Seguidores

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Suicídio



Suicídio
Quando morava no antigo prédio, havia uma síndrome, diziam que tinha um espírito de um suicida que rondava o prédio.
Uma empregada doméstica desesperada pela sua demissão, resolveu voltar e visitar sua ex-patroa, quando a dona abriu a porta, ex-empregada entrou e correu para a janela jogando-se prontamente.
Um vizinho nosso que trabalhava em um Banco Federal, com esposa e um filho, cunhado de um amigo meu, parecia não ter juízo certo! Deu um tiro na cabeça dentro do banheiro.
Um rapaz, também morador deste fatal edifício, durante uma festa no seu apartamento, dizia ser aidético, falou à sua turma que ia fazer uma viagem, ninguém levando a sério, precipitou-se para baixo, em que eu só ouvi um grito estarrecedor, onde até hoje ecoa em minha mente.

Próximo ao prédio, num viaduto, já aconteceram vários acasos, um mesmo foi no final da tarde, quando passava, só vi um homem pulando para a morte! A mãe de uma ex-namorada minha, que também mora numa rua próxima a este prédio, foi buscar a esperança após as grades do viaduto, dizendo que seria desgosto com a família. Brotas tem um índice alto de suicídio,motivo que me fez escrever este conto. Ainda hoje aconteceu mais um, não sei qual o motivo, nem quem era. Só sei que este ato é um atentado contra a lei do Senhor, até os espíritas dizem que o suicida tende a vagar pelo local, sofrendo muito, sensação de que eu sentia ao passar pela área onde o suicida aidético caiu, pedindo a Deus, paz pela alma dele, que num ato de desespero absurdo tirou a própria vida. O que leva o ser humano a isso?  É coincidência o suicídio no mesmo local ou há algum motivo sobrenatural?  Será influência desses espíritos suicidas?  Uma coisa temos certeza, se tivermos amos a Deus, a nós e a todos que nos cercam, tal atitude nunca será tomada.
Marcelo de Oliveira Souza

2 comentários:

  1. Amigo tanta desgraça junta é um pouco macabro.
    Beijinhos de luz e paz na alma.

    ResponderExcluir