Seguidores

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Seiva da Vida - Mensagem de Ano Novo 2017



                                                Mensagem de Ano Novo! 





As Festas de Final de ano sempre mexem muito com as pessoas, nos colocando em uma mistura de reflexão, regeneração, esperança e até em depressão. 

Em tempos de Redes Sociais isso tudo se torna mais evidente, onde a ostentação da perfeição e da felicidade evidencia-se. 

Essa “felicidade” normalmente é só para expor nas “vias públicas” aquilo que o nosso próprio semelhante quer ver, sendo verdade ou não. 

Nesse contexto, existem os que são movidos pela “alegria” artificial, onde o sorriso só aparece quando é plantado não mão um copo de bebida, ao qual é visível a sua transformação. 

Também percebemos aqueles que não conseguem enxergar nada de bom na humanidade, cuja reflexão é a tônica dessa época, onde a pessoa se isola e vê o evento até com repugnância, achando até que é uma reunião de pessoas que se odeiam. 

Durante esses eventos, evidenciam-se todo tipo de conceitos, numa gama enorme que é o psique humano, até os que veem o mundo de uma forma melhor, que ainda se permitem sonhar. 

Nesse mundo de diferentes, onde cada cabeça é um universo, temos que nos relacionar, não podemos sucumbir às adversidades dos relacionamentos interpessoais, ou até frustrações individuais, pois o ser humano é muitas vezes difícil de lidar, cada um com sua vida e com a sua história, contudo ele pode nos surpreender positivamente sim, quando menos esperarmos. 

Por isso devemos sempre confiar no amanhã, no ser iluminado que nos rodeia, praticando sempre o bem e dando o melhor de nós, porque sem essa esperança, matamos a cada dia a seiva da vida que a cada dia se renova dentro de nós! 



Feliz Ano Novo! 





Marcelo de Oliveira Souza,iwa 

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Mais um Natal!




                                                Mais um Natal 





Essa época é muito especial na vida de muitos brasileiros, muitos deles já estão se planejando onde irão passar o final de ano e outros já pensam nas compras que vão fazer. 


É assim que todo o ano acontece, mas esquecemos de que o Natal é mais do que isso, pois é o nascimento do nosso grande mentor espiritual Jesus Cristo, um homem que deu grande prova de humildade, vindo a nascer num estábulo rodeado de bichos. 


Mesmo com tanta dificuldade é um dos nomes mais louvados do planeta, por toda sua superioridade de pensamento, contudo não o homenageamos como devia, porque o maior presente para essa data seria a gente trabalhar a nossa humildade, o respeito ao próximo, nos irmanando no problema dos outros. 


Não pretendemos que arquemos com a dívida das outras pessoas, tampouco que tentemos resolver o problema psicológico ou religioso de cada um, o importante é que pensemos no outro como a extensão de cada um de nós. 


Homenageemos Jesus Cristo, oferecendo um pouco de gentileza e de paz a quem está ao nosso redor, não deixemos o “Espírito Natalino” somente para o Cherster e Panetone, aproveitemos essa data para oferecer amor, tentemos modificar a cada ano o nosso comportamento, pois nós estamos aqui para melhorar, não para confrontar nossoso bens materiais, elevemos nossos bens morais, porque todo ano tem Natal, mas não somos o mesmo a cada Natal, mesmo estando nas mesmas festas. 


A nossa vida é um presente maravilhoso, festejemos cada dia, mas utilizemos nosso pensamento aberto para as boas ações, para a gentileza e riqueza espiritual que essa data tão importante faça com que possamos refletir a cada dia como nos tornarmos melhor em nosso íntimo e que essa linda festa se faça também dentro de nós! 




Marcelo de Oliveira Souza,iwa
Feliz Natal a todos os meus amigos e leitores!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Falta de Informação e respeito na CCR Metrô de Salvador




Falta de informação e respeito na CCR Metrô, de Salvador. 

Todos estamos maravilhados como em tão pouco tempo Salvador está modificando a sua mobilidade urbana, após mais de uma década de tentativa frustrada podemos desfilar dentro do metro, o que ajuda muita gente que precisa. 
Nas grandes cidades, principalmente na Europa, as pessoas quase não usam mais seus carros particulares, preferem a tranquilidade do metrô, eles têm até diversas formas de plano para os seus cidadãos adquirirem a sua passagem, podemos contar até com uma máquina que recebe cédulas e dá o troco da sua tarifa. 
Ao adentrar na estação do metrô da Estação da Lapa, tinha uma fila enorme e perto dessa fila tinha uma máquina de recarrega o cartão de passagem, como na Europa, preferi o mais fácil, inseri a cédula de cinquenta reais na máquina, mas não tinha a opção de valor, quando apertei uma tecla, a máquina recarregou cinquenta reais! 
Infelizmente não uso tanto esse meio de transporte assim, por isso me dirigi ao caixa da minha estação destino, de Brotas e pedi que devolvesse o valor restante, foi onde a atendente prontamente disse que não poderia fazer isso. 
Mas como uma máquina de recarregar passagens não tem nenhuma informação dizendo que não dava troco? 
Indignados estamos aqui no prejuízo, esperando que a CCR Metrô tenha o discernimento de devolver o restante do valor, pois não é assim que trata usuários de seus sistema de transporte, onde a pouca informação e a falta de compreensão causam prejuízo a muitas pessoas. 

Marcelo de Oliveira Souza,iwa 

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Distância


Distância

Acompanho-a à distância,
Quando olho pra você
Fico com o  coração em prantos,
E vejo que você se distancia.

Olhas pra mim não sei por quê!
Não me queres, não me amas
E eu continuo querendo você,
Continuo a te adorar.

Você junto a mim
Um sonho maravilhoso
Agora um sonho impossível.
Terminou o engano.

Deus! O que vou fazer?
Não deixo de pensar em você!...
E nem consigo te merecer.


Marcelo de Oliveira Souza,iwa
Do livro do autor Confissões Poéticas




domingo, 4 de dezembro de 2016

Vencedora do IV Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,iwa




Gedalva Neres Paz, de Salvador Bahia
Vencedora do IV Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,iwa






Jonata Henrique, de Brejo de Madre de Deus PE
Participante do Concurso e da Antologia do IV Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza,iwa







Escritor Marcelo de Oliveira Souza, iwa
Apresentando a Antologia
Quem quiser ser informado dos nossos próximos eventos, é só enviar uma mensagem para marceloosouzasom@hotmail.com


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Rapunzel do Sertão!



   Rapunzel do Sertão


Numa região rural, ao nordeste da Bahia, tinha uma garota que se destacava perante todas as outras famílias, que tinham como rotina, a subsistência na agricultura, plantando e colhendo feijão.
As famílias sempre tinham uma renda baixa, contudo muita força de vontade, pois todos participavam alegremente dos serviços de plantio na maior boa vontade, onde era uma constante a amizade e união entre todos, sem falar na inocência que caracteriza todos que habitam o agreste.
Nesse quadro, Mariana e sua família mantinham o seu cotidiano, em que aqueles lindos olhinhos negros eram a janela para uma mente cheia de força de vontade e de informação.
Certo dia, ao dirigir-se para a sede da cidade de Araci, a fim de vender o produto do seu suor e desprendimento, Rivaldo, pai da nossa personagem, deparou-se com um livro chamado: A história de Rapunzel, cuja capa existia uma linda princesa com longos cabelos dourados numa das torres de um enorme castelo, o que realmente encantou a nossa garota, que pediu ao seu pai um exemplar do livro, pois a atraiu de pronto!
Como ela não sabia ler, teve que pedir ao seu pai que não era bom na arte de decifrar aquelas letras, contudo sempre ao meio dia, após o almoço, Reinaldo dava um jeito de concatenar as palavras e produzia um bom resultado.
Assim Mari, como era carinhosamente chamada, atentamente ouvia a leitura do seu genitor, participando de cada uma “cena” emocionante e tentava gravar cada parte para passar adiante, fingindo uma leitura, que realmente era o sonho dela. As rodas iam se formando em um manto de admiração, pois uma garota tão pequena lendo um livro! Era realmente de espantar a todos naquele quase inóspito lugarejo, onde todos chamam vulgarmente de “roça”.
A garota percebeu que o mundo da leitura é a verdadeira porta para a informação, diversão e sabedoria, por isso o seu grande desejo realmente era aprender a ler aquele livro tão bonito e encantador, para de fato passar para as outras pessoas, o que repentinamente apareceu a sua chance, pois a prefeitura tinha acabado de designar uma professora para alfabetizar as pessoas do lugarejo, lá na casa de farinha, onde as pessoas processavam a mandioca.
Com isso, a nossa garotinha conseguiu “decolar” no seu sonho e ao alfabetizar-se, prosseguiu nos estudos, mesmo com uma defasagem diante dos colegas, sempre se destacava, até no colégio daquela cidadezinha - cujo lugar parece tão grande para quem vem dos distritos - em que ela tinha que ir de carona numa carroça com um único morador que fazia o transporte de todos, rotineiramente.
Hoje, a professora Mariana, trabalha em sua sala de aula com crianças “sedentas” de informação igualzinho a ela, e sua amiga de tranças de mel, trancada na torre do castelo, “puxa” os alunos da nossa grande personagem, para o mundo mágico da leitura e do conhecimento ao ler aquele mesmo livro, mas a fama da garotinha esforçada, que lutou para não ficar sem instrução ante as outras com maiores oportunidades, deixou um feito, digno da estória infantil. Suas tranças negras ficaram na imagem de todos os lavradores, que sempre ao vê-la dizem:
- Olhe a Rapunzel do Sertão! 


Marcelo de Oliveira Souza,iwa
Do livro do autor Conto & Reconto.