Seguidores

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Zezinho Quebra-Gelo





Zezinho Quebra-gelo 



Muitas histórias bonitas existem entre homens e seus animaizinhos de estimação, cada um escolhe o seu tipo, como sou um morador de apartamento consciente, pensei em ter um que não incomodasse a vizinhança, que não fizesse barulho... 
Escolhi um peixinho ornamental, daqueles bem brabos, com cauda curta, são os mais resistentes; mas o que um peixe poderia acrescentar de história em um conto? 
Aí que você se engana, o nosso amigo da espécie zebrinha, começou com suas proezas, dentro do “mundo aquático” de quase um metro, entrava pela porta do farol e a saía pela janela, fazendo piruetas, era um verdadeiro “quebra-gelo”, pois as pessoas quando chegavam - principalmente os que nos visitam pela primeira vez - começam logo perguntando sobre criação de peixes ornamentais. 
Mas não é nada fácil, conseguir a façanha de ter um peixe como mascote, esse foi o que mais demorou, lutou contra doenças, falta de luz; “vizinhança incomodativa” - outros peixes, caramujos, lagostas - a qual ele aniquilava-os sem perguntas, pois gostava de viver sozinho no bioma. 
O tempo foi passando, o nosso amiguinho se fortalecia a cada vicissitude, o aquário de “mundo” virou no máximo um apartamento do tipo “kit net”, a “zebrinha” virou “zebrão”, todos admiravam o nosso amigo Quebra-gelo, muitos diziam que ele ficaria melhor numa frigideira, com cebolas e azeitonas, veja que maldade! 
Mas as coisas foram ficando mais difíceis para nós e para ele, pois o bicho não admitia mais viver naquele “mundinho” quebrava tudo, em sua “organização”, passava a noite todinha mudando as pedras do aquário, aquele farol que adorava tanto, tinha se transformado em um brinquedo, jogava-o para um lado e para o outro., quebrava bombas, termômetro e tudo mais que pudesse. 
Diante dessa dificuldade toda, não conseguimos desfrutar mais da sua companhia, resolvemos colocá-lo num saco e devolvemos o bichinho à natureza, lá no Dique do Tororó, inclinamos o recipiente e ele vagarosamente saiu, deu uma olhadinha para o seu bem-feitor e saiu, deixando um vazio, principalmente no aquário, as noites não serão mais as mesmas, não teremos mais barulho de pedrinhas rolando e Zezinho agora não quebrará mais “gelos”, o que ele quebrará agora será a sua dieta com um rico banquete de peixinhos selvagens, que realmente lamentarão a sua soltura. 


Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Esperando o outro Dia!




Esperando outro dia!


Repousada na cama cheia de energia
Recém saída do ventre, com alegria
Aquele choro, combinado
É tudo no mundo iluminado!

A criança certamente cresceria
Cheia de luz e vigor
A palavra certa
É exportar amor.

Na paz e tranquilidade do lar
A criança desenvolve...
O sentido verdadeiro de amar
Na sua rotineira jornada.

A adolescência, tarde irradia
Obtendo tudo que precisaria...
Pais atenciosos, harmonia
A mente é um mundo, guria!

Num lindo crepúsculo
Adulta, sua filha cria
Tudo que ela sentia
Se repetia, nostalgia...

Nesse final de jornada
Noite, tarde, dia
Onde nossa missão,
Sempre se cumpria.


Vem tudo na minha mente
Hoje não posso ficar descrente...
Porque depois da noite
Com certeza vem outro dia!

🤔Marcelo de Oliveira Souza, IwA
🤔Dr. Honoris Causa em Literatura
🤔 Do blog http://marceloescritor2.blogspot.com

segunda-feira, 2 de julho de 2018

VI Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,IwA



VI Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, IWA

(inscrições de 01 de julho 2018 até a cota do livro estiver preenchida - 80 autores)









Realização dos sites: www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net; http://marceloescritor2.blogspot.com e faceboook.com/psfronteiras

Apoio: Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências /RJ; Academia de Letras de Teófilo Otoni /MG; Academia de Letras do Brasil Sul e Baixo Sul da BA; Academia de Letras do Brasil/ Mato Grosso do Sul; Escbrás e FEBACLA.



Com o objetivo de estimular escritores de todo o Brasil e de outros países, o concurso premia os melhores trabalhos, comprovando o sucesso com sua 6a edição.

Em parceria com o Celeiro dos Escritores, TODOS os trabalhos participantes do evento estarão publicados na Antologia; e todos os autores receberão um exemplar da obra, na residência, sem nenhum ônus além da taxa de inscrição ( Livro via Correios, registrado).

