Seguidores

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Escritor Carioca Radicado na Bahia entra em Academia Nacional em Porto Seguro









Escritor Carioca Radicado na Bahia entra em Academia Nacional em Porto Seguro 




O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas; Sobrevivendo e Mundo Poético, tem o prazer de comunicar que entrou na Academia de Letras do Brasil seccional de Porto Seguro, como membro efetivo vitalício, ganhando um lindo diploma e duas medalhas referentes a esse grande passo na carreira de qualquer escritor . 
Numa noite memorável contamos com a participação do presidente nacional da entidade Mário Carabal Lopes, que numa sensibilidade ímpar, resolveu criar essa entidade que muito honra a sociedade porto-segurense, pessoas com grande influência na região do descobrimento, vieram prestigiar esse memorável evento, que se não fosse a participação irmanada de todos ligados à cultura local/nacional, seria muito mais difícil realizar tal façanha, onde não podemos deixar de mencionar nosso presidente regional Robson Ramos e a escritora Léa Lu - mentora do Vae Brasil - pelos seus desprendimentos para com a entidade, alavancando a cultura local. 
Juntos somos sempre mais fortes, pensando nisso, Academia de Letras do Brasil, tem seu filho caçula em Porto Seguro, onde todos tem a certeza que esse grande passo, é muito pequeno diante de tantas façanhas culturais que todos nós iremos alcançar. 



Marcelo de Oliveira Souza,IWA

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

A sua Verdade









Hoje em dia, as redes virtuais são verdadeiras fontes de conhecimento, de união, contudo é um grande meio desestabilizador. 
Antes as pessoas olhavam os pássaros, as árvores, a natureza pela janela. 
Depois a natureza passou a ser espremida entre os prédios, as pessoas resolveram ver pela TV o mundo que via pela janela, até outros mundos. 
Apareceu o telefone, veio encurtar laços, contudo ajudou a aumentar o estresse, telefone não tem hora! 
Hoje temos tudo isso, porém isso tudo muitas vezes desagrega, uma vírgula fora do lugar é meteoro que pode incomodar. 
Palavras não ditas, passam a ser proferidas. 
O grande nível de estresse da vida, produz a palha e a quebra de informação produz o combustível, resultando em um grande incêndio de desentendimento. 
O ser humano é predominantemente coletivo, contudo está desaprendendo viver em coletividade, onde a sua verdade é única, a dos outros, é somente dos outros. 

Marcelo de Oliveira Souza IwA

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Reflexão do Carnaval






Reflexão do Carnaval 


No Brasil o Carnaval é uma festa primorosa, a mais amada e até odiada do mundo, pelas suas diversas vertentes, os que amam ficam desesperados para que não termine; os que odeiam, saem do sério, ficam enclausurados dentro da psicose, ódio à festa momesca. 
Ser extremista nunca é bom, não existe verdade absoluta, precisamos analisar friamente os números e ver se a dita “Festa da Carne” tem a sua serventia, onde aqui em Salvador, o evento começa praticamente uma semana antes, na região da Barra, zona mais do que nobre da nossa capital. 
Dizem aqui, que a melhor festa é justamente a que começa antes, menos pessoas, mais turismo para nossa soterópolis. 
A grande dificuldade de muita gente aceitar essa festa, é muitas vezes sobre a questão da violência, num país que está dominado por esse sofrimento, de norte a sul; muitas pessoas ainda comentam que diante dessa crise toda, como fazer carnaval? 
Só que esse evento, movimenta muito dinheiro na cidade, nosso “pequeno cabeçudo” que o diga, soube aproveitar o evento e fazer uma bela festa. 
A nossa cidade está entre as mais visitadas nessa época, abaixo justamente do Rio de Janeiro, que tem um grande problema nas mãos, a má gestão, só para iniciar, mas não quer dizer que os nossos conterrâneos, estejam alheios a toda essa problemática, onde as duas escolas de samba, vencedoras desse ano fez um festivo relatório de todo sofrimento que passa o Rio e o resto do nosso país, onde aa letras serão temas para muita discussão e reflexão, mostrando todas essas mazelas pelo qual passa o nosso “gigante adormecido” 
As escolas mostraram brilhantemente que Carnaval não é festa de alienado, infelizmente alienado tem em todos os eventos, até quem não festeja pode ser também alienado, alheio todos esses problemas nacionais. 
Acredito que a nossa sociedade está mudando, devido a diversos fatores, inclusive a globalização é uma verdadeira revolução digital, as notícias caminham tão rápido que não conseguimos acompanhar, durante a questionável festa teve muita facilidade de informação, presenciamos atos jamais noticiados pela mídia, pois a mesma não pode estar em todos os lugares, a imagem é uma subjetiva reportagem, cada um vê e faz a sua reflexão sobre o Carnaval, onde muitas já oram, rezam, para que a festa não termine, outros imploram ao deus festivo, que não termine a gandaia, o mundo ilusório, pois após a quarta acinzentada, o “Gigante Adormecido”, desperta moderadamente para seus problemas. 






Marcelo de Oliveira Souza,iwa 

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Carnaval



Carnaval

A alegria chegou
O trio elétrico passou
A multidão também,
Alguém ficou
Caído no chão!
Uma arma de encontrão
Furou o pulmão
Todos gritando
Indo atrás da atração.
Gente de montão
Felicidade de milhão!
Em todo lugar uma transmissão!
Em outros lugares empurrão...
Ali no cantinho um chupão
Mais à frente cervejão!
O malhado valentão
Terminou na prisão,
Levou um cachação!...
Todo mundo vira multidão
Camarotes do barão
Folia bem diferente, não?
Mas também tem o folião
Dos blocos e do arrastão...
Nas cinzas ainda não basta, não!
A tristeza do cordão
Que virou cordeiro,
Trabalhou e dançou
Mas acabou sem dinheiro na mão!
Mais triste ainda quem gastou...
E nem  chegou a brilhar
Mas terminou a quarta feira
Beirando o caixão!
Esperando a reencarnação
Para voltar à folia
Com toda energia
Ver tudo recomeçar!


Marcelo de Oliveira Souza,iwa
Do Livro Confissões Poéticas

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Escritor Carioca Radicado na Bahia ganha dois prêmios pela ALTO



Escritor Carioca Radicado na Bahia ganha dois prêmios pela  ALTO


O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas;  Sobrevivendo e Mundo Poético, tem o prazer de comunicar que ganhou o diploma referente ao 13° lugar no Prêmio Literário Gonzaga de Carvalho, pela Academia de Letras de Teófilo Otoni MG com a crônica “Na Carona” ainda foi laureado por essa mesma entidade com o troféu de diploma por sua  divulgação das atividades acadêmicas.
Onde faz a questão de externar o seu agradecimento pelas honrarias à presidenta Maria Augusta de Andrade Farina, secretário Wilson Colares da Costa, vice-presidente Antônio Jorge de Lima Gomes e a todos que compõem essa majestosa entidade, reiterando que estaremos sempre à disposição para colaborar e divulgar essa entidade que valoriza todos os escritores do Brasil, que integram o seu quadro acadêmico.  
Agradecemos a todos e todas que acompanham a nossa trajetória e se regozijam com as nossas vitórias.

Marcelo de Oliveira Souza,iwa