Seguidores

sábado, 26 de março de 2016

POETA UM CONVITE ESPECIAL DE PARTICIPAÇÃO EM NOSSO CONCURSO LITERARIO POR JEAN CARLOS GOMES



Venho por meio deste solicitar sua atenção, divulgação e possível participação em mais um concurso idealizado pela PoeArt Editora de VR que completa esse ano 10 Anos com Você!

Nosso trabalho é pautado com seriedade, competência, credibilidade e respeito com todos que e com tudo sempre em favor da causa Cultural/Literária para mantermos viva a chama do Pensamento/Escrita...

Contamos com você em mais esse empreendimento literário e também social em favor do nosso próximo...

Com atenção e apreços de

Jean Carlos Gomes
poeta, colunista, editor e acadêmico
Volta Redonda RJ









sexta-feira, 25 de março de 2016

Aracajuanos


Aracajuanos

 

Escritor carioca Marcelo de Oliveira Souza,IWA  radicado na Bahia, organizador do Concurso Literário Poesias Sem Fronteiras, que tem quatro títulos lançados, A Sala de Aula; Confissões Poéticas, Conto & Reconto e Sobrevivendo; participa de mais uma antologia em sua carreira.

Idealizada e Organizada pelo escritor Ylvange Souza Tavares, O livro 1ª Antologia dos Escritores Aracajuanos e convidados, foi lançado na capital sergipana no final do ano passado, contém a participação e biografia de sessenta autores.

Parabéns a todos e a todas;

 





Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras

quarta-feira, 23 de março de 2016

Semana Santa do Séc XXI



Semana Santa do Século XXI 

A Semana Santa 
Mostra sofrimento e dor 
Alegria e superação 
De quem nos tem amor 
Jesus foi crucificado. 

Para sempre temos lembrado 
Mas o povo tem modificado 
Tanta provação em monetização. 

O sofrimento virou vinho 
Que embebeda o povo; 
A glória da ressurreição 
Virou OVO de montão 
Gula e comemoração 
Chega de reunião! 

O povo enforca o Judas 
O pobre ninguém ajuda! 
O peixe, alimento em abundancia 
Virou forma de ganância! 

Tudo  se modificou 
A lembrança do sofrimento 
Virou sangue derramado, 
Irmão matando irmão! 
Briga violência e sofrimento 
Na semana do luto eterno 
O povo sorri, bebe e comemora 
No novo século tudo apodrece 
O dia não mais amanhece 
A noite amortece 
E a vida de Jesus, 
Ninguém conhece! 



* Do site http://marceloecritor2.blogspot.com


Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras

sexta-feira, 18 de março de 2016

O Brasil também está em Guerra!

O Brasil também está em Guerra !


A  gente vê sempre no noticiário o drama dos europeus com o sofrimento para escapar das inúmeras armadilhas impostas pelos grupos de terroristas, independentemente de quem iniciou essa série de sequencias do crime, sempre quem sofre é o povo. 
Aqui no Brasil existe uma guerra velada há muito tempo, a violência urbana é só mais uma delas, onde o povo tem que tentar sobreviver dia após dia. 
São policiais defendendo no que podem a população; outros colegas de farda também por descontrole emocional, atiram em inocentes, tornando a insegurança nas pequenas e grandes cidades uma rotina, até nessas pequeninas cidades a insegurança foi instaurada com tráfico de drogas e até grandes explosões em ataques a bancos. 
Outro   inimigo do brasileiro  é  pequeno,  mas é uma verdadeira infestação, o tal "Aedis Aegypt", ele veio dos primórdios da civilização para aterrorizar o nosso povo, se na rua a gente sofre com a violência, em casa a gente ataca o quanto pode o  pernilongo listrado, a batalha é em vários flancos, por terra e principalmente por ar com o nosso dispositivo elétrico, chamado "raquete".