Nesse Prêmio aceitaremos todas as expressões artísticas literárias: Contos, poesias, crônicas, haicais, etc. Desde que: O poema tenha até 35 versos e a crônica, conto ou outra expressão não passe de 1500 caracteres com espaços (por página).

Taxa de inscrição: R$ 50,00 que corresponde a 01 exemplar da Antologia.

(A ser paga através de boleto bancário, que será enviado ao autor inscrito, pelo Celeiro.)

Atenção:

a) Autores de Fora do País: 35 dólares ou euros.

b) Menores de idade: Só a partir dos 16 anos completos.

c) É permitido participar com mais textos, observando: Um texto para cada inscrição.



Exemplo: 01 inscrição - R$ 50,00 = 01 exemplar da Antologia.

02 inscrições - R$ 100,00 = 02 exemplares da Antologia e assim sucessivamente.



Dúvidas: entrar em contato com: Marcelo Souza – cel/whatsapp : 71-92510196 e-mail : marceloosouzasom@hotmail.com.

O RESULTADO dos vencedores será divulgado no site oficial do concurso: www.poesiassemfronteiras.no.comunidades.net; http://marceloescritor2.blogspot.com;faceboook.com/psfronteiras, por e-mail.



Premiação:

1°lugar: Troféu Personalizado + Camisa preta, com estampa do Pelourinho FEM Tam M + Certificado + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso + Livro Mundo Poético

2° lugar: Certificado + Livro Aracaju Pitoresco + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso + Chaveiro do OLODUM

3° lugar: Certificado + Revista Literária Artpoesia + poesia publicada em destaque na Antologia e no site oficial do concurso.

* Menção Honrosa Internacional: Daremos uma menção ao melhor autor estrangeiro que não esteja entre os três primeiros lugares: Certificado + Livro Mundo Poético + Miniquadro 2,5 X 19,0 cm pintado com o Tema: PELOURINHO + poesia em destaque na Antologia e no site oficial do concurso – caso não tenha autor estrangeiro o prêmio se extinguirá automaticamente.



Obs: O Livro Aracaju Pitoresco e Lendário é do autor Murillo Melins ; O Livro Mundo Poético é artesanal, do autor Marcelo de Oliveira Souza,IwA



Marcelo de Oliveira Souza,IwA



Dr. Honoris Causa em Literatura

Organizador e patrono do evento



Inscrições somente através do site: http://celeirodeescritores.org/inscricao.asp

Opção: Prêmio Escritor Marcelo

sexta-feira, 29 de junho de 2018

A Copa do Mundo é Nossa!





A Copa do Mundo é Nossa!




Essa época é inigualável para muitos brasileiros, as pessoas como sempre estão desestimuladas diante de  tantos problemas que assolam a nossa Pátria, mas depois começam a pipocar os fogos comemorando paulatinamente  cada vitória da seleção.
É muito subjetiva a ideia de torcer, pois muitas pessoas falam que o futebol é o “ópio do povo”, outras  falam que a seleção é  patrimônio cultural, gerando mais polêmica, porque enquanto a Brasil dos sonhos, está dando certo lá na Rússia, o patriotismo aflora, a nossa bandeira e Hino Nacional, “passeiam” no coração dos brasileiros.
Debates sem fundamento são feitos na televisão, passam-se muito tempo se perguntando se Neymar chorou ou não; se a seleção está jogando bem ou não está, contudo a vida continua nas penumbras da Copa do Mundo, pessoas continuam a sofrer por todos os tipos de desserviços dos nossos governantes, para não nos adiantar em outro adjetivo.
A nossa sociedade tem em seus berços o futebol, apesar do pouco investimento, sempre conseguimos ser um grande exportador de jogadores, que estão saindo cada vez mais cedo e nesse quadro, cada vez mais adolescentes admiram jogadores onde alguns não estão atentos para o fato de  que eles são verdadeiras “personalidades” para muita gente, “deuses” do Olimpo, de carne e osso, ao passo que são exigidos e cobrados; não têm estrutura para aguentar essa cobrança, sendo muitas vezes constrangedor assistir uma partida de futebol, onde o xingamento é uma máxima dessas “personalidades”...
Nesse mundo globalizado, vemos países ricos caírem, com boa estrutura na saúde, educação e todos os serviços; também vemos países  quase  miseráveis ganhando para os ricos, mostrando que não é simplesmente uma partida de futebol, é muitas vezes uma berlinda onde a autoestima  de um povo gira pelo gramado,  junto com milhões de pessoas acompanhando o destino de muita gente e de muito investimento feito para que tudo isso aconteça, onde sonhos são realizados e desfeitos em questões de segundos.
Da mesma forma muitos dos nossos gestores podem estar  mandando gente para lá, assistir a Copa, com o nosso dinheiro,   pois aqui no tapete da administração, o “jogo” da corrupção continua rodando, com Copa o sem  Copa, esperando pois, mais quatro anos para começarmos a sonhar tudo de novo.




Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Irreverência?




Irreverência?




Para quem  tem o privilégio  de conhecer o mundo saindo do nosso  do país, é muito bom para que possamos angariar  conhecimento e percebermos que  o nosso planeta é muito lindo e variado,  muito mais do que imaginamos.
Mesmo que   alguns   não sejam  um primor  de educação,  lá fora temos obrigação  de  dar o exemplo, visto que muitos dos brasileiros são olhados de canto  de olho e tem gente que não entende o motivo, até percebermos que tem compatriotas  que vão para fora do Brasil  se comportar pior do que em casa.
Por sermos privilegiados de poder fazer viagens para o exterior, temos que redobrar a atenção, porque   somos pequenos embaixadores da nossa terra.
A  Copa do Mundo de Futebol é uma grande oportunidade de mostrarmos nossa alegria e civilidade, contudo quando um grupinho de brasileiros, coloca numa rede social, brincadeiras desagradáveis, de extremo mau gosto,  no país deles,   a repercussão é extremamente negativa, nossa gente fica mal vista, com toda razão,  se eles fazem isso com os estrangeiros na terra deles, imaginem o que fazem aqui no Brasil.
Já presenciamos casos vergonhosos desse tipo com pessoas do interior da nossa nação  e também de fora do país, onde a irreverência  se destoa a humilhação alheia.
Apareceram na mídia   alguns vídeos desagradáveis sobre esse tipo de comportamento de alguns brasileiros, que certamente não é a imagem que desejamos mostrar para fora da nossa nação.
Muitos constrangidos, como esse que vos escreve, reprovam veementemente tal  atitude,  que não cabe em lugar algum, principalmente nessa época onde temos que prestar muita atenção no que iremos postar em quaisquer lugar, pois o verdadeiro poder é o poder da conciliação, do respeito e amizade entre os todos os povos.



Marcelo de Oliveira Souza,IwA

sexta-feira, 15 de junho de 2018

O Caminho da Elevação





O Caminho da Elevação 




No caminho até a perfeição 
Tem muita expiação 
Conflitos, guerras, luta desenfreada, 
A cruz parece grande... 
Tem hora que dá uma fraquejada, 
Infortúnios na nossa jornada 
Paz, amor e tranquilidade... 
Pode vir sim, acompanhada! 
Nossos desafetos, virão 
Como também afetos... 

Nossos colegas, testarão 
Nossos filhos, ajudarão 
Nossos pais irão, 
Nossos amores ficarão 
Tudo aos poucos, 
Ou num grande turbilhão, 
Às vezes não temos a menor noção, 
Que todos os caminhos 
É a grande provação! 
Pedregulhos, recolheremos com a mão, 
E depois de uma grande jornada, 
Com toda graça alcançada, 
Um dia alcançaremos a elevação! 



Marcelo de Oliveira Souza,IwA 

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na FEBACLA



Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na FEBACLA


O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; Dr. Honjoris Causa em Literatura ; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas;  Sobrevivendo e Mundo Poético, tem o prazer de comunicar que Acabou de entrar na Federação Brasiliera dos Acadêmicos das Ciências, Letras e Artes , RJ, como membro correspondente.
O laureado agradece ao  príncipe da Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente,  Dom Alexandre Cemêlo Rurikovick Carvalho, presidente da entidade e ao secretário Geral Dom Oséas da Silva Costa bem como  a todos e todas que acompanham o seu  trabalho, onde o apoio e a energia de vocês os levam a alcançar degraus mais altos a cada dia.




Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura


quinta-feira, 31 de maio de 2018

Corpus Cristhi





Corpus Cristhi

Um dia para refletirmos
Para onde caminha a humanidade
Se existe humanidade...

Ela existe?
Um passando a perna no outro
Pernada para tudo quanto é lado,
Outro vai para a igreja rezar.

Depois de tanta maldade
Até que merece ...
Mas o dia de farra continua
Bebidas para todos os poros
Trânsito em todas as estradas...

