Seguidores

domingo, 28 de junho de 2015

Vencedoras do XI Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

 
 
 
 



Depoimento da Vencedora:

"Estou radiante com a conquista do 1º lugar e graças a você e a sua equipe por proporcionar este evento grandioso. 

Um grande abraço"
Helveti S. Lacerda Golfete - Cornélio Procópio PR

Vencedora do XI concurso Literário Poesias sem Fronteiras 2015

Quem desejar saber do nosso próximo evento é só mandar uma mensagem para marceloosouzasom@hotmail.com
 — em Cornélio Procópio - Norte do Paraná.

Depoimento do segundo lugar:
"Honrada com o prêmio e encantada por este maravilhoso mundo literário ter me tirado para bailar..."

Rosângela Nunes Rodrigues – Porto Alegre RS

Segundo Lugar no XI Concurso LIterário Poesias sem Fronteiras

Quem desejar ser informado do nosso próximo envento é só enviar uma mensagem para marceloosouzasom@hotmail.com
 — em Porto Alegre - RS.



sexta-feira, 26 de junho de 2015

A Lei do Errado também vigora no Trânsito

A Lei do Errado também vigora no Trânsito 


A cidade de Salvador virou uma verdadeira Torre de Babel, ninguém se entende no trânsito, mas o que vigora mesmo é a Lei do Errado. 
Todos estão cansados de saber que no Brasil as leis são feitas para não serem cumpridas, no trânsito também funciona assim. 
A maioria dos motoristas esquece o que é preferência, o que é direção defensiva e principalmente o que educação. 
O número de carros aumentou assustadoramente, o investimento ainda é muito pouco para organizar essa confusão urbana, assim o que vemos mais é desrespeito nas vias, os motoristas ditos "profissionais" são os que mais "aprontam" , fazem tudo de errado, mas quando um distraído motorista de carro particular faz alguma coisa, a buzina "come no centro" na melhor das hipóteses. 
Num desses engarrafamentos eu estava parado seguindo a fila, quando um carro veio e colidiu com o meu, um homem saiu todo sem graça pedindo mil desculpas, disse que não tinha percebido a distância, por isso foi de encontro à traseira do meu, ele foi bastante solícito, apresentou um documento dizendo que ia fazer uma vistoria naquele momento e que ia resolver tudo da melhor maneira. 
Deu o número do telefone celular dele, fez questão que eu ligasse para confirmar a veracidade e disse para eu fazer o orçamento do amassado que ia pagar. 
Após eu ter feito o orçamento, liguei prontamente para ele, que disse ser um preço muito alto, eu falei que o preço aumentou um pouco para causa da pintura. 
Depois disso ele não quis mais atender a minha ligação, onde prontamente fui registrar a queixa na secretaria municipal de trânsito, que aqui dá-se o nome de Transalvador. 
Esse órgão não vai mais ao encontro do sinistro, a orientação é que se a colisão for pequena e sem vítimas, que a gente pegue os dados que puder e registre a queixa. 
Feito isso, fui direto para o Juizado de Trânsito, onde fui muito bem atendido, foi "puxada" a placa do veículo, onde eu tinha tirado a foto. 
Lá pegou-se todos os dados, dando início pois, a construção de um processo, em que foi marcada uma audiência do meio do mês seguinte. 
Quando fui para a audiência, tamanho foi um grande susto, ele não estava lá, mas o pior é que a intimação dele não encontrou o seu destino, dando como endereço insuficiente. 
A mediadora falou para mim que eu deveria procurar o endereço correto, para informar ao juizado, pois a instituição faz o favor de pegar os dados do elemento, mas quando não consegue, temos que tomar duas atitudes: Desistir do processo ou procurar o endereço do dono do veículo. 
Ela ainda reiterou que eles vão tentar me ajudar e cruzar os dados com a Receita Federal, para ver se terei sorte, ainda disse que não podemos deixar de ir à próxima audiência, mesmo sem ele ir, nem deixar o caso À revelia, pois a gente pode pagar as custas do processo. 
Perceberam como a justiça no Brasil é injusta? Não nos referimos à entidade, mas ao sistema que faz tudo para que arquemos com o nosso prejuízo. É por isso que as pessoas vão às vias de fato no meio do trânsito, porque o nosso país é uma piada de mau gosto, onde as leis são feitas para não serem cumpridas, elas são pautadas para pessoas de boa índole que não querem prejudicar as outras, como falou a nossa simpática conciliadora. 
Esse é apenas mais um exemplo que em nosso país está tudo errado e que numa batida de trânsito não importa quem esteja errado, pois a fiscalização tem "outras coisas mais importantes a fazer" e tudo que você poderá fazer é l a m e n t a r. 

