Seguidores

sábado, 30 de maio de 2015

Sofrendo na Login!



A situação da nossa sociedade é muito difícil, o jeitinho, a propina e tudo que possa beneficiar os "espertos" está virando uma triste normativa, onde um simples problema com computador poderá eclodir em um monte de problemas, causados por uma gama de oportunistas.
Foi assim que aconteceu com mais uma pessoa nesse imenso país de "oportunidades" , que teve um problema no computador e mesmo pagando não encontrou algum "conhecido" que fosse ao local.
Caso a gente resolva procurar nos classificados de jornais, o medo é constante de ambos os lados, ninguém que ter um estranho adentrando a sua residência, tampouco um trabalhador honesto quer se aventurar em ir a um lugar desconhecido.
Para se resolver esse impasse, foi decidido comprar um computador novo, lá na Login Informática, do Salvador Shopping, um vendedor  se aproximou do ansioso comprador e apresentou dois computadores, um muito caro e outro mais condizente com a situação do nosso amigo.
Claro que ele escolheu o mais barato como todo mundo escolheria, mas não foi explicado que a CPU não vinha sem drive de CD e que não teria uma memória boa para segurar um programa pesado como o Windows 8.
A compra foi efetuada depois de muita insistência do vendedor em vender um plano de extensão da garantia, parecia que ele era mais vendedor desse plano que de computadores.   O nosso amigo disse que não queria nenhum plano e saiu...
Ao chegar à sua residência ele tratou de instalar logo o Desktop, mas para sua surpresa não havia drive de CD para instalação, mesmo com a CPU reservando um lugar que tinha até um botão "cego", que serve  somente para enfeitar.
Ao retornar à loja, o nosso amigo pediu explicações, dizendo que o aparelho veio sem CD, prontamente a coordenadora disse que esse tipo de máquina não vem com CD , que o nosso amigo deveria adquirir mais esse novo produto.
O cliente sofrido não aceitou, pedindo o dinheiro de volta, mas eles não quiseram atender ao pedido, inclusive ligaram para a gerência para certificar-se da possibilidade, segundo eles.
Os  atendentes disseram que o gerente estava em reunião e que não poderia atender, dizendo que o responsável pela loja tinha dito a mesma coisa, que não poderia devolver o dinheiro.
O sofrido consumidor saiu cabisbaixo, com a CPU debaixo do braço, no outro dia ele foi para a oficina da Login, no caminho das árvores  e pediu para instalar o Drive de CD, da antiga CPU  e o atendente o fez prontamente  ainda   disse que aquele produto é muito lento e que precisava de uma memória maior, onde o nosso amigo teve que desembolsar mais noventa e oito reais, isso porque o atendente foi "bonzinho" e aceitou  a memória menor como moeda de troca, pois o produto ainda estava da garantia de 72 horas.
Depois de tanta confusão por causa de um computador, percebemos que o consumidor virou  bagaço na mão de péssimos vendedores, mais preocupados em vender planos, do que seus produtos, que apesar de qualidade, eles escondem a capacidade do produto para poderem ganhar cada vez mais encima de quem não entende.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

A Cidade dos Espertalhões


A Cidade dos Espertalhões 


Salvador é uma cidade conhecida também pelas invasões, a nossa topografia facilita muito a criação de favelas, ainda nos dias de hoje. 
Mesmo com o risco da chuva levar tudo, as pessoas continuam "tomando" as áreas públicas e privadas à procura da sua moradia definitiva. 
Como as pessoas na nossa terra são acomodadas e pensam que o bem comum não é de ninguém, foi instituída na nossa cultura que o espaço público ou até um espaço vazio não pertence a ninguém e como em uma cidade do nosso tamanho é quase impossível fiscalizar sem denúncia, as pessoas se aproveitam para invadir o que é de todos, até mesmo terrenos em prédios e conjuntos residências isso acontece. 
Mas também existe outro tipo de invasão justamente embaixo do nariz do transeunte, a invasão das calçadas, ao invés de serem lugar de passagem de pessoas, o local vira espaço de vendas de ambulantes de todos os tipos. 
No centro da cidade a prática existe menos, contudo é fiscalizada, porém, nos bairros essa prática acontece rotineiramente, onde as pessoas têm que sair da calçada para dividir os espaços com carros. 
Na Boa Vista de Brotas, esse tipo de prática está tornando-se normal, já foi comentado várias vezes sobre a Rua Professor Aristides de Carvalho Filho, sobre a prática de oficinas de beira de rua que toma a calçada e não existe ninguém na face da terra que possa dar um jeito naquela "ferida" . 
Sobre o falecido Parque Solar Boa Vista, acontece todo tipo de irregularidade e essa já tornou-se normal, contudo essa prática vez se avolumando, agora é na Rua Boa Vista, caminho do Engenho Velho de Brotas, onde tem um senhor da barriga avantajada que duas vezes por semana toma o espaço perto da Secretaria da Prefeitura e faz do lugar o seu próprio mercadinho; logo do outro lado da rua tem uma novo bar chamado Bakkanas que se apodera da calçada, cobre e coloca as mesas na calçada, tomando o espaço para as pessoas passarem, se alguém passa na calçada, quando ela está cheia de clientes, os próprios frequentadores ficam procurando confusão, como se ali fosse uma área particular, quando chove então a situação piora, pois o guarda-chuva de quem passa na calçada termina molhando os clientes da calçada, isso não é nada "Bakkana" gerando confusão. 
Até onde iremos aceitar a falta de gerenciamento dos espaços públicos na nossa cidade? 
Temos certeza que não é isso que o nosso novo prefeito ACMN quer para os moradores dessa bela cidade tomada por incautos e espertalhões. 



Marcelo de Oliveira Souza,IWA 

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Cunhada!



Cunhada

 

Entrando muda, calada

Era sempre acanhada

Uma conversa

Que não saída nada,

Pequena e sempre amada

Ela cresceu e ficou ainda

Mais animada.

As conversas começavam

Em revoada...

Um mundo girava

E a amizade, renovada.

Irmã, amiga, apegada...

O destino, na beleza

Da alvorada.

Médica, enfermeira...

Ao ramo da saúde, aproveitada,

Da forma mais encantada

A minha linda cunhada

Conquista todos os corações

Com sua palavra colocada!

 

 


 

Marcelo de Oliveira Souza,IWA

 

 

 

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Dia das Mães


Dia das Mães

Nesses dias de violência é muito difícil saber como nossa mãe se sente, sendo o esteio da família, está cada vez mais complicado unir os nossos familiares em nome da paz, do amor e da solidariedade. 
O amor de uma verdadeira mãe não muda nunca, não importa a distância, o tempo, idade ou espaço, só que nesses tempos que muitos dizem ser apocalípticos, o respeito por esse presente divino está caindo por terra; muitas mães no exagero do seu amor, terminam por estragar os seus filhos, por muito mimo e excesso de cuidados ou por cumplicidade em atos ilícitos. 
Nessa grande experiência de ter um coração materno, muitas vezes terminam na faixa limítrofe do certo e do errado, por isso o importante mesmo é ter a lucidez de ser firme na hora certa, pois muitas vezes o remédio amargo é justamente aquele que cura o doente. 
Por isso,  nesses dias festivos, vale à pena alertar todos que ainda têm esse tesouro nas mãos, aproveitem o dia das mães e façam uma reflexão, sobre como nossa mãe está sendo tratada no cotidiano, pois o consumismo desse dia certamente exigirá um presente, entretanto, o que importa realmente é o amor que destinamos para essa valorosa mulher, que nunca vai exigir retorno, mas o maior retorno que podemos dar é o nosso olhar de filho, dizendo muito obrigado! 



Marcelo de Oliveira Souza, IWA - Salvador BA

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Poema em Homenagem ao Dia do Trabalho

O Rei do Sertão 


Não tem Virgulino 
Corisco, nem Lampíão! 
Segurando a lamparina 
Tranquilo, está 
o Rei do Sertão! 

A seca aumenta 
O juízo esquenta 
O Rei do Sertão! 
Com a enxada na mão! 

Derruba uma , duas, três... 
Quem disse que não é de uma só vez? 
Cada espaço com o seu feijão, 
Ninguém o supera... 
A chuva esparsa só cai ali 
Naquele espaço! 

O rei do sertão 
Com sua superstição... 
Vislumbra a "barra" do vento 
Ao relento, ele manda. 

O Reinatão ninguém supera 
Com a clava forte "debulha", 
seca e ensaca, 
O Valente Renatão 
Das tarefas de Terra 
Do milho que encerra 
a safra e que conquista 
Tudo naquela serra. 

Do site www.usinadeletras.com.br e blog Http://marceloescritor2.blogspot.com

Marcelo de Oliveira Souza, IWA