Ajuda na manutenção do blog: Conta Poupança 5920-0 Agência 3679-0 Para Marcelo de Oliveira Souza

domingo, 18 de abril de 2010

Escrito nas Estrelas

Escrito nas Estrelas







Todos sabemos como é difícil educar um filho, principalmente nos tempos de hoje, com a televisão, o advento da internet, redes de relacionamentos, comunicadores e tudo que possa vir para deseducar e afastar os membros da família de uma boa conduta.

Muitos pais se perdem em meio à obrigação de cuidar dos seus rebentos contemporizando com uma vida social e produtiva.

Nessa difícil relação ainda tempos que abordar a briga entre casais que poderá até culminar em uma separação; alcoolismo e outros vícios piores; traumas e outros tantos fatores que são abordados rotineiramente em alguns programas de tv.

Da mesma forma que a televisão deseduca, tem muitas outras programações que podemos utilizar em nosso crescimento próprio e até como forma de nortear os nossos entes queridos, absorvendo o melhor na grade televisiva.

Um grande exemplo é “A grande Família”, todos têm problemas de relacionamento, contudo percebemos uma interação muito bonita, o filho “Tuco” com todas as suas imperfeições de um desempregado, vida mansa, ainda clama atenção ao pai, querendo que o seu genitor ainda se orgulhe de todos os seus defeitos, uma relação difícil mas que é suplantada com muita confusão e amor.

A nova novela das seis horas na Rede Globo, “Escrito na Estrelas” é mais um grande exemplo de relacionamento entre pai e filho, onde um promissor médico tinha um relacionamento muito difícil com o seu viúvo pai, eles possuíam ideias díspares e diante disso o filho resolveu sair de casa a fim de que possa seguir o que achava correto.

Independente de quem está certo ou não, o importante é que percebamos que o relacionamento entre as pessoas está cada vez mais difícil, principalmente entre pais e filhos, muitos deles pensam que irão morrer primeiro que os seus antigos pimpolhos, seguindo a lei da natureza, contudo não é bem assim, Deus têm muitos planos e muitas lições a nos ensinar, não é à toa estarmos aqui; não escolhemos os nossos parentes, há muita coisa além disso e a maior lição é a do amor incondicional, entre pais e filhos, a relação mais singela.

Esse aprendizado é muito difícil, a cada dia temos uma nova lição, contudo a maior dela é não esquecermos de amar os “nossos”, valorizando-os, auxiliando-os, independentemente de tudo, pois as convenções muitas vezes servem para afastar e um afago não utilizado na hora certa, pode gerar muito arrependimento no futuro e não haverá inseminação artificial, espiritismo nem nada nesse mundo que possa dirimir o sentimento de perda e de culpa que poderemos carregar.





Marcelo de Oliveira Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário