Seguidores

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Refugiados


Refugiados 



Quando uma pedra é atiçada em um lago, a superfície dele toda se agita, da mesma forma que ao ocorrer um tremor no fundo do mar, surge logo depois uma tsunami. 
Na nossa vida é assim e também no tabuleiro político das guerras e dos interesses escusos de muitos países que compõem o globo. 
Durante a guerra no Iraque onde os "aliados" invadiram esse país para caçar Saddam Russaim, eles não imaginaram que estariam desestabilizando toda uma região, criando mais problemas para o mundo, da mesma forma onde os americanos municiaram e treinaram Bin Laden, para tirar os Soviéticos desse inóspito lugar. 
Na Síria aconteceu a mesma coisa para tentar derrubar o ditador local, Assad, gerando essa interminável crise nesses países onde um grupo de fanáticos religiosos munidos de ódio e muita sede de sangue aterroriza esses países para criar um chamado Califado. 
Assim explodiu um verdadeiro tsunami de refugiados de todos os cantos da África e principalmente do Oriente Médio inundando a Europa com pessoas sofridas e humilhadas pelos seus mandatários e agora pelo estrangeiro europeu, que por sua vez já tem muitos problemas com a crise que permeia o continente há muito tempo. 
Sem saber como proceder para resolver o problema dos refugiados, agora a comunidade internacional através da ONU, pensa em resolver os problemas causados por eles mesmos, no nascedouro, tentando dirimir os conflitos regionais, contudo ainda falta o pior, sair caçando os fanáticos do Boko Haram, na África e principalmente o exército de psicopatas do Estado Islâmico, pois só jogando bombinhas de um drone controlado de alguma base nos EUA, não vai dar certo, alguém vai ter que encher os coturnos de areia para resolver esse grande problema, onde a diplomacia e respeito à vida certamente poderiam solucionar esse grande problema que afeta a todos no mundo. 








Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Escritor e  Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

O Livro Estendido no Chão


O Livro Estendido no Chão

 

 

Um livro estendido no chão, todo esfacelado, vejo em um beco perto de um colégio e ponho-me a pensar de quem era e onde terminou.
O nosso governo tem feito o possível para diminuir as diferenças sociais, hoje os Colégios é quem perdem turmas por falta de alunos, pois eles não estão mais interessados em fazer um curso normal, encontram merendas fartas e esnobam a fila para não serem pobres, os que encaram a merenda, desperdiçam, jogam nos colegas, no chão, falam as piores agruras sobre a sagrada refeição, em que os pais deles muitas vezes não encontram tal oportunidade e até mesmo hoje, reza para ter uma janta parecida com a merenda do seu filho.
Os projetos estão aí para o auxílio dos adolescentes, mas em sua curta existência, taxa-o de ruim por ser público, desprezando o seu patrimônio educacional e de sua comunidade, hostilizando os funcionários em educação, fazendo pouco de seus mestres, enfim, tudo o que ele deveria valorizar, faz justamente o contrário, pois o inconsciente coletivo adolescente, teima em imperar. Mas futuramente tudo isso será cobrado, pois como a vida é cíclica, sua posição de adolescente não ficará eternamente, bem como os seus genitores, e fora da redoma escolar, a vida ensinará, mas aí será tarde demais, pois esse material estendido no chão, que não tinha sido valorizado, certamente fará a diferença.







Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Praia do Forte!




Praia do Forte

Logo ali a alguns quilômetros de Salvador a gente pode se deparar com a natureza chamando  para a gente ir conhecê-la.
O lugar faz parte de Mata de são João, mas se ficar independente já caminha sozinho, pois é conhecido pelo mundo afora, não só pelo seu projeto Tamar, ou Baleia Jubarte, o lugar tem uma natureza inigualável, principalmente para quem  vive  nesse caos da cidade grande.
Teve  final de semana, as pousadas e hotéis se enchem, o aprazível lugar ainda precisa de um pouco de atenção, principalmente na entrada onde tem a mata atlântica, o povo deseducado joga muito lixo e a coleta é passada despercebida.
Uma grande surpresa  dessa vez foi a criação de um parque municipal Klaus Peters, na verdade é uma reta cortando um quilômetro e meio de mata, mas para começar já valeu a pena, seria interessante que nesse lugar pudesse  colocar algum bebedouro temático e uns bancos para a pessoa sentar e vislumbrar aquele maravilhoso local.
Falando nisso, na parte principal onde tem as cafeterias e lojas, bem que podiam colocar mais bancos, as lojas muitas vezes fazem isso pela administração local, mas muita gente fica inibida de sentar nas poltronas.
Outra grande atração são as ruínas do Castelo Garcia d’Ávila, um lindo e histórico local, onde podemos conhecer mais a nossa história e ainda se deleitar com aquele bucólico lugar.
Praia do Forte não tem só isso, ainda tem a reserva de Sapiranga,  logo na saída que demanda tempo para a pessoa conhecer somente aquele lugar.
O lugar é realmente encantado, quem não conhece está perdendo muita coisa, pois o diferencial da localidade é unir o conforto com a natureza, que lá tem de sobra.


Marcelo de Oliveira Souza,IWA

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Sonho de Sete de Setembro


Sonho de Sete de Setembro

 

 

Glorifiquemos a Independência 
com orgulho e satisfação 
Um País gigante, de influência 
Formador de opinião. 

Políticos de sapiência 
Que ama o povo e a educação 
Exaltando nossa bandeira 
Símbolo da Nação! 

A virtude da igualdade 
Em cada segmento 
A saúde com récorde de desenvolvimento 
Curando a ferida aberta sem sofrimento. 

Respeito mutuo e contentamento 
Uma grande virada 
no nível de vida 
Bloqueando os ressentimentos. 

O Brasil que é campeão 
Não só no futebol 
Que era homenageado e gritado 
Por desempregados e desdentados. 

Celeiro do mundo 
Exportador de Tecnologia 
O Brasil potente 
Cheio de alegria. 

Acorde ! é só hoje que podemos sonhar 
Amanhã tudo permanece igual! 

mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm 

Hoje é uma data importante para refletirmos se realmente somos independentes, com essa miséria assolando, corrupção, roubo, injustiça social e subserviência às grandes potências. 
Independência ou Morte!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

* Do livro Confissões Poéticas




Marcelo de Oliveira Souza,IWA
Organizador do Conc Lit Poesias sem Fronteiras