Seguidores

sábado, 26 de outubro de 2013

Liga da Justiça Literária UBESC

Liga da Justiça Literária UBESC

 

 

Nos céus da capital baiana

Aparece uma nave em forma de U

Todos estupefatos

Intrigados com  a sua formação,

Sai uma Gaivota,

Tomando conta dos Mares

Letras lançadas até o oceano.

O  ogro  Jorge  Carrano, domina os bastidores

Literários, com inúmeros projetos

É  o intelectual da turma;

Onde nosso embaixador extraordinário,

ValdeCk  carrega o nome de Jesus,

Circundando os quatro cantos da terra

Com sua simplicidade, escarafuncha

Todos os encontros  e  encantos,

Levando literatura aos mortais;

Quetinho ali no canto fica nosso

Amigo Rudival, amparando nosso

Grupo e o nosso chefe,

Roberto Leal, o multi-homem

Escreve, publica, edita e divulga,

Assessorado pela nossa financista

Delci, a mulher maravilha!

Também em todos os cantos

Tranforma-se   de  mulher  a  guerreira

Nas fileiras da literatura,

Temos  até um mascote,

Robertinho, pequenininho e

Miudinho agigantou-se no mundo literário

Seguindo os passos da turma,

Hoje declama aos quatro cantos,

Ficando Marcelo Souza somente

Fazendo o que mais gosta,

Escrevendo toda essa epopéia,

Que mudou os ares soteropolitanos.

Onde a liga da Justiça Literária

Formou o grupo chamado UBESC

Em que até você escritor,  poderá participar!

Segurando a clava da justiça literária.

 


 



Marcelo de Oliveira Souza

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Individualismo


    Individualismo

 

 

As pessoas hoje em dia recolhem-se em seus problemas e esquecem de que o mais bonito no ser humano é o carinho, a amizade, a consideração.
Dentro do seu egoísmo pós-moderno as pessoas não lembram  de fazer um gesto de carinho, um favor desinteressado, um telefonema...
Quando entendemos isto, caimos na decepção da falta de reconhecimento por um favor, uma ajuda.
Certo dia... Estava em um ônibus, e observei um fato inusitado, em que uma senhora com seu bebê de meses de idade, estava  sentada numa dessas poltronas duras de fibra de vidro, a chupeta da criança caiu, o menino sentado duas fileiras à frente levantou-se a fim de ajudar-lhe a pegar a chupeta, assim o fez, a Dona recebeu prontamente, e nem sequer um sorriso de agradecimento, não sei se ela notou a decepção do menino em socorrê-la, ou se ela pensou se foi um golpe de ar que deslocou a chupeta até ela.
Outro dia, ao sair do banco, abri a porta para deixar uma senhora e seu acompanhante entrarem, tamanha foi a minha surpresa, eles passaram por esta, sem nenhuma palavra de agradecimento, não que eu esperasse, mas sempre deixa-me desconfortável tal atitude.
Fila de ônibus é um Record de má educação, um dia quando vinha de Candeias, havia uma garota em minha frente, quando a condução estava prestes a encostar, quem o fez primeiro foram duas colegas suas, alegando que sempre uma guarda o lugar da outra.(portanto eu teria que aceitar.)
Por causa desta e outras coisas que o egoísmo impera e a deseducação e o mundo continuam cada vez mais individualista.
Vamos lutar contra isso! Sejamos mais humanos e gentis, aproveite hoje para olhar o seu semelhante com mais carinho e menos maldade, e quem sabe um dia possamos ser amigos de verdade?



Marcelo de Oliveira Souza

sábado, 19 de outubro de 2013

Feliz dia do Poeta!

Poetizar

Poetizando o mundo
O poeta faz sonhar,
Poetizando o leitor
O poeta faz amar,
Poetizando o estudante
O poeta faz crescer,
Poetizando o idoso
O poeta faz rejuvenescer,
Poetizando a natureza
O poeta vai proteger,
Poetizando a vida
O poeta vai crescer,
Poetizando a família
O poeta vai unir...
Poetizando a poesia
O poeta  vai se eternizar!

Marcelo de Oliveira Souza

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Receita do Inferno Soteropolitano


Receita do Inferno Soteropolitano

 

 

Há muito tempo escrevemos sobre a dificuldade de dirigir em meio ao caos   urbano que se tornou a cidade de Salvador, as pessoas não têm o mínimo de respeito ao próximo, principalmente quando estão "disputando" o trânsito caótico e desestruturado que é o soteropolitano.

Essa semana o que mais se comentou foi sobre o acidente entre dois  irmãos em  uma moto e uma médica oftalmologista.

O trágico acidente aconteceu na Barra, em meio a um atrito   de trânsito, o condutor da motocicleta  entrou em discussão   com a motorista do carro, no calor da questão o rapaz retirou o capacete e desferiu o objeto no capô  do veículo.

