direto para o caos...


Marcelo de Oliveira Souza

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

domingo, 7 de agosto de 2011

O Presente de ser Pai

Contador de visitas

O presente de ser pai




Vem chegando mais uma oportunidade  para comemorarmos o dia dos pais, o comércio se oriça todo só em pensar nas vendas que irão atingir.
Aquele velho consumismo vem à tona, todos falando em presente, mas nunca falam em presença, a presença é sempre o mais importante, os pais não estão fincando mais presentes na vida dos filhos, que muitas vezes estão sendo criados por babás, creches e tudo que uma sociedade nova e com valores deteriorados possa permitir.
A relação de pais e filhos está estragada na maioria das famílias, o poder paterno vem diminuindo diante de tanta permissividade e no dia dedicado aos pais vem toda aquela questão do presente, o presente não é importante, repetindo, o amor sim, é o mais importante é o maior presente que podemos dar no cotidiano e o que podemos receber.
Vamos aproveitar o Dia dos Pais e refletir sobre essa nobre missão, pois apesar dos lares desfeitos por separação ou até por seu filho já possuir outra família, os laços de amor nunca são desfeitos, pelo contrário, datas como essa não é data de comprar e sim de renovar o sentimento de amor a quem concebeu e criou a nossa família.

Marcelo de Oliveira Souza

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Por que no Brasil tudo é ao contrário?

Contador de visitas

Por que no Brasil tudo é ao contrário?



Não é de hoje que percebemos que no nosso país as coisas giram de modo contrário aos dos outros países, tido sempre como um povo alegre, irreverente, esperto e tudo que a “Lei de Gerson” possa proporcionar.
A nossa sociedade acostumou-se a ter pessoas “espertas” levando vantagem em tudo, isso estendeu-se para todos os nossos setores, a coisa foi se avolumando, cada um usando um artifício diferente para conseguir tudo, emprego, saúde, fama e tudo que possamos imaginar.
Imagine só que nesse contexto, a saúde foi para o “beleléu”, quem tem plano ou seguro de saúde conseguiu parcialmente resolver o problema; na educação não deixou de ser diferente, quem pode, coloca seus filhos na melhores escolas, quem não pode, o jeito é entrar mesmo na escola pública e tentar a sorte, para ver se vira um jogador de futebol, um modelo, nem precisa se capa de revista ou alguma top de linha.
A nossa educação foi definhando, as faculdades caindo a sua qualidade, entrando todo tipo de gente despreparada e saindo assim também; a nossa cultura foi se diluindo, dissolveu-se tanto que as grandes músicas que realmente tornaram-se um legado para a humanidade, transformaram-se em verdadeiros hinos.
Mesmo assim a música não ficou estagnada, ela somente deteriorou-se transformada em diversos ritmos como o pagode baiano, verdadeiras “odes às pornografias” cantigas sem nenhuma letra ou poder de reflexão, é só “tapinha ali” , remelexo aqui, gritaria acolá, e o povão em sua grande parte adora, pois não precisa pensar somente  “rebolar” , para não dizer outra coisa.
Muitas pessoas ainda protestam contra a coragem da deputada Luiza Maia ao perceber que o governo ainda compactua com toda essa pornografia auditiva, patrocinando a libertinagem.
Setores da imprensa claro que vão rebates, pois a indústria fonografia que patrocina a programação iria ter prejuízo; Estão apelando até dizendo que desde Luiz Caldas o nosso Axé é isso, contudo, esquecem de lembrar de bandas como Reflexo, Olodum e outras tantas que mostram que a cultura da Bahia não é somente baixaria.
Enquanto o povão protesta, a sociedade esclarecida se cala, erroneamente, temos que gritar sim, temos que apoiar atitudes como a   dessa valorosa deputada, pois enquanto o povão desce a ladeira com toda essa gritaria pornográfica, a verdadeira cultura literária e musical da Bahia, esconde-se nos becos e bolsões de escritores, sites e livros, sem nenhum patrocínio.


Marcelo de Oliveira Souza




domingo, 31 de julho de 2011

VII CONCURSO LITERÁRIO POESIAS SEM FRONTEIRAS

    VII CONCURSO LITERÁRIO POESIAS SEM FRONTEIRAS   
                            (inscrições de 10 de agosto até 20 de dezembro de 2011)

Realização: http://marceloescritor.blig.ig.com.br
Apoio: Academia Cabista de Letras,  Artes e Ciências ; União Brasileira dos Escritores/BA; Revista Artpoesia

Com o objetivo de estimular poetas de todo o Brasil e de países de Língua Portuguesa, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 7ª edição.
Os interessados devem enviar uma única poesia, tema LIVRE (digitada ou datilografada) inédita sob pseudônimo, em duas vias, dentro de um envelope maior. No envelope menor, deverá constar a ficha de inscrição que deverá ser criada pelo autor, com  o nome, endereço completo, idade, profissão, escolaridade, título da poesia, pseudônimo, telefone, e-mail (se tiver), comprovante de depósito de R$ 8,00, em nome de Marcelo de Oliveira Souza, conta poupança BRADESCO : No 5920 digito 0 Agência 3679 digito 0. Não se esquecer de dizer como tomou conhecimento do concurso e se já participou de outras versões.
Obs: Não aceitaremos poesias por e-mail; menores de idade podem participar desde que seja com a autorização dos pais.
Formas de pagamento:
• Em espécie junto à ficha de inscrição (envelope menor)
• Depósito Bancário ou transferência de conta
• Fora do país o equivalente a 5 dólares ou  euros.

RESULTADO: Dia 20 de janeiro de 2012

No site http://marceloescritor.blig.ig.com.br    por e-mail, para quem enviar o endereço eletrônico e por carta para quem não tiver e-mail.

1°lugar: Troféu + certificado  + Livro Cartas ao Presidente Lula + Revista Literária
2o lugar: Certificado + 1 PEN DRIVE 4GB  + Livro Conto & Reconto + Revista Literária
3o lugar: Certificado  + 1 PEN DRIVE  4GB + Revista Literária
4º e 5º Lugares: Certificado  + Revista Literária
Menções Honrosas: Uma  para o autor nacional juvenil, menores de idade; outra para
 o  autor internacional;  cuja premiações  serão:  Juvenil Nacional: certificado + Revista literária  ; Internacional: certificado   + Livro Conto & Reconto + Revista Literária
Todos os vencedores do concurso terão seu trabalho publicado no site www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net e na revista literária Artpoesia
Contatos: marceloosouzasom@hotmail.com e celular 71-81553677      Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?origin=is&uid=7443555686771239313
Enviar carta registrada para:
VII Concurso literário: Poesias sem Fronteiras
A/c escritor Marcelo de Oliveira Souza
Conjunto Edgar Santos Bloco 14/204
Engenho Velho de Brotas  Salvador  Bahia   BRASIL CEP 40240-550