Marcelo de Oliveira Souza,IWA 


sexta-feira, 19 de junho de 2015

São João na Praça das Viuvinhas!

São João na Praça das Viuvinhas

Lá na pracinha das viuvinhas onde as crianças se reúnem sempre,  Raio se deparou com uma coisa brilhando no céu noturno de junho.
Ela chamou a atenção de todos os amigos para o que estava acontecendo:
- Olha pessoal! Lá para  cima !!
- O que deve ser aquilo brilhando?!
Seu amigo Augusto  falou :
- Pode ser um   avião.
- Já a sua amiga Beatriz disse que era um helicóptero.
Todos estavam curiosos com o objeto não identificado.
Mas ele vinha se aproximando vagarosamente...
O outro amigo de nome Pedro, disse que aquilo parecia mais um balão.
Foi quando todos impressionados falaram:
- Balão !?
Todos acharam engraçado.
Um rapaz de nome Gilberto, disse de longe:
- Isso mesmo, aquilo é um balão de São João!
Ele começou a explicar sobre o avistamento...
- Antigamente o pessoal soltava muito balão de São João nessa época, hoje praticamente não vemos porque eles são lindos demais quando sobem, e mais bonitos ainda  quando estão no ar, contudo quando descem muita gente sofre.
- Como assim Gilberto?
Perguntou Raio.
Ele continuou dizendo que o balão desce e pega fogo, podendo  causar muitos acidentes.
Augusto ficou interessado e os meninos queriam ver como se constrói um negócio daqueles. Todos   estavam  entusiasmados.
Eles procuraram no computador como se faz, até pediram ajuda à professora deles.
A    pró advertiu que era proibido soltar uma coisa dessas, mesmo sendo bonito.
Os meninos confeccionaram um balão enorme, mas deixaram  só  de enfeite, entretanto  eles aproveitaram para pesquisar mais sobre as cantigas juninas e seus costumes.
Pedro descobriu até que a fogueira de São João  tinha  sua função,  que era avisar  naquela época, que ali tinha nascido uma criança, pois não é como hoje que temos diversos meios de comunicação.
Beatriz     procurou saber sobre   o  nome de São João e descobriu que ele era um homem que batizava pessoas num rio e que batizou até Jesus Cristo.
Augusto encontrou o nome das comidas típicas da festa e logo disse:
- Adoro bolo de aipim!
Pedro disse que gostava das laranjas e de soltar muita bomba, quanto mais forte melhor!
Sorrindo ...
Foi quando Raio teve uma grande ideia.
- Vamos fazer uma festinha de São João aqui na pracinha das viuvinhas?
Todos ficaram animadíssimos e planejaram com seus pais como seria, arrumaram o local todinho, cortaram as gramas e até colocaram muitas luzes.
Mas as crianças não estavam completamente satisfeitas, pois o balão  que  estava ali, bonito enorme não servia para muita coisa...
Foi quando começaram a tocar músicas da época e todos se animaram com a folia, sentaram comeram e   riram, cada um  imaginando  como seria o  São João de antigamente...
Até que de repente apareceu um clarão no céu e todos avistaram o balão desfilando de um prédio a outro como se fosse os de antigamente, as crianças sorriram muito com a peripécia de Gilberto que amarrou uma corda e uma lanterna dentro do grande balão que estava de enfeite na pracinha.

*********************************************************************************SOM

Feliz São João e que a magia dessa linda festa nunca termine!


terça-feira, 16 de junho de 2015

Resultado do XI Concurso Literário Poesias sem Fronteiras


Resultado do XI Concurso Literário Poesias sem Fronteiras

 

 

 

É com muita alegria que divulgamos agora o resultado do XI Concurso Literário Poesias sem Fronteiras.

Pedimos aos vencedores que enviem para nosso e-mail a sua foto junto  com a premiação, acompanhada de um depoimento para a divulgação do autor e evento na imprensa.

