Seguidores

sábado, 27 de dezembro de 2014

O Amigo Ladrão!


O amigo Ladrão

Essa brincadeira
Dá a maior confusão,
O presentinho cabe na palma da mão.
Tem o esperto e o bobalhão
Que vai correndo com a numeração
Atrás da compensação.
Todo mundo com a sua tranqueira
E uns poucos com a desejada premiação.

Tem   apalpos   e urros nessa mobilização
Ainda tem o teimoso que não larga a mão
Da  melhor escolha do rateio da reunião.

Dá de tudo nessa convenção
Até a dona da festa larga o pote de vidro
no chão.
O estouro causa comoção,
Os cacos são recolhidos
E o evento   continua com atração,
No   final   todos saem com sua “bandeira”
Com risos e gozação
Um presente pior que o outro
Mas muito amor no coração.


Marcelo de Oliveira Souza,IWA

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Já é Natal?


Já é Natal?

 

Nesse ano os preparativos começaram muito cedo,  mas de certa forma é uma premiação para tantas atribulações acumuladas durante nossa jornada.

Tivemos Copa do Mundo em muitas cidades do nosso imenso Brasil, houve sede que até inaugurou um trenzinho que chamam de metrô, que liga algo até um terminal central, cujo lugar há muito tempo está sucateado, com todos os tipos de problemas pertinentes a grandes cidades, acrescentando mais um desleixo administrativo dali ou daqui.

Houve também eleições para governo, presidente da República e cia,  um fato muito importante, onde na reta final o povo brasileiro se empolgou e colocou os seus sonhos no mesmo pote.

Essa discussão política é interminável, gerando muitos atritos entre amigos e conhecidos, contudo os verdadeiros amigos sabem respeitar a opinião do outro.

Todos esses eventos fizeram parte dos   brasileiros esquecer momentaneamente dos nossos problemas comuns, outros sequer esqueceram de algo que não consegue concatenar.

As propagandas ajudaram muito nesse intuito de ter um país vitorioso no esporte e na política.

Ao término de todos os eventos, começamos a perceber toda a nossa problemática social, que sempre esteve ao nosso redor.

Os preços da cesta básica continuam subindo, os cidadãos continuam se escondendo ao cair da noite com medo de tudo que se mova, começamos novamente a olhar para trás...

Quando olhamos para frente nos deparamos com o presépio de Natal, um mais bonito que outro, as tradicionais músicas vão aparecendo, o nosso amigo Noel desce de tudo quanto é lado, mais rápido do que nós,  para sacarmos violentamente a nossa carteira e atirarmos nossa maior arma: O cartão de crédito.

O misto de humanidade e de espírito Natalino começa a tilintar nos nossos ouvidos, os frangos, chesters, perus começam a voar na nossa imaginação e a combinação de ceia e presentes volta a atacar a família.

O Natal chegou depressa, a festa mais linda do mundo fez nascer momentaneamente inúmeros sentimentos, contudo o importante é que nossos sentimentos mais profundos sejam de paz, amor, fraternidade e até de reflexão,   pois é tudo que nós almejamos anos após anos, onde o  nosso aprendizado com os erros passados, sejam de inspiração para o resto de nossas vidas.

 

 

Feliz Natal   & Uma excelente entrada de Ano Novo!

 

Marcelo de Oliveira Souza, IWA     Do site http://marceloescritor2.blogspot.com

 



Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário POESIAS SEM FRONTEIRAS

sábado, 20 de dezembro de 2014

Estrela do Sertão


Estrela do Sertão 

Encontrei a rosa 
Irmã da Flor do Sertão 
Flores do imenso jardim. 
A Rosa de muitos nomes 
Todos nós conhecemos, 
Todos preenchem a nossa família 
Brilhando no céu quente de emoção. 


A força que segura nossa querida flor 
Mora no nosso coração 
Nei de pais de alegria 
Terá seu nome escrito para sempre 
No músculo intenso dentro do nosso peito 
Sabendo de qualquer jeito 
Que ela representa a nossa união. 

Essa rosa que muitos nomes têm 
Também tem infinitos amigos 
Nessa infinita corrente de amor... 
Divino unindo os dois planos, 
Duas vidas iluminadas 
Saindo do seco jardim 
E se transformando 
Na maior estrela do sertão. 

*Homenagem póstuma a Rosa Mere Sacramento Lima


Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário POESIAS SEM FRONTEIRAS

sábado, 13 de dezembro de 2014

Sete Anos do Raio de Sol



                                    Sete anos do Raio de Sol







       7777777777777777777777777777  Paro para pensar ... E fico a me regozijar,
       777777777777777777777777777         Seu rosto passa a me acompanhar
                                                                                          Nesta data a festejar...
                                                                                                       O Raio de Sol
                                                                                   ilumina meu coração,
                                                                      Me enchendo de emoção.
                                                                    Seguro firme a sua mão
                                                               A minha pequena criança
                                                                    Completa sete anos!
                                                            Um número cabalístico
                                      Onde o glamoroso poder divino      
                                        Encontra de vez seu corpinho
                                                          De menina...
                                       E sua companhia sem igual
                                                          Me anima...
                                            Abraça minha alegria
                                                     descomunal
                                          Numa felicidade
                    Que não consigo expressar
                     Somente nesse   versos
                            Pois  para sempre
                  Vamos comemorar!
                      E te amar...
         Feliz aniversário!




Marcelo de Oliveira Souza,IWA



quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Direitos Humanos


Direitos Humanos 

Todos os anos o pessoal do Colégio do Resgate de Brotas, Salvador, termina o ano com um projeto diferente, onde a culminância foi feita nesse sábado. 
Esse ano foi trabalhado os Direitos Humanos, onde uma graciosa apresentadora travestida da boneca Emília ciceroneou as crianças do ensino fundamental 
Um painel foi colocado no fundo do palco onde legendas representativas eram colocadas de acordo com cada parágrafo da lei era apresentada pelas crianças. 
Muito pertinente nos dias de hoje, que onde as pessoas não sabem mais seus direitos e deveres, onde analisávamos que por isso temos nossos direitos tolhidos aos poucos até que eles foram ceifados de vez, pois não temos mais o direito de sair de casa tranquilamente, porque não sabemos se voltaremos, muitos não possuem moradias, outros não podem expressar livremente sua ideia ou até a religião; hoje as pessoas não respeitam o direito das outras, muita gente que dar uma de esperto e passam por cima das outras brincando. 
Hoje os direitos humanos só aparecem quando o marginal o bandido é atingido, infelizmente as pessoas estão sabendo disso na prática. 
Assim nada melhor como esse tema a ser apresentado por infantes e pré-adolescentes, pois quem sabe através do olhar das crianças, nós possamos a passa a lutar por eles? 




Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário POESIAS SEM FRONTEIRAS

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

A Festa de Natal

A Festa de Natal!                              

Num esforço sem igual
As turmas se juntaram para o Natal
Carolina   Costa chegou   como um vendaval                7M3
Arrastando Caroline com a imagem dos Três Reis, num avental
Leonardo trouxe a Cruz e todos mantimentos
Parecendo até enxoval.
Rebeca caiu da escada colocando o varal
Dessa vez não se quebrou, o que não é normal.
Sizaine   estendeu a mão e levantou o castiçal                                    
Atrás dela,  Queila   confeccionava   o material
Júlia com o celular do tamanho de uma televisão
Pesquisava  “fontes de diversão”,
Caique e Daiara   criaram a decoração,   7m4
Tava ficando legal!
Todo mundo a participar
Até Tainá  apareceu com um monte de cajá
E de quebra a imagem de barro que ia pintar,.
Matheus abriu um espaço na agenda apertada
Somente para participar!
Bárbara começou a dançar,
Ao se apresentar empurrou o altar
Que por sua vez travou a porta no dedo de Vinícius
Que começou a gritar...
Entrando no clima as Livias   começaram a se  perdoar,  8M1
Deivisson   passou   a reclamar ou trovejar:    
- É tanta gente que não vai dá!
Manuela e Ana Carolina   saíram   correndo para um   bolo resgatar,
Gideão e Henrique começaram   a perguntar: 8M2
- Quem vai carregar?
Isabel avisou para Vanessa   que vai faltar,
Jorlaine fez a “liturgia da amizade” no altar ,
Kenedy começou a acompanhar
Andreza trouxe o peru bem temperado
Wendel acordou com o aroma, animado
Ana Carolina e Andreza organizaram a Música a tocar
Emili  Nobre disse que pagode não ia escutar
Isabela apoiou e a música queria organizar.
Uma linda melodia Natalina pairou no ar
Roseane, Viviane, Rafaela  e Soane avisaram
Que Mariana queria dançar,
Letícia começou a apontar:
- A turma da tarde não   vai participar!
Emanuele disse que o convite é do professor   7v2 e 7v3
E não vai recusar!
Joandressa começou a filmar com seu celular
Marina passou a gesticular,
Apontou para o estômago e disse que estava com fome
E “O bicho vai pegar!”
Daniel e Wesley   a acalmaram dizendo que tudo vai melhorar
Maria Carolina vociferou seu maior bordão:
- É mole!
Todos começaram a gargalhar
Rose   e Vanessa trouxeram   um   Chester com manjar,
Ademilson   soltou a voz emocionado:
-  Vamos jantar!
Em nome de Deus   todos deixaram suas pegadas e emoções
Nos nossos corações
Onde mais uma vez o   bem vence o mal!  Feliz Natal!


Marcelo de Oliveira Souza, IWA 

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Nossa Senhora da Conceição


Hoje Salvador está em festa com a comemoração da festa de Nossa Senhora da Conceição da Praia, muita gente saindo de todos os lugares da cidade para reunir-se na frente da Antiga Catedral, onde haverá uma procissão em homenagem ao seu dia.


Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário POESIAS SEM FRONTEIRAS

sábado, 6 de dezembro de 2014

Escritor Carioca radicado na Bahia ganha mais um prêmio


O Escritor Carioca radicado na Bahia ganha mais um prêmio, desse vez foi  com a participação da Antologia de Escritores Lusófonos, onde conta o que tem de melhor da literatura lusófona, ou seja países de língua portuguesa.
O autor participou com o poema A Casa Caiu, cujo trabalho  versa  sobre o drama de pessoas que moram em áreas de morro  e  são ceifadas do seu lar, perdendo tudo, mas  podem dar a volta por cima.
O texto foi bastante comentado na Europa, onde a realidade é deveras diferente.


Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário POESIAS SEM FRONTEIRAS

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Vencedora do II Prêmio Literário

DEPOIMENTO DE JUSMARIA DA CUNHA CARVALHO

 

"Quero expressar minha gratidão pela oportunidade que me foi concedida para participar deste II Prêmio Literário Escritor Marcelo Oliveira Souza e pelo reconhecimento de me conceder a honra do primeiro lugar com meu poema Cantam as Flores. Para mim foi realmente uma maravilhosa surpresa. Muito grata ao Escritor Marcelo Oliveira Souza e parabéns por esta iniciativa que tanto dignifica a poesia.

 

Um abraço poético"

 

Jusmaria da Cunha Carvalho

Vencedor do II Prêmio Literário Escritor Marcelo de Oliveira Souza

 

Quem desejar ser informado do nosso próximo concurso é só enviar uma mensagem para marceloosouzasom@hotmail.com

 

 




Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário POESIAS SEM FRONTEIRAS

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

A Morte de "Chaves "


A Morte de "Chaves" 


Nesses dias, grande parte das pessoas do mundo então enlutadas com o passamento de Roberto Gómez Bolaños, o "nosso" Chaves, do seriado de mesmo nome, de grande sucesso no SBT. 
Apesar do programa só aparecer muito tempo depois aqui no Brasil, as "crianças" cativaram os telespectadores de todas as idades em nosso país. 
O personagem de Carlos Villares, que interpreta(va) o Kiko, tinha mais expressão do que Chaves, logo no início do grupo ele teve um caso amoroso com Florinda Meza, a Dona Florinda. 
Depois de um tempo não deu certo o relacionamento, onde a mulher terminou juntando os laços com Bolaños, firmando um casamento. 
Como em todo grupo de sucesso, o maior empecilho é o ego - além dos amores à parte- um começou a achar que tinha que ter mais espaço do que o outro, terminando a se dissolver em 1978, com uma proposta de carreira solo da grande emissora Mexicana, que não vingou por motivos autorais. 
Antes de muita gente conhecer a nossa trupe de estrangeiros que conquistou o Brasil a equipe tinha se desfeito, mesmo assim tivemos o prazer e a hora de assistir diversas vezes cada episódio, transportando toda nossa infância para a tela da televisão, que infelizmente teve uma vida útil relativamente pequena para a qualidade dos artistas. 
Mas estava tudo escrito nos planos de Deus, onde o Bolaños de tantas facetas e traduções ficará para sempre nos nossos corações e nas telinha de televisão e outros tantos meios de entretenimento do mundo inteiro. 





Marcelo de Oliveira Souza, IWA
Organizador do Concurso Literário POESIAS SEM FRONTEIRAS

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A Morte de "Chaves"

A Morte de “Chaves”


Nesses dias, grande parte das pessoas do mundo então enlutadas com o passamento de Roberto Gómez Bolaños, o “nosso” Chaves, do seriado de mesmo nome, de grande sucesso no SBT.
Apesar do programa só aparecer muito tempo depois aqui no Brasil, as “crianças” cativaram os telespectadores de todas as idades em nosso país.
O personagem de Carlos  Villares, que interpreta(va) o Kiko,  tinha mais expressão do que Chaves, logo no início do grupo ele teve um caso amoroso com Florinda Meza, a Dona Florinda.
Depois de um tempo não deu certo o relacionamento, onde a mulher terminou juntando os laços com Bolaños, firmando um casamento.
Como em todo grupo de sucesso, o maior empecilho é o ego - além dos amores à parte- um começou a achar que tinha que ter mais espaço do que o outro, terminando a se dissolver em 1978, com uma proposta de carreira solo da grande emissora Mexicana, que não vingou por motivos autorais.
Antes de muita gente conhecer a nossa trupe de estrangeiros que conquistou o Brasil a equipe tinha se desfeito, mesmo assim tivemos o prazer e a hora de assistir diversas vezes cada episódio, transportando toda nossa infância para a tela da televisão, que infelizmente teve uma vida útil relativamente pequena para a qualidade dos artistas.
Mas estava tudo escrito nos planos de Deus, onde  o  Bolaños de tantas facetas e traduções ficará para sempre nos nossos corações e nas telinha de televisão e outros tantos meios de entretenimento do mundo inteiro.



Marcelo de Oliveira Souza, IWA