Depois disso a médica saiu atrás da motocicleta, desesperada, uns dizem que ela   tentou tirar uma fotografia  da  placa da moto, perdendo o controle,  atropelando  os dois ocupantes do veículo de duas rodas; outros amparados com a comoção do acidente, gritam que a médica saiu sedenta de vingança, tentando saciar o baixo instinto, atropelando friamente os dois desafortunados irmãos.

Não acreditamos nessa versão, até porque uma médica sempre zela para salvar vidas e não tirá-las, as pessoas  aproveitaram  o clamor da sociedade para crucificá-la, certamente se  fosse  Semana Santa  a médica seria a maior candidata  a Judas.

Esse é o reflexo de onde moramos, a maioria das   pessoas não respeita  mais as leis de trânsito, não têm mais educação, nem civilidade;  a nossa cidade sobrevive em meio ao caos, onde  grande parte dos motoqueiros não sabe o que é "freiar", eles dirigem igual a alucinados, parecendo  que a moto não tem freios, eles vão e não param mais...  A não ser em seus destinos, o que estiver na frente, eles  passam por cima, retrovisor de carro não fica mais inteiro e se um carro for um obstáculo, o veículo tem que sair da frente, senão os camicases destroem-se.

Os taxistas, motoristas de ônibus e motoboys, enfim, os que trabalham com o trânsito, são os principais responsáveis pelo caos, gerando um circulo perverso, trabalhando nele e sofrendo com ele; nesse imbróglio todo ainda acrescenta-se  uma  grande quantidade de carros por dia em uma malha rodoviária saturada e maltratada, resultando um verdadeiro inferno soteropolitano.

 

 

 



Marcelo de Oliveira Souza

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

III Encontro de Escritores Baianos Independentes UBESC

A nova entidade cultural, União Baiana de Escritores já chegou movimentando a cultura soteropolitana, onde nesse final de semana organizou o III Encontro de Escritores Baianos Independentes.
Na sua programação houve uma temática diversificada, desde uma palestra sobre "Hermeneutica e Poética" ministrada pelo professor Milton de Almeida, mestre em comunicação e cultuira, pela Universidade Federal da Bahia; até recitais poéticos, o que não poderia faltar nesse tipo de encontro.
A nossa entidade, UBESC, praticamente ganhou uma madrinha, a  vice-prefeita  de Salvador Célia Sacramento, que ao perceber a nossa luta pela literatura baiana, passou a frequentar com destaque os nossos eventos, inclusive esse.
Vale a pena destacar também a participação da desembargadora Luislinda Valois, um dos pontos altos do evento, onde ela narrou sua brilhante trajetória.
A Cúpula da União Baiana dos Escritores Tomou posse durante o evento, onde o escritor Marcelo de Oliveira Souza, assumiu como diretor de Projetos, ao jornalista Roberto Leal, coube a presidência; O escritor Rudival do Amparo passou a assumir a vice-presidência.
Os demais diretores são  Jorge Carrano, Cymar Gaivota, Valdeck Almeida.
Entre tantos eventos em dois dias não podedemos deixar de mencionar o lançamentos de livros e revistas como o retorno da revista Òmnira número 05, com uma nova roupagem e diversos textos de qualidade, mais uma promoção do nosso competente presidente Roberto Leal.

Marcelo de Oliveira Souza



domingo, 13 de outubro de 2013

Dia dos Professores

Dia dos Professores


Nesses dias em que a violência cresce linearmente em todos os cantos do país percebemos que não só nos horrorizamos com esses atos, mas somos complacentes e até cúmplices de toda essa celeuma. 
O grande problema é que a nossa educação está sendo desvalorizada, a educação primordial que recebemos dos nossos pais está sumindo, assim como tudo que delimita o limite para a criança e adolescente. 
Como os pais em sua maioria não estão encontrando tempo para os seus filhos, estão repassando a responsabilidade de educar para babás e professores. 
Os professores por sua vez estão cada vez mais desvalorizados, desmotivados com a política publica de educação, parece até que tem uma orquestra desafinada trabalhando para deseducar as pessoas, os inúmeros projetos educacionais, quando passam são relegados a terceiro plano, computadores em escolas publicas realmente são utilizados, mas a forma que é feita essa utilização é duvidosa; merenda escolar tem que ser coisa séria, assim como distribuição de livros didáticos e para-didáticos. 
Toda essa problemática é apenas uma amostra de como a claudicante educação brasileira precisa de atenção, de motivação, de projetos que saiam do papel, o professor não precisa de certificações que diminuam a auto-estima do profissional de educação ou qualquer outra forma de punição ou de seleção que segregue-os ao ostracismo. 
O dia dos professores está aí, sem motivos para comemoração, somente protestos e lamentos contra as perdas de interesse, de salário e de tudo que possa melhorar uma educação que perece a cada dia, mas eles estão aí, sonhando com dias melhores e com que a educação passe a ser a principal plataforma de qualquer um que possa se candidatar a alguma coisa, porque sem educação não existe país, não existe união, respeito ou qualquer coisa que possamos chamar de desenvolvimento. 