O corpo está ali estagnado
Ninguém lembra que o corpo existiu
A consciência ruiu
O povo ruim domina

A humanidade caiu...
Corpos nas estradas
A curiosidade reina
O acidente causado,

Coitado!
Não resistiu,
Mas o parceiro de viagem
Gravou e divulgou  na “cidade”.

O corpo fez sucesso
Mas dois minutos depois,
Tem outro mau sucedido
Que foi agredido e vencido
pelas drogas e pelo crime.

Mais um corpo esquecido
Que  será comido pelos bichos
Diferente do corpo de Cristo
Iluminado e bendito,
Virou tema de feriado
Onde tudo vai recomeçar
Em prol do seu nome iluminado,
Onde muitos irão novamente
v i a j a r...
E não voltam mais!


Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr.Honoris Causa em Literatura
http://marceloescritor2.blogspot.com

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Fora dos Trilhos!






Fora dos Trilhos


Através dos anos vemos percebendo que o nosso país vem definhando cada vez mais, uma nação pujante, rica culturalmente com uma extensão territorial da maiores do mundo, vem sofrendo muito pelo seu próprio povo.
Desde a Copa das Confederações aqui no Brasil, percebemos que aos poucos o povo vem acordando diante de tanto sofrimento e perdas de direitos, a nossa sociedade não está aguentando mais tanta corrupção e tanta falta de respeito para com o patrimônio público, seja financeiro ou natural.
Os nossos direitos estão sendo tão cerceados, onde   a sociedade está começando a se organizar diante de tanta dificuldade pela qual passa nosso povo, desde as mínimas situações, até as mais complicadas, tudo tem a sua ligação.
Nesse momento o Brasil inteiro está passando por mais um dificuldade, onde os caminhoneiros estão trancando a nação, lutando por seu direito de desempenhar o seu trabalho, com dignidade.
Quem sabe mesmo sobre martírio  são eles, pois enquanto  sofriam  calados, as coisas iam seguindo, às  custas de muita dificuldade,  mas às vezes é preciso gritar, parar para seguir em frente, não podemos aceitar brasileiros tomando “remédio”   para não poder dormir, pois tem prazo para levar carga, numa rodovia esburacada, perigosa em todos os sentidos, inclusive na questão da violência.
Tocando nesse assunto nevrálgico, o brasileiro está esmagado entre o governo e a violência, somos um povo que mais paga imposto, contudo somo um povo que menos tem direitos, somente deveres, nós trabalhamos, lutamos, mas não somos reconhecidos enquanto cidadãos, pois nossos direitos, são cerceados a todo momento.
As pessoas esquecem e até se acostumam rápido, com essas dificuldades, pois nosso povo ainda é ordeiro sim, pois se fosse em outro país, certamente essas vicissitudes diárias pela qual passamos, não aconteceria por tanto tempo, temos sim que aprender e lutar, para que as coisas se modifiquem mesmo que devagar pois enquanto as festas forem mais importantes que o nosso direito como brasileiro, seremos sempre subjugados como cidadão.



Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura



terça-feira, 22 de maio de 2018

Dia do Abraço!





Abraço

Gesto magnânimo de abraçar
Não gasta, não dói, só praticar
O abraço, braço no braço
Tira dor, tristeza, cansaço.

Tudo ganhamos ao compartilhar
Amor, vida, união, conquistar...
A humanidade irradia alegria.

Num abraço em um só dia
Imagine todo dia
Onde o abraço é aço
Num sentido forte a eternizar.

Marcelo de Oliveira Souza Iwa
Do blog http://marceloescritor2.blogspot.com
Boa noite🌚

Escritor Carioca Radicado na Bahia participa de Antologia em Sergipe.

Escritor Carioca Radicado na Bahia participa de Antologia em Sergipe.

O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas; Sobrevivendo e Mundo Poético, tem o prazer de comunicar que acabou de entrar em mais uma antologia, dessa vez é a II Antologia dos Escritores Aracajuanos, com o poema A Semana Santa Perdeu a Razão, onde fala da nossa perda de valores diante dessa tradição.
Organizador por Ylvange Tavares, ficando satisfeito em difundir seu trabalho entre os sergipanos, que tanto prezam pela cultura do seu estado.


Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Participação na Revista portuguesa Eisfluências




Muito contente com o resultado!