Agora  esses pequenos inimigos se adaptaram e abriram mais uma especialidade de batalha, atuando à noite e causando outros tipos de doenças como a "Zica vírus" "Chikungunya" "Gullain Barré" e a "Microcefalia" 
A  população  está aterrorizada, pois ainda estamos em guerra contra os desserviços de saúde, onde os combalidos com essas e outras doenças não têm atendimento adequado. 
Para piorar,  estamos em mais uma outra guerra, contra um inimigo que age na surdina, mas quando ataca, todo mundo sai correndo, cometendo muitas mortes e para quem sobrevive fica sem casa, sem água, só no desespero, o conflito começou no interior de Minas Gerais, mais precisamente em uma cidade com nome de mulher, chamada Mariana, cuja represa de mineração estourou e inundou a cidade toda, numa avalanche de morte, matando tudo à sua frente, invadindo o estado do Espírito Santo, destruindo tudo ao seu alcance, cuja desembocadura será no mar. 
A inflação e o desemprego é uma dupla infalível de terroristas, eles vão e voltam, se tornando mais um grande inimigo endêmico, a gente pensa que está vencendo esse grupo de terríveis inimigos, mas eles sempre terminam aprontando mais atentados em todos os confins do nosso país. 
Contudo o último é o pior de todos, inquestionável, corrói o nosso povo, baixa a estima do brasileiro, engana, mata e desvia, é tudo que o Brasil precisa para eliminar e se erguer diante do mundo. 
Esse inimigo é o próprio povo brasileiro, pois ele ainda não acordou para a situação atual do nosso país, pois vota em péssimos representantes em inúmeras vezes, aceitando vender seu voto; joga lixo na rua, na varanda de casa, ajudando a proliferação de inúmeras doenças; não respeita o próprio brasileiro, corrompendo e se fazendo corromper e ainda sai reclamando que o Brasil é um lugar ruim para se viver. 









Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras

segunda-feira, 14 de março de 2016

ATENÇÃO ESCRITORES – Mapa da Palavra da Bahia: Último dia






Bom dia, 

Gostaria de lembrar que o prazo para se cadastrar no Mapa da Palavra.BA, da Fundação Cultural da Bahia – FUNCEB encerra nesta segunda-feira, dia 14 de março de 2016. Inscrições gratuitas.

Não fique de fora desse Mapa!

 

Informações completas no link abaixo:

http://www.fundacaocultural.ba.gov.br/mapadapalavra/

literatura.funceb@gmail.com,

literatura.funceb@funceb.ba.gov.br,


Tel.: (71) 3324-8507 / Coordenação de Literatura da FUNCEB

 

O Mapeamento é um cadastramento que buscará identificar autores e produções artísticas com foco literário ou na transversalidade entre literatura outras linguagens artísticas, como música, artes visuais, teatro, circo, audiovisual, dança. Além do cadastramento, o projeto realizará seleção das produções literárias, para compor uma futura publicação virtual e/ou impressa.


Marcelo de Oliveira Souza,IWA





http://www.fundacaocultural.ba.gov.br/mapadapalavra/


Agradecemos sua participação.


Coordenação de Literatura da FUNCEB
literatura.funceb@funceb.ba.gov.br
Tel.: (71) 3324-8507


Este e-mail foi enviado por um computador sem vírus e protegido pelo Avast.
www.avast.com