FELIZ DIA DOS PROFESSORES 


Marcelo de Oliveira Souza

sábado, 12 de outubro de 2013

Feliz dia das Crianças

Alma de criança 

Alma pura pueril 
Encanto de criança 
Renova-se a esperança 
Em um mundo de alegria. 

Comemoramos sempre o seu dia 
Com a mais perfeita harmonia, 
Nos braços de Aparecida 
Firmando um firmamento de paz 
Que só o sorriso de uma criança nos traz. 



Marcelo de Oliveira Souza

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Dia das Crianças 2013

Dia das Crianças 2013 



Quando recebemos o presente de sermos pais, temos que perceber que  essa joia bruta, pode ser polida de diversas formas, com muito calor até a pedra rachar, ou mesmo deixarmos com outros joalheiros descuidados. 
A criança é um serzinho que precisa de muita atenção e cuidado para que não saia da sua trilha, o ato da paternidade e maternidade, é tão complexo e importante que deve ser dividido entre o casal, onde ambos têm que entrar em sintonia para que a música saia melodiosa. 
Como vivemos em uma sociedade onde a família está se dissolvendo, encontramos diversas opiniões de como se educar os seus filhos. 
Os pais enquanto filhos tiveram determinada educação, muitas vezes mais rígida, esses provavelmente são os mais permissivos; outros apesar dos avós serem liberais, têm postura ainda mais liberal para com os seus filhos; existem outros que sabem dosar entre o liberal e o antiquado, infelizmente são os mais questionados, apesar de serem os corretos. 
Essa miscelânea comportamental torna-se complicado até para os pais, imagine para os rebentos, contudo temos que perceber que a criança só quer mesmo ser criança, ela observa o comportamento dos amigos, dos pais e dos irmãos mais velhos entre outros , tentando copiá-los... 
Como a família do século XXI é modificada por tantos fatores citados e por outros não enumerados - pois esse texto fatalmente transformar-se-ia em livro - notamos que na maioria das vezes o destino familiar é uma provação divina, que devemos fazer o melhor possível, mas o que não podemos fazer é deixar de tratar a criança como criança, que  como nós,  ela erra muitas vezes, mas diferentemente delas, nosso erro pode se tornar fatal para quem está começando a arte de viver sobre a terra. 


Marcelo de Oliveira Souza

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

O Shopping do carro velho!

Qual  o plano do nosso prefeito ACMN quanto ao parque Solar Boa Vista, em Brotas?  o lugar está muito perigoso, muitos assaltantes; o parque continua abandonado.
Transformou-se em um imenso estacionamento de carros, caminhões e caçambas; lava-jato, com oficinas mecânicas e depósito de carro em manutenção.
A sujeira permeia o ambiente, mas do jeito que vai, o falecido parque deverá ser transformado em um shopping center exclusivo para veículos, com vagas para estacionamento por hora e pernoite, com lava-jato 24 horas.


Marcelo de Oliveira Souza

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Miss Acarajé X Mona!


MISS ACARAJÉ X MONA

O desemprego tem aumentado assustadoramente aqui na nossa bela Salvador. A crise Nacional acerta em cheio o prato do trabalhador.
A economia informal cresce rapidamente, são vendedores de todo tipo.
Um tipo incomum é a classe dos vendedores de acarajé, é baseada na cultura dos negros que vieram escravizados da África.
Há pouco tempo o tabuleiro da baiana era sempre "pilotado" por uma negra com toda sua indumentária, no que virou até cartão postal, ultrapassando as nossas fronteiras.
Mas hoje não é mais assim, a confusão se espalhou por toda cidade.
Tem "baiana" loura, branca, evangélica, boiola, de todo o tipo e qualidade.
E quando ficam próximas uma da outra, falta somente sair faísca, todas almejam não só livrar o seu estômago, mas sonham muito alto, tem até umas que já abriram restaurantes no pelourinho!
Assim a competição é árdua...
Um tempo atrás apareceu um "homem" que se intitulou de Mona. Que vendia acarajé a preço muito baixo, independentemente de ser gay o quitute dele é uma delícia, como de outras baianas...
Começou a fazer sucesso, tinha dia que não sobrava, rapazes iam lá comprar fiado, pra só Deus sabe como e/ou quando. Viam a preferência sexual dele e começavam a explorar o dito cujo.
Como o sucesso sobe a cabeça, começou a aumentar o preço, e a despertar inveja.
Apareceu uma garota muito bonita e interessante, que também montou seu tabuleiro, a rapaziada da região ficou doida! Um sucesso sua acarajé, regada a muita paquera, todos migravam de mona para Miss acarajé, que cobrava ainda mais caro!
A confusão instaurou-se, foi pena para tudo quanto era lado!
Então Mona resolveu baixar o preço pela metade colocando uma placa enorme "Acarajé da Mona metade do preço".
E tudo voltou pelo menos a se aproximar da normalidade, até aparecer outro tabuleiro de acarajé com suas novidades.



Marcelo de Oliveira Souza

Do Livro Conto & Reconto Ed. Celeiro de Escritores

 


Marcelo de Oliveira Souza