 

Obrigado a todos os participantes e aguardem o III Prêmio Escritor Marcelo de Oliveiras Souza.

 

 

Terceiro Lugar: Leonardo R. Seixas Guimarães – São Paulo SP

 

Segundo Lugar: Rosângela Nunes Rodrigues – Porto Alegre RS

 

Primeiro Lugar: Helveti S. Lacerda Golfete - Cornélio Procópio PR

 

Parabéns a todos e todas que contribuíram para essa grande festa chamada XI Concurso Literário Poesias sem Fronteiras, quem quiser ser avisado do nosso próximo evento é só enviar um e-mail para marceloosouzasom@hotmail.com , quem desejar adquirir mais um exemplar do livro de coletânea é só entrar em contato nesse mesmo e-mail.

 

 

Marcelo de Oliveira Souza,IWA

Organizador do XI concurso Literário Poesias sem Fronteiras


sexta-feira, 12 de junho de 2015

Escritor Carioca radicado na Bahia é verbete de Dicionário


Escritor Carioca radicado na Bahia é verbete de Dicionário

 

 

Em 2006, o Governo do Estado da Bahia parecia estar acordando para democratizar a cultura do nosso Estado, criando o Dicionário de Autores Baianos, onde   muito  autores tiveram o privilégio de participar.

Infelizmente depois disso não aconteceu muita coisa, muito menos  um novo dicionário, para catalogar os escritores de toda a região, que é deveras importante para a cultura local.

Felizmente temos pessoas que não ficam acomodadas com as dificuldades  econômico-culturais do nosso   país, como é o caso do escritor  e jornalista Carlos Souza, que resolveu catalogar os Escritores da Bahia, criando pois o Dicionário de Escritores Contemporâneos; foram mais de duzentos verbetes, de todo o Estado,  cujo escritor Marcelo de Oliveira Souza,IWA,  teve a oportunidade de participar de ambos os dicionários.

O  lançamento foi nessa sexta-feira (12/06) à noite na Biblioteca Pública do Estado, aproveitamos para dar os  parabéns a todos os participantes, que engendram nessa odisseia de ser um lutador das letras num lugar onde não se valoriza a cultura como merecido.

 


 


Homenagem ao Dia dos Namorados

Dia dos Namorados



Nestes dias  difíceis, atrapalhados 
de extorsões, dores, endividados, 
Não conseguimos os nossos caminhos sonhados. 

Como seremos felizes em tempos tumultuados? 
Só existem poucas coisas, que não somos usurpados 
Sem elas estamos completamente desamparados. 

Cairemos numa só tristeza, desesperados... 
Temos que aliviar a mente de sonhos pesados, 
Lembrem-se do lindo sonho por tantos almejados. 

Um amor pra sempre e dois corpos apaixonados, 
A vida é linda com casais abençoados 
Por isso sou muito feliz, somos amados ! 

Agora procure sua metade, por todos os lados 
Não perca tempo, não fiquem atordoados! 
Tenha fé, livre-se dos caminhos complicados 
E um feliz dia dos namorados. 

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Corpus Cristhi


 Um dia para refletirmos 
Para onde caminha a humanidade 
Se existe humanidade...
Ela existe? 
Um passando a perna no outro 
Pernada para tudo quanto é lado, 
Outro vai para a igreja rezar.
Depois de tanta maldade 
Até que merece ...
Mas o dia de farra continua 
Bebidas para todos os poros 
Trânsito em todas as estradas...
O corpo está li estagnado 
Ninguém lembra que o corpo existiu 
A consciência ruiu 
O povo ruim domina 
A humanidade caiu...
Corpos nas estradas 
A curiosidade reina 
O acidente causado, 
Coitado! 
Não resistiu, 
Mas o parceiro de viagem 
Gravou e divulgou na "cidade".
O corpo fez sucesso 
Mas dois minutos depois, 
Tem outro mau sucedido 
Que foi agredido e vencido 
pelas drogas e pelo crime.
Mais um corpo esquecido 
Que será comido pelos bichos 
Diferente do corpo de Cristo 
Iluminado e bendito, 
Virou tema de feriado 
Onde tudo vai recomeçar.
Em prol do seu nome iluminado 
Onde muitos irão novamente 
v i a j a r... 
E não voltam mais!