sexta-feira, 11 de março de 2016

A Política do Açougue


A Política do Açougue


Com a aproximação das eleições, os partidos políticos se arvoram para conseguir o poder, outros para continuar encima da carne seca.
Surgem muitas coligações com todos os tipos de partidos, inclusive os partidos formiguinhas, aqueles inexpressivos, que estão aí aos montes, correndo para lá e para cá, sem ter condições de sustentar um candidato de peso, ficam à procura de um lugar ao sol, esperando desesperado um convite para integrar uma legenda, inventam um nome bonitinho como "Salvador vai mudar" e pronto é só sair pela cidade gritando e prometendo tudo, mas o importante é que esse partido formiguinha tenha uma parte nesse pedaço de carne fresca retalhada, nem que seja o rabo.
Caso a legenda ganhe já no primeiro turno, tudo bem, é hora de preparar o cabide de carne fresca e esperar encostado, comendo o churrasco do poder, se não conseguir ganhar logo de primeira, que mau!
Mais gente para fazer coligação, o prato de carne vai ficar menor, mas como todo administrador que não se preze, tem que lidar com toda essa sanha pelo poder, não importa como.
Em tese o pedaço melhor da carne fica para o maior partido, o menor vai para os partidos miúdos, então porque não dá os miúdos do boi ou do porco para essa ralé?
Assim vai se formando o "bom" administrador público, se não houver mais secretarias, empurre o tal coligado numa diretoria, se não houver diretoria podemos colocar uma assessoria e pronto!
A "competência" vai para quem tem um peso maior no partido, coloca-se um monte de curso no exterior e ninguém reclama, pois o Neto ou bisneto de algum malvado candidato sempre se torna santo, principalmente quando morre e algum usurário quer o churrasco só para si, esquecendo que tem que sobrar um pouquinho para administrar a cidade.
Na "festa" da política é tudo assim, eles investem no seu balcão de negócios, fazem alianças sem saber de competência de ninguém e no final do turno, saem com seus carros oficiais olhando de cima para baixo, comemorando mais um dia de farra e o povo que fique olhando a carne apodrecer dentro desse açougue que é a política no Brasil.

 





Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras

domingo, 6 de março de 2016

Domingueira Poética de 06/03/2016 - cMiscelaneus a compartir com ustedes

Prezadas/os 

Essa remessa  está super atrasada  e vai meio no improviso, compartilhando um pouco do material cultural que recebemos dos domingueiros (o que nem sempre conseguimos fazer a tempo):

1) Elipse - Revista Literária Galego-Portuguesa, enviada pelo poeta Vivaldo Teres;

2) Visitem o Site da Editora Costelas finas:   http://livroscostelasfelinas.blogspot.com.br/

3) "Falta de Memórias", um texto que acabou de sair do forno do Domingueiro Ricardo Cravo Albin

4) Convite para evento em homenagem ao Dia da Mulher na  Academia Nacional de Letras e Artes (RJ), amanhã, dia 7

5) Informativo da AFPF de Março/2016, produzido pelo Guardião da Domingueira

6) Poema escrito pelo Marcelo de Oliveira Souza:

Dia Perene de Verão

 Choro, desespero e confusão.

O doente soube da sua situação

Decretado o fim da sua circulação

Apelos e súplicas a Deus, então...

Sofrimento entrevado num vão

Em coma fica o seu irmão

Teste de fé e compreensão

O moribundo sofre convulsão.

 

A vida vira pesadelo e compaixão

Um rio de lágrimas inunda o  coração

Um ser vegetativo, vivo ou não?

O apego não resolve a situação,

Na hora da partida, comoção...

Horizontes se abrem e começa

O dia perene de verão!

 * Homenagem a Joaquim que faleceu hoje...

Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras



Bom final de domingo

Antonio Pastori, guardião da Domingueira Poética
+55 (21) 99911- 8365

Por gentileza, caso não queira mais receber nossas mensagens, envie um e-mail pedindo para ser excluído  do grupo.

sexta-feira, 4 de março de 2016

Dia Perene de Verão


Dia Perene de Verão

 

 

 

 

Choro, desespero e confusão.

O doente soube da sua situação

Decretado o fim da sua circulação

Apelos e súplicas a Deus, então...

Sofrimento entrevado num vão

Em coma fica o seu irmão

Teste de fé e compreensão

O moribundo sofre convulsão.

 

A vida vira pesadelo e compaixão

Um rio de lágrimas inunda o  coração

Um ser vegetativo, vivo ou não?

O apego não resolve a situação,

Na hora da partida, comoção...

Horizontes se abrem e começa

O dia perene de verão!

 

* Homenagem a Joaquim que faleceu hoje...

 

 

Marcelo de Oliveira Souza,IWA




Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras


Este e-mail foi enviado por um computador sem vírus e protegido pelo Avast.
www.avast.com