Marcelo de Oliveira Souza,IwA

O Conselheiro Luiz Vianna


O Conselheiro Luiz Vianna 

Na nossa sociedade a escola deveria ser a extensão da família, pois em casa aprendemos a ter noção de respeito, amor pelo próximo e até cidadania, onde o ambiente educacional só vem a acrescentar e trabalhar as primeiras noções de cidadania. 
Quando adentrei ao Colégio Estadual Luiz Vianna, ele oferecia para a comunidade o ensino médio e fundamental, tinha um ambiente arborizado, quadras e até um campo de futebol. 
A educação pública ainda dava os seus primeiros passos ao declínio, a começar pelo diretor, um contumaz paquerador, rodeado de estudantes, ele só queria papo com as meninas, com os garotos era implacável. 
Na sala de aula, existia um garoto chamado Dedé, todos pensavam que era porque ele era cearense, por causa do humorista Renato Aragão," mas esse humorista não é Didi? "
O nome dele era Andrade, ficou o apelido da última sílaba e permaneceu mais ainda a confusão, ele era bastante tímido, quietinho no cantinho da sala. 
Como os quietos são os mais perseguidos, o nosso colega Roberto começou a operação para perder a arcada dentária, infernizou tanto o menino, chegando a ponto de colocar o nome do “trapalhão” no quadro emendando um monte de impropérios, cinicamente ele chamou o coitado cearense e mostrou a sua arte. 
O outro menino surpreendentemente saltou da cadeira e mandou o incauto apagar aquelas palavras ofensivas, mas a resposta foi negativa, mais surpreendente mesmo foi o soco desferido, cujo garoto delinquente assustou-se e segurou a boca com a mão, esvaindo –se de sangue, com a outra apagou prontamente a lousa. 
Depois disso o tímido garoto desabrochou e começou a querer mandar na sala de aula, era tido como o mais valente e tinha um desafortunado rapaz da arcada dentária torta que não deixava ninguém esquecer, ocorrendo uma mudança de comportamento: O tímido ficou valente e o gaiato ficou tímido. 
O meu melhor amigo era uma comédia, levava tudo na brincadeira, até a cara dele era engraçada, o nome era Banha, só queria brincar e rir, o pior é que ao ver o rosto dele sorrindo eu também não me controlava, era gargalhada para tudo quanto era lado, a professora parava a aula e ficava nos acompanhando naquela aventura de rir pelos cotovelos, se me perguntasse o motivo, eu também não sabia. 
Tinha um tal de Silvio, que percebeu meu jeito com a economia e resolveu me pedir dinheiro emprestado, prometendo pagar no final do mês, os dias foram se passando e nada do menino devolver o meu dinheiro. 
Tive que criar uma estratégia para reaver meus valores, comecei a ligar para a casa dele a fim de avisar da dívida, não é que ele começou a mandar dizer que não estava? Tive que partir para o plano B, sempre temos que ter um plano secundário, assim quando ligava para a sua residência, dava o recado que ele me devia, foram tantas as ligações que ele foi à minha casa zangado, me chamou e jogou o dinheiro no chão, nunca mais nos falamos, por isso que as pessoas usam aquele velho ditado: “quem empresta, não presta!”. 
Como minha maior diversão era a paquera e escrita, qualquer vacilo estava jogando o meu charme, aproveitava tudo, sendo bonitinha, que mal tem? 
Cartas de amor e poemas eram as minhas armas prediletas, até de quem eu não estava muito a fim mandava um poemazinho, só para ficar vendo a garota procurar quem escreveu a obra de arte, era muito divertido... 
A vida não era tão fácil lá, tinha até banheiro misto, os garotos adoravam! Subiam no vaso sanitário para ver o que a baiana tem e ninguém nunca percebeu esse atentado ao pudor, ou pelo menos não deu importância. 
A merenda todos gostavam de chamar de “Bonzo” uma ração antiga para cachorro, mas até que não era ruim, como ninguém gostava de se submeter à ração, íamos comer sonho com picolé, mas o rapaz do picolé gostava de enganar os meninos e meninas, ele nunca tinha troco, o que me irritava. 
Certo dia, planejei uma para o tirado a esperto, juntei um monte de moeda de cinco centavos e fui comprar o produto dele, ele olhou-me com tamanho desdém e vociferou: 
- Ta maluco! Eu não aceito isso não! 
Eu prontamente emendei que era crime rejeitar o dinheiro do país, ele me fuzilou com o olhar e cedeu ao meu argumento. 
