Seguidores

quinta-feira, 28 de julho de 2011

A Terra do Nunca!

Contador de visitas

A Terra do Nunca


Muitos gestores passaram pela nossa cidade de Salvador, cada um com a sua característica, mas esse nosso administrador fica a desejar em todos os sentidos. Mesmo ganhando duas vezes e apelidado pelos marqueteiros  como “Guerreiro do Povo”!
A cidade está completamente desamparada, roubos, furtos,  saidinha bancária e até a volta dos  seqüestros;  as praças da soterópolis estão entregues aos mendigos, cães abandonados ou bandidos; a insegurança é geral.
Ninguém se atreve passar depois de um determinado horário no falecido Parque Solar Boa Vista, ele virou  lava-jato, ponto de desocupados, estacionamento, lixeira  e tudo de ruim que possamos imaginar, menos área de lazer, não tem ninguém para multar, fiscalizar nada. O parque da cidade a gente só pode passar pela  parte da frente se resolvermos nos afastar, não voltamos ilesos, mesma coisa é o com o lindo parque de Pituaçu.
A questão dos transportes é uma verdadeira vergonha, os terminais da Lapa e Pirajá estão sucateados, esperando um metrô de onze anos de expectativa;
As pessoas sabem o horário que saem, mas não sabem o horário que voltam, isso quando voltam, não sendo  seqüestradas ou assassinadas, os sortudos que conseguem retornar rezam para que tenha transporte, que já é muito caro, e que o motorista se apiede de sua alma, parando nos locais apropriados, senão serão mais uma vítima em potencial dos bandidos e não adianta ter carro, só se for blindado, pois eles podem atacar a qualquer momento, principalmente se estivermos nesses intermináveis engarrafamentos que permeiam essa Terra do Nunca, ou perdidas entre esses inúmeros buracos das ruas.
Serviços bancários a gente passa o dia todinho para resolver, não podemos nem sair com uma quantidade grande de dinheiro, pois somos observados como antílopes, saboreando  carnívoros.
Os pontos turísticos e bairros nobres não estão livres dessas mazelas não, o Pelourinho antes era uma redoma de segurança, envolta da criminalidade que tomava conta do centro da cidade, depois de determinado horário, mas agora está tudo dominado, os turistas têm que andar em grupos; Farol da Barra além de não ter banheiro público, quando tem esse tal azulzinho, corremos risco de assalto ou estupro  dentro deles como no caso do estuprador do Comércio e do sanguinário assassino do banheiro do  Cristo da Barra, que até hoje não sabemos resposta.
Afinal essa Terra do Nunca implora que apareça um Peter Pan que não cause pânico como esse Capitão Gancho, pois sua mão quebrada está acabando com os nossos sonhos!


Marcelo de Oliveira Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário