Seguidores

sexta-feira, 6 de maio de 2016

A Volta de Madrinha



A Volta de Madrinha

 

Sempre tenho sonhos com a minha tia-avó que era madrinha da minha mãe, ela sempre foi muito próxima da gente, inclusive foi quem deu a imagem do meu anjo da guarda, quando eu tinha dez anos.

Ao falecer  não estávamos muito próximos por desavenças terrenas, mas quando ela partiu, sempre nos encontramos nesses caminhos espirituais.

Dessa vez ela apareceu no nosso ambiente familiar de quando era criança, vindo falar comigo depois de muito tempo, toda feliz com uma energia renovada.

Perguntei por que ela estava aqui e ela disse que veio justamente me visitar porque eu estava mais preparado, que era sua visita depois de muito tempo e estava muito feliz com isso.

Eu perguntei a ela se tinha encontrado minha mãe lá do outro lado, ela disse que não, inquiri sobre meu irmão, a tia também respondeu negativamente, insisti e perguntei se tinha encontrado São  Lázaro – pois ela também era devota dele - foi quando ela respondeu afirmativamente, dizendo que o santo tinha um recado para mim, que santo  a gente tem somente um, o nosso anjo verdadeiro.

Ela falou que os seres de luz deram uma oportunidade a ela para vir me perguntar sobre temáticas espirituais, pois os outros espíritos falavam muito difíceis e não entendia nada que eles diziam, mas eu entendia perfeitamente.

De repente abre-se uma porta e vem meu irmão mais velho – ainda vivo -   avisando que tem alguém me chamando, eu sem deixar de olhar  para minha tia – sei que nessa hora eles costumam sumir – disse que ia atender depois...

Passei um bom tempo conversando para ela e meu irmão veio ao nosso encontro, conversamos muito...

Diante dessa ocorrência, estava em pleno gozo da minha consciência, ainda disse que essa é a prova científica de que o espírito existe, pedi para meu irmão dar um passo à frente e outro para traz, a fim de demonstrar a nossa perfeita consciência e que não era um sonho.

Depois de tanta comemoração, a minha tia começou a perder energia e a desfalecer, só que estava consciente, já em forma de menino, ela perguntou o que era.

Eu fiz o sinal da cruz no espírito dela, que começou a descer lágrimas, me perguntando por que estava chorando, eu disse que era porque eu invoquei a presença de São Lázaro de Jesus Cristo.

Foi quando eu ouvi uma voz dizendo que podemos ter mais de uma religião aqui, pois para eles lá, só existe uma religião e todas levam a um só caminho: - Deus!

 

 

 

 

 

 

 

 

 




Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras

Nenhum comentário:

Postar um comentário