Em frente ao colégio morava uma garota da turma vizinha, Alba, bem simpática e cativante, tão cativante que muitos garotos queriam conquistá-la, quando chegou a minha vez, esperei o ambiente escolar ficar vazio e fomos para o jardim, mas o tal do diretor cabeludo me viu e saí debaixo de gritos, a concorrência ali era braba! 
Pior era nas festas da escola, era onze, doze garotos para uma menina, que horror! Era praticamente impossível dançar com uma “gatinha” quanto mais dar um beijinho. 
As que eram mais bonitas, queriam carinhas de motocicleta e a gente que era usuário do “pevette” ou usuário do buzu, não tinha vez. 
Para ir ao colégio era uma aventura, todos esperavam a linha do Centro Administrativo e ficavam no fundo, para sair sem pagar, o interessante que ficava um garoto ao lado do cobrador, o abusado contava quantos desciam por trás, os chamados de “trazeiristas” e cinicamente fazia o relatório para o homem da cobrança, sendo o último a sair pelo fundo. 
Era tudo para poder economizar um dinheirinho da mesada, uns até se misturavam as meninas para pedir carona, duvido que os pais deles sabiam dessa aventura no final da aula. 
O dia da orquestra sinfônica da Bahia foi impagável, o diretor  resolveu trazer esse grupo de musicistas, muito interessante por sinal, mas a música não agradava a todos, infelizmente, dava até desespero em alguns colegas, o pavor foi tanto que muita gente saiu correndo para pular um muro de três metros, até hoje eu me pergunto como conseguiram, precisou a direção entrar em ação, o homem do cabelão branco saiu com a sua turma disciplinar e começou a puxar o pessoal de volta para o colégio; um aluno segurando no outro provocou a queda de todos que estavam lá, um verdadeiro efeito dominó! 
Mas teve uns que preferiram invadir a casa do vizinho, como meu colega Raimundo, ele traçou essa estratégia, ele e outros  colegas seguiram adiante, o pior é que pularam o muro e atravessavam um quintal enorme, cheio de árvores, ainda passavam na frente do colégio com a maior cara de pau, mas Raimundo não teve tanta sorte, pois quando tentava atravessar o lugar, saiu de traz um cachorro enorme, pastor alemão, ele voltou correndo para o ponto de partida, mas quando chegou o homem do cabelão já estava com a suspensão na mão. 
Para falar em final de aula, um colega nosso resolveu brigar com um pivete da região e o marginal resolveu revidar, chamando uma verdadeira turma para pegar o nosso colega na saída do horário, tinha para mais de quinze garotos. 
Foi o maior  corre-corre, o pior que sobrou para mim, não queria brigar com ninguém somente ir para casa, mas fui convocado e como ninguém abandonava ninguém, nos juntamos e ficamos esperando um colega nosso chamado de Cavalo, convocar os amigos dele lá do Horto, quando vieram foi paulada para tudo quanto era lado, “correntada”, cabo de aço chiando, todo mundo no maior quebra pau e eu lá no cantinho olhando e me esgueirando para não sair de covarde, pois eu tinha que guardar isso na memória para um dia contar aquela batalha épica, igual como os escritores de antigamente faziam nas epopsias. 
No outro dia apareceram machucados, arranhados e até alguns foram parar no juizado de menores para saber o acontecido, o tal marginal chamado de Sapo, nunca mais apareceu. 
O nosso colégio era bastante conhecido na comunidade, pela sua eficiência e pelos esportes, o professor de educação física era preparador físico do Vitória; lá era trabalhado atletismo, futebol, vôlei, tinha até campeonato com outras escolas, inclusive escolas particulares iam lá participar de torneios; numa dessas disputas, perdi o interesse de ostentar o nome da unidade de ensino, foi quando numa dessas competições as meninas xingavam os adversários de tudo quanto era nome, foi aí que percebi que o colégio já era pequeno para minhas pretensões. 
Saindo de lá no outro ano, indo para outro colégio de referência, mas o Conselheiro Luiz Vianna mudou, mudou até a sua estrutura, agora é somente nível médio e até perdeu o título de Conselheiro, isso mostra de como a atual educação pública tem se diluído, dissolvido tanto que no estado da Bahia, passam-se três meses de greve e não há ninguém que faça o tal do governador recordista em cinismo dar uma maior atenção para a educação. 



Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura

domingo, 13 de maio de 2018

Feliz Dia das Mães!


ABACATE!


Quebrando o silêncio da madrugada, 
A colher trabalha agitada 
A cozinha iluminada, 
Ela acorda, mesmo cansada, 
Sem dormir a noite toda 
Com sua saúde prejudicada... 

Era um medo de nunca ser lembrada... 
Ela não imaginava 
Que o abacate não era nada 
Mas ao mesmo tempo 
Dizia tudo... 
Nessa música enrolada, 
Com a fruta machucada... 
Ela produzia sons que desenhavam 
Para a eternidade... 
O amor em forma de colherada. 


Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Do livro Confissões Poéticas
Do blog 🤔http://marceloescritor2.blogspot.com
Homenagem à minha falecida mãe 
Maria Lydia de Oliveira Souza



FELIZ DIA DAS MÃES!

sábado, 12 de maio de 2018

Resultado do XIV Concurso Literário Poesias sem Fronteiras









Resultado do XIV   Concurso Literário Poesias Sem Fronteiras


É com orgulho e satisfação que estamos revelando o resultado final do   XIV  Concurso Literário Poesias sem Fronteiras, foram muitos textos maravilhosos de todos os cantos do nosso imenso território brasileiro e do exterior,  mas como todo certame,  temos que escolher os vencedores.
Agradecemos a todos e todas que nos acompanharam nessa nossa longa e proveitosa jornada de quatorze anos, bem como aos novos amigos que aportaram nesse sonho maravilhoso de ver nosso texto publicado e concorrendo com os melhores escritores do país.
Agradecemos as nossa entidades que estão sempre conosco valorizando e prestigiando o nosso trabalho ano após anos.
São elas:
Academia de Letras de Teófilo Otoni MG
Academia de Letras do Brasil seccional/ Sul e Baixo Sul da BA
Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências – Arraia do Cabo RJ
Academia de Letras e Artes de Cabo Frio  RJ
Sociedade Ibero-americana de Escritores  -  Espanha
Escribrás – Através da Escritora Léa Lu
Associação Internacional de Escritores e Artistas - IWA


Peço aos escritores laureados que ao receberem a premiação – que já está a caminho -  enviem a sua foto com a mesma, com um depoimento para a divulgação na mídia. Os outros podem tirar a foto com o livro quando chegar e encaminha para a organização do evento.
Fazemos uma grande parceria com  a Academia de Letras de Teófilo Otoni, em que  os participantes estão qualificados para adentrar essa honrosa entidade, quem desejar, é só entrar em contato conosco através do e-mail marceloosouzasom@hotmail.com.
Quem estiver vendo essa mensagem e quiser ser avisado do próximo concurso, é só enviar também uma mensagem para o citado e-mail, os participantes já estão automaticamente cadastrados.


Marcelo de Oliveira Souza, IwA
Escritor, organizador do evento
Dr. Honoris Causa em Literatura







sexta-feira, 11 de maio de 2018

Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na ALACAF




Escritor Carioca Radicado na Bahia entra na ALACAF


O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas;  Sobrevivendo e Mundo Poético, tem o prazer de comunicar que Acabou de entrar na Academia de Letras e Artes de Cabo Frio, RJ, como membro fundador.
O laureado agradece a  Izabelle Valadares e a todos e todas que acompanham o seu  trabalho, onde o apoio e a energia de vocês os levam a alcançar degraus mais altos a cada dia.




Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura


A Fila e A Festa



A Fila e a Festa



Todo mundo sabe que brasileiro, principalmente baiano na maioria, ,   gosta muito de festa, é animado por natureza, qualquer coisa é motivo para fazer um pagodão regado a muito cervejão, onde  já presenciamos diversas situações inusitadas envolvendo esse jeito peculiar do comportamento de boa parte dessas pessoas daqui, na melhor das hipóteses.
Vimos greve regada  à muita festa e churrasco, passeata com trio elétrico, sempre muitas movimentações que não tinha nada a ver com festejo, mas ali estava o pessoal “bebemorando”.
Agora algumas situações nos deixaram perplexos com a criatividade daqui do pessoal de Salvador, diante das piores tribulações, eles prontamente arranjam um isopor, pandeiro e cavaquinho, para se divertir na fila do Ferry Boat, um dos piores transtornos em termos de fila e desorganização que sofremos para atravessar a Baía de Todos os Santos, indo para o Bom Despacho, terminal em Itaparica, ali são horas a fio, para fazer essa famigerada travessia, não é fácil não, mas a adaptação do soteropolitano diante do sofrimento faz tudo virar festa, alguns acham até divertido, dizem que paqueram, merendam, bebem, dão uma voltinha e tudo continua naquele festejo, só não saiu churrasco porque não pode, mas existe todo um comércio desfilando junto com as pessoas que dão uma voltinha para quebrar o tédio.
O pior que não fica por aí, agora com o recadastramento eleitoral, que obriga a gente a pegar aquela fila quilométrica, debaixo de chuva e do sol, tem gente dormindo na fila no dia anterior para conseguir um lugarzinho, mas nem por isso o pessoal se fez de rogado, trouxeram banquinhos, isopor e todo tipo de instrumento de “pagodagem” para novamente mostrarem que estão aqui em Salvador, com muita alegria “cervejão” e muito tempo para curtir a fila dos desesperados, que hoje não é nem mais tanto desespero, infelizmente, o pessoal está se acostumando com o ruim,  com o desserviço desde que haja festa e o resto que espere.


Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honóris Causa em Literatura 

segunda-feira, 7 de maio de 2018

I Antologia Internacional Día Mundial Del Libro y del Derecho del Autor"







Organizador do Concurso Literário Poesias sem Fronteiras Marcelo de Oliveira Souza,IwA; participa da I Antologia Internacional Día Mundial Del Libro y del Derecho del Autor" Organizado por Mabel Cuencas.em Hernandarias Paraguai.


Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Dr. Honoris Causa em Literatura

sexta-feira, 4 de maio de 2018

O Decrépito Parque Solar Boa Vista!









O Decrépito parque Solar Boa Vista

Os anos passam e o nosso Parque Solar Boa Vista, Salvador BA, continua estagnado diante de tanto desleixo dos nossos governantes, seja prefeitura ou seja governo, onde nesse jogo de empurra-empurra, quem sofre mesmo é o povo.
As pessoas morrem de medo de adentrar o decrepito lugar, onde até a residência de Castro Alves que era o alicerce do parque, já não existe mais, é espaço para o ilícito, somente sendo a proteção de tudo de ruim que acontece a céu aberto.
A sociedade local até já está acostumada com o ruim, pois a maioria dos brasileiros já não acredita mais em gestão, o bem comum, público é a degradação da violência e do ilícito.
Não tem uma fiscalização para coibir o estacionamento de caminhões e caçambas no local; não tem nenhuma guarda de qualquer tipo, que dê um mínimo de segurança para algumas crianças “brincarem” na sucata de brinquedo ou que possa correr entre o matagal.
A gente não tem nem coragem de tirar uma fotografia para mostrar o ambiente, pois pode ser assediada por pessoas perniciosas.
Já publicamos inúmeras vezes, protocolamos o pedido de socorro na prefeitura e nada é capaz de tocar o coração dos governantes para a reforma desse local.
Esses são os representantes que escolhemos, muita propaganda de governo e prefeitura, mas enquanto ao parque Solar Boa Vista, não tem obra tamanho G nem tamanho P, tem é muito desespero e indignação pairando no decrepito parque Solar Boa Vista.

Marcelo de Oliveira Souza,IwA
Do blog http://marceloescritor2.blogspot.com

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Escritor Carioca Radicado na Bahia ganha Honoris Causa





Escritor Carioca Radicado na Bahia ganha Honoris Causa 





O Escritor Carioca Radicado na Bahia, Marcelo de Oliveira Souza,IWA; organizador do concurso literário Poesias sem Fronteiras e do Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa; autor dos livros A Sala de Aula; Conto e Reconto; Confissões Poéticas; Sobrevivendo e Mundo Poético, tem o prazer de comunicar que ganhou o título de Doutor Honoris Causa em Literatura, agraciado pelo Centro Samaritano de altos Estudos Filosóficos e Históricos, sediado no Rio de Janeiro RJ, em reconhecimento pelo nosso relevante trabalho prestado à literatura e apoio à cultura no Brasil e exterior. 

Muito nos honra esse importante título, ao qual nos fortalece e nos motiva a seguir essa trilha muito difícil mas gratificante e dignificante, 

Agradecemos a todos e todas que acompanham a nossa trajetória e se regozijam com as nossas vitórias, agradecendo principalmente ao Dom Alexandre da Silva Camêlo Rurikovich Carvalho, pela valorização do nosso trabalho. 



Marcelo de Oliveira Souza,iwa 

Dr. Honoris Causa em Literatura 

sexta-feira, 20 de abril de 2018

São Lázaro ao meu Lado!



São Lázaro ao meu Lado !


Com São Lázaro ao meu lado 
Como ficar angustiado? 
Protegido no embalo 
Sua companhia, a me inspirar... 
Sou grato, abençoado! 
Vivo sempre regozijado. 
Renovo sempre de pé 
Em orações, minha fé, 
Amado e eternizado. 
Anjo forte, louvado, 
São Lázaro, sempre ao meu lado. 

Na sua companhia, inspirado 
Fortalecedor da minha vida 
De sua força, sou merecedor 
Difundindo seu nome com amor 
Na alegria, contemplado 
Na dificuldade, sustenta-nos 
É quando, percebemos 
Tudo se resolve, de imediato 
Pois 
Lázaro, amado... 
Sempre está ao meu lado. 

Marcelo de Oliveira Souza IwA🌹